Ermida de São Sebastião

IPA.00000297
Portugal, Beja, Alvito, Alvito
 
Arquitectura religiosa, popular, gótica. Capela de proporções médias, com volumes e soluções estruturais características do gótico final alentejano, com forte cunho mudéjar: contrafortes de secção circular, pináculos piramidais, remate de merlões chanfrados na capela-mor; interior totalmente abobadado em cruzaria de ogivas; portal em arco levemente quebrado. A ermida filia-se no tipo de construções regionais próximas de São Brás de Évora (v. PT040705210021) ou de Santo André de Beja (v. PT040205130002) e apresenta afinidades volumétricas e espaciais com a Capela de São Bartolomeu de Alvito (v. PT040203010014). O murete vazado que coroa a nave substituíu certamente um remate de merlões chanfrados idêntico ao que existe sobre a capela-mor.
Número IPA Antigo: PT040203010005
 
Registo visualizado 1254 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta longitudinal, composta por 2 rectângulos justapostos, a nave (9,60 x 5,40 m) e a capela-mor (4,60 x 4,30 m). Volumes articulados com coberturas diferenciadas em telhado. Fachada principal, orientada, rasgada por portal em arco quebrado encimado por óculo, e lápide com inscrição; empena recta coroada por murete vazado interrompido por sineira, contrafortes em tronco de cone, com pináculos piramidais sobre acrotérios prismáticos; fachadas laterais da nave cegas, com idêntico remate e contrafortagem; capela-mor mais baixa, rasgada por pequenos vãos rectangulares, rematada por merlões chanfrados. INTERIOR: nave única de 2 tramos coberta por abóbada de cruzaria de ogivas, estribadas em mísulas poligonais, decoradas com pinturas murais figurando anjos músicos, tocando os mais variados instrumentos de sopro e de corda, enquanto um segura a pauta; em parte das paredes da nave, sobre frescos imitando silhar de azulejo enxaquetado, estão representados santos: São Pedro e São Paulo, ladeando a porta, São Lourenço, São Fabião e Santo Estêvão do lado do Evangelho; púlpito com base em cantaria e guardas e escada de acesso em ferro; pia de água benta em mármore de forma hexagonal e encordoado manuelino. Arco triunfal de volta perfeita, sobre pilastras de capitéis moldurados; capela-mor, de pavimento alteado e com idêntica cobertura; na parede testeira ladeando os 3 nichos que encimam o altar-mor, pinturas murais figurando Santo António e São Francisco recebendo os estigmas, sendo o restante paramento pintado em azul celeste; altar-mor, repintado de azul.

Acessos

Rossio de São Sebastião, no Rossio de Alvito

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 44 075, DG, 1.ª série, n.º 281 de 05 dezembro 1961

Enquadramento

Urbano, planalto, isolado no extremo da povoação, do lado E. do Rossio da vila, amplo terreiro bastante degradado, sobre um conjunto de grutas, as antigas Pedreiras dos Trinos (v. PT040203010057), dominando um belo panorama *1.

Descrição Complementar

INSCRIÇÕES: Inscrição gravada em lápide de mármore no portal; leitura: ESTA IGREJA FOI REEDIFICADA COM O AUXÍLIO DESTE POVO EM 1892 SENDO INFLUENTES JOSÉ MARIA DA CRUZ, JOSÉ DE MORAIS CID, JOAQUIM AUGUSTO CANÇADO, FRANCISCO JOSÉ CALHAU, JOÃO BRANQUINHO.

Utilização Inicial

Religiosa: ermida

Utilização Actual

Religiosa: capela

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Beja)

Afectação

Época Construção

Séc. 16 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

PINTOR: José Escobar (atr. pintura mural).

Cronologia

Séc. 16, inícios - Data provável de construção; 1535 - referência documental à ermida; 1611 - execução da pintura mural, provavelmente pelo pintor José Escobar; 1892 - reconstrução da ermida, por acção de José Maria da Cruz, José de Morais Cid, Joaquim Augusto Cançado, Francisco José Calhau e João Branquinho; esta reconstrução levou ao desaparecimento parcial da pintura mural da capela-mor; 1969, 2 Fevereiro - danos causados pelo sismo.

Dados Técnicos

Materiais

Alvenaria rebocada em estruturas, pavimentos de cantaria e tijoleira, cobertura de telha cerâmica.

Bibliografia

ESPANCA, Túlio, Inventário Artístico de Portugal, Distrito de Beja, Lisboa, 1993; GONÇALVES, Catarina Valença, A Pintura Mural no concelho de Alvito - séculos XVI a XVII, Alvito, 1999MANIQUE, Luís de Pina, A Arte Manuelina na Arquitectura de Alvito, Lisboa, 1949; VALÉRIO, António João Feio, Alvito: o espaço e os homens (1251 - 1640) - subsídios para a história de uma vila alentejana (texto policopiado, tese de mestrado apresentada à Faculdade de Letras de Lisboa), Lisboa, 1993; Património Arquitectónico e Arqueológico Classificado, Inventário, Vol. I, Distrito de Beja, Lisboa, 1993; IDEM, Arte e História no Concelho de Alvito - Guia para uma visita, Alvito, Câmara Municipal, 1994.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID; Arquivo "Mural da História"

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

1892 - obras de consolidação; DGEMN: 1969 - reparação de coberturas e rebocos; 1976 - assentamento de nova porta, limpeza de telhados.

Observações

*1 - A ermida, dedicada a São Sebastião, protector da peste, fica situada, como é hábito com santuários dedicados a este orago, no extremo da povoação, do lado de onde se julgava vir o terrível flagelo (MANIQUE, 1949).

Autor e Data

Isabel Mendonça 1993

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login