Igreja Paroquial de São Clemente de Loulé / Igreja São Clemente

IPA.00002900
Portugal, Faro, Loulé, Loulé (São Clemente)
 
Arquitectura religiosa, gótica, manuelina, renascentistas. Igreja paroquial de planta longitudinal de 3 naves com capelas laterais, cabeceira tripartida. Portal de arco quebrado inscrito num gablete. Vestígios de um arco em ferradura no nave principal a nível do clerestório. A torre sineira elemento emblemático da cidade.
Número IPA Antigo: PT050808080002
 
Registo visualizado 746 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal de 3 naves e 4 tramos, com capelas laterais e capela-mor rectangular ladeada de 2 absidíolos, rectangular e poligonal, com os quais comunica por arcos laterais. Outras dependências de implantação quadrangular e rectangular desenvolvem-se junto da cabeceira. Fachada principal, sem embasamento, rematada por uma empena de 2 águas, 3 panos marcados pelos cunhais e contrafortes. O pano central é rasgado pelo portal de perfil quebrado sobre um gablete que no eixo tem uma mísula decorada com a cruz da Ordem de Santiago; as arquivoltas assentam em capitéis vegetalistas que coroam colunas monolíticas, cujas bases repousam em plintos. Os alçados laterais mostram a proeminência da nave central em relação as laterais, onde no lado N., a nível das frestas do clerestório aparecem vestígios de um arco em ferradura. No lado esquerdo, depois do portal lateral, erguem-se dependências anexas de diferentes perfís e uma torre sineira rematada por um cupulim. As coberturas são em telhado de 2 águas na nave central e de 1 água nas laterais. O interior recebe luz pelas janelas das naves, óculo da fachada principal e janela geminada da cabeceira. As naves são divididas por colunas que recebem os arcos quebrados portantes dos tectos em madeira. A 1ª capela do lado direito de quem entra é coberta por uma abóbada artesoada, enquanto a do lado contrário possui uma cúpula. Todas as capelas possuem retábulos em talha e algumas são revestidas a azulejo. Na torre sineira vestígios de decoração esgrafitada.

Acessos

Largo do Batalhão Sapadores do Caminho de Ferro

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto n.º 9 842, DG, 1.ª série, n.º 137 de 20 junho 1924 / ZEP, Portaria n.º 425/85, DR, 1.ª série, n.º 152 de 05 julho 1985

Enquadramento

Urbano; a igreja tem a sua fachada principal voltada para um amplo largo , as outras fachadas estão separadas do casario por ruas estreitas.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 13 / 16 / 17

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

1251, 20 de Março - D. João Viegas, Arcebispo de Braga encarrega os frades dominicanos Fr. Paio e Fr. Pedro de construirem a igreja matriz de Faro assim como outras igrejas do Algarve; 1266 - foral por D. Afonso III no qual o monarca reserva para si o direito do padroado das igrejas construidas e a construir em Loulé e seu termo; 1298, 04 de Dezembro - doação da igreja à ordem dos Cavaleiros de Santiago; 1565 - Visitação que descreve pormenorizadamente a igreja; a capela da Senhora da Consolação foi edificada por Fernão Piz Camacho, que nela está sepultada; 1719 - revestida de azulejos; 1969 - estragos provocados pelo sismo; 2004, Abril - Abertura pela DGEMN - DREMS para arranjo da Praça.

Dados Técnicos

Materiais

Bibliografia

ATAIDE DE OLIVEIRA, Francisco, Monografia do Concelho de Loulé, Porto, 1905; Guia de Portugal, Vol. 2, Lisboa, BNL, 1927; FEIO, António, artigo no Correio do Sul, Faro, Novembro de 1951.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Arquivo Distrital de Braga: gaveta 1ª

Intervenção Realizada

Pároco Carlos Genovez Pereira: Séc. 20 - subtituição forro do templo por um telhado de telha Marselha; DGEMN, 1939 a 1943 foram feitas diversas obras de restauro: apeamento do coro, limpeza e tomada de juntas em silharia, reparação do pavimento de madeira, construção de um guarda-vento e de um coro, reparação de elementos de cantaria. 1961, assentamento de uma porta na torre, demolição de telhados em ruínas, refechamento de fendas existentes em paredes e abóbadas; 1969 - substituição de telha marselha por românica e portuguesa; demolição das abóbadas existentes e construção de tectos em madeira com barrotes arrincoados para ficar à vista; consolidação da parede da fachada principal e da sua ligação com as paredes que dividem as naves, desentaipamento das frestas que se situam nestas paredes; 1971- Reparação do pavimento de madeira das naves, reconstrução de rebocos, fornecimento e assentamento de cantaria nos degraus da porta lateral; 1972 - demolição dos pavimentos em mau estado e reconstrução dos mesmos em tijoleira prensada; reconstrução de rebocos em mau estado e reparação dos paramentos da torre sineira; 1973, reparação dos telhados; 1975 - 1977 - continuação da reparação dos telhados; 1979 - reconstrução dos telhados da capela lateral esquerda e sacristia, reparação da fresta da entrada principal; reparação da instalação eléctrica; 1980 - reconstrução de rebocos salitrosos; 1984 - reparação de telhados e reconstrução de rebocos salitrosos; 1989 - reparação das coberturas e caixilharias; 1990 - reparação de rebocos; 2000 - 2001 ( em curso) - Obras de recuperação geral: conservação e recuperação de coberturas, revisão de rebocos e caixilharias, conservação da torre sineira incluindo remossão de argamassas degradadas, preenchimento de rombos, protecção das alvenarias de modo a preparar um a futura recuperação dos revestimentos decorativos, nomeadamente os esgrafitos, recolocação de pedra com cruz esculpida caída da parede lateral e de pedra lisa no soco que se encontra deslocada, revisão dos cabeçotes dos sinos.

Observações

Autor e Data

João Neto 1991

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login