Igreja Paroquial de Martim Longo / Igreja de Nossa Senhora da Conceição

IPA.00002835
Portugal, Faro, Alcoutim, Martim Longo
 
Arquitectura religiosa, manuelina. Igreja paroquial de três naves e ábside rectangular, cobertas em madeira. Fachada com torre sineira avançada e contrafortes cilíndricos. Pondera-se a hipótese de ser um protótipo da arte gótico-manuelino-mudéjar.
Número IPA Antigo: PT050802030001
 
Registo visualizado 369 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Igreja de planta longitudinal composta de 3 naves e capela-mor rectangular, volumes articulados. As coberturas são em telhado de duas águas, na nave central e outras dependências e de uma água nas colaterais. Fachada principal de dois panos, onde, no maior, se abre o portal de perfil quebrado com um só colunelo, e sobre este um janelão moldurado. Coroa o conjunto um frontão contracurvado. Ao outro pano, mais avançado, corresponde a torre sineira. Nos alçados laterais nota-se a proeminência da nave central em relação às colaterais. O lado S. é marcada, ao longo da nave por três contrafortes e por uma torre também cilíndrica. Duas pequenas janelas e um portal, mais simples que o principal, abrem-se entre os contrafortes. Ladeiam a capela-mor duas construções anexas. No alçado N., correspondente ao primeiro tramo encontra-se o Baptistério. No interior colunas lisas e baixas, com capitéis oitavados marcam os 4 tramos das naves e suportam arcos quebrados, com decorações pictóricas, que sustêm a cobertura de madeira.

Acessos

Largo da Igreja

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 47 508 DG, 1.ª série, n.º 20 de 24 janeiro 1967

Enquadramento

Urbano destacado. Situa-se num amplo largo que a separa do aglomerado habitacional.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese do Algarve)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 15 / 16 / 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1969 - estragos provocados pelo sismo.

Dados Técnicos

Materiais

Cantaria aparelhada, alvenaria, madeira, talha, telha e vitral.

Bibliografia

AZEVEDO, Correia de Algarve Monumental, s.l., 1977; Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1976; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/72964 [consultado em 5 agosto 2016].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

DGEMN: 1968 - a igreja encontrava-se em completo estado de ruína, com o corpo principal sem telhados e pavimentos. Procedeu-se a demolição de alvenarias, pavimentos, tectos e telhados em ruína e à sua reconstrução. Foi posto a descoberto o antigo pavimento da igreja depois de efectuadas escavações. Foram colocadas portas exteriores e interiores e caixilhos que receberam vitrais, com vidro catedral em vários tons. Restaurou-se as pinturas em paredes e cantarias, bem como os altares de talha; 1980 - demoliu-se um maciço de alvenaria que prejudicava o conjunto da capela-mor. Reconstrução dos pavimentos das naves capela-mor e sacristia utilizando tijoleira prensada. Assentaram degraus de cantaria na capela-mor. Reconstrução de rebocos; 1981 - Rectificação das frestas das naves laterais, empregando alvenaria de tijolo. Assentamento de vitrais nas frestas das naves laterais.

Observações

A capela-mor alberga um retábulo em talha. A pia baptismal assenta num pé decorado com carrancas. A actual igreja deve ter sucedido a um templo Islâmico, como comprovam a torre cilíndrica, que serve de acesso à sineira, provavelmente restos de um antigo minarete.

Autor e Data

João Neto 1991

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login