Pelourinho de Sortelha

IPA.00002941
Portugal, Guarda, Sabugal, Sortelha
 
Pelourinho quinhentista, de tabuleiro, com soco octogonal de seis degraus, fuste hexagonal e capitel bastante ornado, ostentando elementos heráldicos, de onde evolui o remate em tabuleiro, com colunelos torneados, encimado por bola. Apresenta algumas afinidades com os pelourinhos de Valhelhas (v. PT020907470005) e de Vila Nova de Foz Côa (v. PT020914170003). Apresenta armas delidas no capitel e remate encimado por esfera armilar.
Número IPA Antigo: PT020911330005
 
Registo visualizado 399 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição senhorial  Tipo tabuleiro

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco octogonal de seis degraus com focinho saliente, encontrando-se o primeiro parcialmente enterrado no pavimento, vencendo o desnível. A coluna, de fuste octogonal e desprovida de base, apresenta um capitel anelado de secção circular. Sobre o capitel assenta uma peça em forma de losango, mas com os lados curvos, encima da qual se observa outro capitel, também anelado e de secção circular, exibindo no lado NO. as armas reais. O remate é composto por um tabuleiro formado por peça de secção circular, decorada pela sobreposição de anéis com diâmetro crescente, onde assentam quatro colunelos. Estes são bojudos e com a base quadrangular decrescente, mostram o remate superior incompleto. Ao centro deste conjunto, destaca-se uma base, igualmente bojuda, coroada por uma esfera armilar alongada, onde se encontra cravado um espigão em ferro.

Acessos

Largo do Pelourinho. WGS84 (graus decimais) lat.: 40.328586; long.: -7.215722

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 23 122, DG, 1ª série, nº 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano, núcleo intra-muros. Isolado, situa-se em local um pouco declivoso, no sopé do Castelo (v. PT020911330002). Marca o centro de um espaço fundamental, vinculando a ligação entre a R. da Fonte e a R. Direita, eixo de comunicação entre as Portas da Vila. Na sua proximidade enncontra-se a Casa da Câmara e Cadeia (v. PT020911330032) e, um pouco mais distante, a Igreja Matriz (v. PT020911330024). Junto aos degraus observa-se uma pedra de montar cilíndrica.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 16 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1228 - concessão da primeira carta de foral por D. Sancho II; 1510 - renovação da carta de foral por D. Manuel e provável edificação do pelourinho; 1522 - concessão da alcaidaria-mor a Garcia Zuzarte, Guarda-mor de D. Manuel; 1527 - elevação a cabeça de condado por D. João III, a favor de Luís da Silveira, Guarda-mor de D. Manuel e de D. João III; provável construção do pelourinho; séc. 17 - pertence à Comenda de Santa Maria das Neves; 1615 - elaboração do Tombo de Sortelha pelo Dr. Pedro Godinho de Carvalho, por ordem de D. Filipe II de Portugal; 1758, 20 Maio - nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo pároco João dos Santos, é referido que a povoação, com 213 fogos, é do rei; tem juiz ordinário, 2 vereadores, um procurador do concelho, juiz dos órfãos e 2 escrivães do público; 1855 - extinção do estatuto concelhio e integração no concelho do Sabugal; 1918 - demolição da Antiga Casa da Câmara, de dois pisos, para construção da escola, aproveitando o material do edifício primitivo; manteve-se o escudo; 1949 - cortado um dos plátanos da praça, para que as raízes não danificassem o Pelourinho, por ordem da DGEMN

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito; gato em ferro.

Bibliografia

AZEVEDO, Correia de, Terras com Foral, Porto, 1967; CARDOSO, Nuno Catarino, Pelourinhos das Beiras, Lisboa, 1946; CHAVES, Luís, Pelourinhos Portugueses, V. N. Gaia, 1930; CORREIA, Joaquim Manuel, Terras de Riba-Côa, Memórias sobre o Concelho do Sabugal, Lisboa, 1946; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; NEVES, Vítor Manuel Leal Pereira, A Antiga Vila de Sortelha, Castelo Branco, 1979; SOUSA, Júliu Rocha e, Pelourinhos do Distrito da Guarda, Viseu, 1998.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 35, n.º 210, fl. 1513-1526)

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

*1 - topónimo derivado de "sortija", "sortilia" ou "sortela" que designa anel, destinado ao molde de peças utilizado num jogo para cavaleiros ou anel de pedras preciosas.

Autor e Data

Margarida Conceição 1992

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login