Casa Grande de Freixo de Numão / Museu de Etnografia da Casa Grande

IPA.00002998
Portugal, Guarda, Vila Nova de Foz Côa, Freixo de Numão
 
Casa nobre rococó, e planta rectangular composta por ala residencial e capela adossada num dos topos, volumetricamente diferenciada. Fachada principal com casa de dois pisos, de cunhais apilastrados, terminadas em friso e cornija, sobrepostas por beiral, e zona central alteada de perfil curvo; e rasgada no primeiro piso por portal de planta côncava encimado por janela de sacada contacurvada, e com balaustrada, de moldura rematada por cornija contracurvada e volutas, sobrepujados por pedra de armas familiar, envolvida por concheados. Lateralmente rasgam-se janelas de peitoril sobrepostas, de arco abatido, as do primeiro piso rematadas por avental curvo, e as do segundo piso, mais trabalhadas, com brincos, e decoradas por enrolamentos, flores-de-lis e conchas. A capela tem pilastras compósitas, coroadas por fogaréus, e termina em empena contracurva interrompida por nicho, sendo rasgada por portal, encimado por janela, com molduras recortadas, decoradas, com orelhas, volutas, concheados, enrolamentos e elementos vegetalistas. Interior da capela com retábulo em talha dourada rococó. Caracteriza-se pela fenestração regular, de vãos em arco abatido, e horizontalidade do corpo, interrompida ao centro da casa, pela excessiva altura da empena curva alteada, acentuada pela colocação dos vãos e pedra de armas familiar em eixo, e pelo remate da capela em empena contracurvada interrompida, terminando ambos à mesma altura. O esquema de demarcação do eixo central da casa é bastante semelhante ao da Câmara Municipal de Mêda (v. PT020909090081). A casa e a capela apresentam diferente tratamento decorativo, sendo o da capela mais desenvolvido e de maior relevo, mas ambas têm linhas contracurvadas, molduras recortadas e profusão de concheados, que dinamizam a estrutura. Sobre o portal da capela existe ainda cartela com data da construção. È notório a diferença de tratamento entre a fachada principal e as laterais, terminadas apenas em beiral e de vãos rectilíneos e molduras simples.
Número IPA Antigo: PT010914060012
 
Registo visualizado 1351 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial senhorial  Casa nobre  Casa nobre  Tipo planta retangular

Descrição

Planta rectangular regular, composta por ala residencial e capela, adossada ao topo O., desenvolvida horizontalmente, com coberturas diferenciadas em telhados de três águas na casa e de duas na capela, em telha de canudo. Fachada principal virada a S., em alvenaria rebocada e pintada de branco, de dois panos distintos, correspondendo o da direita à casa e o outro à capela. O pano da direita, tem dois pisos, com cunhais apilastrados de ordem colossal toscana, percorrido por embasamento de cantaria de granito, terminado em friso, cornija e beiral, alteada ao centro com perfil curvo, e rasgado regularmente, por vãos de verga abatida, com molduras trabalhadas, em cantaria de granito. No eixo central, no primeiro piso, abre-se portal de planta côncava, de arco abatido, com moldura, flanqueado por pilastras dispostas de ângulo, encimado por janela de sacada, em arco abatido, com moldura recortada e rematada por cornija contracurvada, sobreposta por voluta no fecho, e guarda de perfil contracurvado, em balaustrada; sob a cornija da fachada, surge pedra de armas, com coroa, envolvida por elementos vegetalistas e concheados. No restante pano abrem-se regularmente doze janelas de peitoril, três de cada lado e em cada um dos pisos, tendo as do primeiro piso, molduras formando avental curvo, remate em cornija contracurvada, e grades de ferro; as do segundo piso, têm as molduras inferiormente decoradas com flor-de-lis formando brincos e concha ao centro e superiormente com enrolamentos e flores-de-lis pendentes, sendo a cornija contracurva sobreposta por concha central, e tendo caixilharia de guilhotina em madeira. O pano esquerdo, correspondente à capela, tem cunhais apilastrados da ordem compósita, coroados por fogaréus, adelgaçados e com elementos fitomórficos, e termina em cornija contracurvada interrompida por nicho, terminado em cornija e coroado por cruz latina de cantaria sobre acrotério. Portal em arco abatido, com moldura exteriormente recortada, com orelhas volutadas e concheadas, rematado por fragmentos de cornija volutada interrompida por cartela, com inscrição, encimado por outros elementos concheados e por janela de topos em arco abatido, e flancos laterais côncavos, com moldura recortada, decorada com concheados, e pequeno medalhão vazio ao centro, orelhas em enrolamentos e rematada com elementos vegetalistas, enrolamentos e concha. Nicho em arco de volta perfeita assente em cornija contracurvada sobre mísula, com moldura decorada por concheados, terminada em concha e interiormente em abóbada concheada. Fachada O. adossada parcialmente, sendo rasgada por janela de lintel recto no segundo piso. A fachada E., terminada em empena recta sem cornija, tem o primeiro piso cego e no segundo abrem-se janela e porta de verga recta; na fachada N., terminada em empena recta sem cornija, rasgam-se, no primeiro piso, duas portas de verga recta, e no segundo, duas janelas idênticas, e um janelão central em arco abatido. INTERIOR *1 da capela, de nave única, com coro-alto em madeira, retábulo em talha dourada, pavimento lajeado e cobertura em em madeira, de perfil curvo, pintado com motivos vegetalistas estilizados.

Acessos

Avenida Guilherme Cunha, Rua Direita

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 129/77, DR, N.º 226 de 29 setembro 1977

Enquadramento

Urbano, formando frente de rua, tendo adossado, à fachada O. da capela, construção de cércea semelhante; situado em local relativamente plano, em via estreita e um pouco sinuosa; junto às fachadas E. e N. foram detectadas e escavadas estruturas arquitectónicas romana e medieval, e recolhidos materiais da Idade Media.

Descrição Complementar

PEDRA DE ARMAS: escudo esquartelado: armas de Portugal dos Sousa de Arronches no cantão dextro do chefe, faixas veiradas dos Vasconcelos no cantão dextro da ponta, cabeças de serpente dos Moutinhos no cantão sinistro do chefe, seis crescentes dos Amarais no cantão sinistro da ponta, com timbre dos Sousa de Arronches, um castelo de ouro, e encimado por coroa. INSCRIÇÃO: a cartela sobre o portal da capela tem a seguinte inscrição: "TOTA PULCRITAS EST MARIAE. MDCCLXXXIII", ou seja, "Toda pura és tu Maria. 1783".

Utilização Inicial

Residencial: casa nobre

Utilização Actual

Cultural e recreativa: museu

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Época Romana / época medieval - identificação de estruturas arquitectónicas no local de implantação do solar; séc. 18 - início da construção do solar; 1783 - data na inscrição sobre o portal da capela, assinalando a sua provável construção, talvez por iniciativa de Maria Teresa da Cunha Sousa e Vasconcelos (nascida em 1736) e de seu marido José Joaquim Pais Monteiro; foi herdeiro seu filho José Inácio Pais Pinto de Sousa e Vasconcelos (1767 - 1831); séc. 19, 1º quartel - Maria Custódia Clemência dos Anjos de Sousa e Gouveia Coutinho (1800 - 1838) herdeira do morgado, casou com Bernardo Correia Leite de Morais Almada e Castro, 2º Visconde e 1ª Conde de Azenha *2; séc. 20, 2ª metade - ruína progressiva da casa; 1974 - a capela estava fechada ao culto e pertencia a António de Magalhães e Meneses Leite Pereira de Seabra; 1983 - venda do edifício à Câmara Municipal de Vila Nova de Foz Côa pelo último proprietário, Antero de Magalhães e Meneses Leite Pereira de Seabra; 1987 - escavações arqueológicas, durante as quais, foram recolhidos, no quintal, um fragmento de xisto com inscrição romana e um selo armoriado; 1983 / 1996, entre - reconstrução integral do interior, para adaptação a museu, sendo removida por completo, a decoração em pintura mural, que se encontrava em elevado estado de degradação; 1996, 14 Julho - inauguração do Museu.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Fachadas em alvenaria rebocada e pintada ou em aparelho isódomo aparente; embasamento, pilastras, friso e cornija, molduras dos vãos, guarda da balaustrada, pedra de armas, fogaréus, cruz e nicho em cantaria de granito; gradeamento das janelas em ferro; caixilharia e coro-alto da capela em madeira; retábulo em talha dourada; pavimento lajeado; tectos em madeira pintada; cobertura exterior em telha de canudo.

Bibliografia

LEAL, Pinho, Portugal Antigo e Moderno, Lisboa, 1873; SILVA, António Lambert Pereira da, Nobres Casas de Portugal, Porto, s.d.; FERREIRA, João Albino Pinto, Antigo Concelho de Freixo de Numão (Memórias Paroquiais do Séc. XVIII), Lisboa, 1947; idem, Freixo de Numão, Apontamentos, Porto, 1954; AZEVEDO, Correia de, Património Artístico da Região Duriense, Porto, 1963; AZEVEDO, Carlos de, Solares Portugueses, Lisboa, 1971; ALMEIDA, José António Ferreira de, (dir. de), Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1980; FERREIRA, J. A. Pinto, Antigo Concelho de Freixo de Numão - memórias paroquiais do século XVIII, Lisboa, MCMLXXIV; SÁ-COIXÃO, António de, dir., Notícias de Freixo de Numão, Freixo de Numão, 1982 - 1991; COIXÃO, António do Nascimento Sá e TRABULO, António Alberto Rodrigues, Por terras do concelho de Foz Côa - subsídios para a sua história estudo e inventário do seu património, Vila Nova de Foz Côa, 1999; Foz Côa Inventário e Memóra, [coord. de SOALHEIRO, João], Porto, 2000; PEREIRA, Liliana Maria Ferreira Figueiredo, Estuques no Espaço Doméstico - Contributos para Um Itinerário na Arquitectura Rústica e Nobre do Norte de Portugal, com particular Incidência no Douro Superior. Estudo de uma peça. O Solar dos Pimentéis, em Torre de Moncorvo, 2 Volumes, Lisboa, (dissertação de Mestrado em História da Arte da Universidade Lusíada), Universidade Lusíada, 2003; Câmara Municipal, www.cm-fozcoa.pt/php/concelho/freguesias/freixo-numao/index.php, 20 de Abril de 2006; Semanário C. Regionalista, (edição de 13, de Abril de 2006), www.jornalaguarda.com, 10 de Maio de 2006.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Grupo para a Defesa e Divulgação do Património Cultural de Freixo de Numão: 1982 - Obras de beneficiação: reparação ligeira do telhado, pintura de algumas portas e rebocos interiores; 1987 / 1988 / 1990 - escavação arqueológicas dirigidas por António Sá-Coixão, durante as quais se recolheram fragmentos de colunas, moedas, cerâmica, machados, escórias de ferro.

Observações

*1 - O interior da casa foi todo alterado devido às obras para adaptação a museu, contudo, em 1992, apresentava no primeiro piso, oito compartimentos, com pavimento lajeado, tecto de madeira, servindo de estrutura ao pavimento do piso superior, e vestíbulo com arco abatido central de acesso a escadaria de cantaria de um lanço central, com dois lanços paralelos a partir do patamar intermédio; no segundo piso, tinha cerca de sete compartimentos, com pavimento em soalho, tecto com estrutura do telhado e sala com pinturas murais representando cenas figurativas de paisagem. *2 - Herdeiros e senhores da Casa Grande: Maria de Assunção Correia Leite de Almada (1831 - 1902) casada com Joaquim de Magalhães e Meneses Vilas Boas; Maria Luísa de Magalhães e Meneses Correia Leite de Almada (n. 1870) casada com Ernesto Coutinho de Vilhena Caldeira, Senhor da Casa da Rua da Cadeia Velha em Trancoso; Ana Ermelinda de Magalhães e Meneses Coutinho de Vilhena Caldeira (1904 - 1944), casada com José Leite Pereira Seabra.

Autor e Data

Margarida Conceição 1992 / Sandra Alves 2006

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login