Basílica de São Pedro / Igreja de São Pedro

IPA.00030080
Portugal, Braga, Guimarães, União das freguesias de Oliveira, São Paio e São Sebastião
 
Arquitectura religiosa, neoclássica. Igreja paroquial de planta longitudinal composta por nave única e capela-mor, mais baixa e estreita. Fachada principal terminada em frontão triangular, rasgada por três arcos de volta perfeita; encimada por três janelas de verga abatida, de sacada corrida; possui adossada ao lado esquerdo, torre sineira. Interior com coro-alto, dois púlpitos, quatro retábulos laterais, de planta recta e um eixo e retábulo-mor de talha policroma e dourada, de planta convexa e três eixos.
Número IPA Antigo: PT010308630211
 
Registo visualizado 512 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja  

Descrição

Planta longitudinal composta por nave, galilé, torre sineira quadrangular, no lado esquerdo, e capela-mor, mais baixa e estreita. Volumes escalonados com coberturas diferenciadas em telhados de duas águas. Fachada principal com cunhais apilastrados, sustentando entablamento dórico sobre o qual assenta o frontão triangular, coroado por acrotério e cruz. Fachada principal virada a NE rasgada por três arcos de volta perfeita sobre pilastras a que se acede por uma escadaria. É encimada por três janelas de sacada com varanda de balaústres. Do lado esquerdo, a torre sineira, que no primeiro registo é rasgada por dois óculos e no segundo registo, por vão em arco de volta perfeita sobre pilastras, contendo sino, encimada por relógios; cobertura em cúpula de granito, e coroado por pináculo. Na galilé, abrem-se três portas fronteiras aos arcos e duas portas laterais, todas de verga abatida, o portal central, de maior dimensão, e o da direita, uma capela de invocação a Santa Filomena e a S. Pedro. INTERIOR com paredes rebocadas e pintadas de branco, com embasamento de cantaria e azulejos recentes monocromos azuis sobre fundo branco, de padrão, formando silhar, pavimento de madeira com zona central em cantaria de granito e tectos em estuque. Coro-alto com guarda em balaustrada de madeira, acedido de ambos os lados por portas de verga abatida, molduradas. Na nave, surgem lateralmente, dois retábulos e um púlpito, de bacia rectangular em cantaria, assente em mísula, e acedido por porta de verga abatida, moldurada, com ligação por escada no interior da caixa murária a partir de porta também de verga abatida. Arco triunfal de volta perfeita, sobre pilastras toscanas, de acesso à capela-mor sobrelevada, possui nas paredes laterais uma porta e uma janela confrontantes. Sobre supedâneo de três degraus, surge o retábulo-mor em talha policroma e dourada, de planta convexa e três eixos, definidos por duas colunas, de fuste canelado, de capitéis coríntios; no eixo central abre-se tribuna de perfil curvo, albergando trono expositivo; nos eixos laterais surgem mísulas suportando imaginária. Banco integrando sacrário central, tipo templete. Altar paralelepipédico com frontal pintado.

Acessos

Largo do Toural

Protecção

Incluído na Zona Especial de Proteção do Núcleo Urbano da Cidade de Guimarães (v. PT010308340101) e das Muralhas de Guimarães (v. PT010308340016)

Enquadramento

Urbano, flanqueado por edifícios de habitação e comércio, implantado à face da rua, fronteiro ao largo do Toural (v. PT010308600244). Nas imediações, erguem-se a Casa do Fidalgo do Toural (v. PT010308630210) e o Café Milenário (v. PT01030863009)

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: igreja

Utilização Actual

Religiosa: igreja

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Braga)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 18 / 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1616 - a Irmandade de S. Pedro já existia nesta data, na capela de São João Baptista, no claustro da Colegiada; 1737 - a Irmandade inicia as obras da igreja; 1750, 11 de Novembro - foi benzida a capela-mor ; 1808 - a igreja foi profanado pelos invasores franceses que a usaram como estrebaria; 1811 - demolição de casas para edificação da basílica; 1824 - os trabalhos prolongaram-se até esta data, tendo sido suspensos; 1880 - as obras foram reiniciadas nesta data, tendo sido aprovada uma nova planta proposta pela mesa da Irmandade; 1883/1884 - conclusão de obras, com colocação da tiara pontifícia sobre o brasão no tímpano do frontão e a cruz pontifical, séc. 20 - colocação do relógio na sineira.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Materiais: Estrutura, frisos, cornijas, pilastras, pináculos, molduras dos vãos, nichos, pias de água benta, bacia dos púlpitos e outros elementos em cantaria de granito; pavimento em lajes de granito e soalho; tecto de estuque, na nave e capela-mor; retábulos de talha dourada; guardas dos púlpitos em talha; cobertura de telha; sinos em cobre.

Bibliografia

http://www.cm-guimaraes.pt/files/1/documentos/470415.pdf, 21 Outubro 2011.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO

Autor e Data

Sónia Basto 2011

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login