Palacete dos Viscondes de Balsemão

IPA.00028274
Portugal, Porto, Porto, União das freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória
 
Palacete setecentista de planta rectangular simples, de dois pisos, com fachada principal de acentuado desenvolvimento horizontal, simétrica, flanqueada por pilastras e rematada por friso, cornija e platibanda ritmada por balaustres e encimada ao centro por pedra de armas colossal. Rasgam a fachada vãos rectilíneos, protegidos, os do piso superior, por varandas em ferro forjado. Interior com escadas de cantaria de acesso ao piso superior, salas intercomunicantes, com coberturas em gesso.
Número IPA Antigo: PT011312150514
 
Registo visualizado 524 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial unifamiliar  Casa  Palacete  

Descrição

Planta rectangular de disposição horizontalista, composta por três núcleos arquitectónicos, o edifício principal, um edifício de menores dimensões, anexo lateralmente e um torreão de traça triangular, interligados e intercomunicantes. Volumes diferenciados e articulados com coberturas diferenciadas em telhados de duas, três e quatro águas. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, percorridas por embasamento de cantaria de granítico, circunscritos por cunhais apilastrados e rematados em friso, cornija saliente e platibanda pontuada por composições de balaústres. Fachada principal do edifício principal, orientada a O., definida por dois registos separados por friso, apresentando, no primeiro registo, portal de verga recta, emoldurado a granito, ao centro, ladeado por quatro vãos de janela, de verga recta, destacados por moldura de cantaria de granito, e encimados por cornija recta, de cada lado. O segundo registo, que corresponde ao segundo piso, é rasgado por nove janelas de sacada, inseridas em molduras idênticas às do primeiro piso. A fachada principal do edifício lateral, segue a mesma linguagem arquitectónica do edifício principal, apresentado no primeiro piso, porta e janela, e no segundo duas janelas de sacada. O torreão, integrado na construção, é apenas perceptível ao nível do terceiro piso. A fachada lateral, orientada a SE, é rasgada por porta e três janelas, ao nível do primeiro piso, e cinco janelas ao nível do segundo, sendo quatro de sacada e a central simples. Fachada E., com acesso por portão de ferro a partir da Travessa das Oliveiras, encontra-se voltada para um pátio que servia de acesso aos jardins e hortas. O INTERIOR apresenta ao nível do primeiro piso um amplo átrio, com pavimento e embasamento de pedra, paramentos forrados a azulejo de padrão, tectos estucados, pintados de branco, dividido por arcos abatidos, assentes em pilastras. Do átrio parte uma escadaria de um só lanço até ao primeiro patamar, subdividindo-se, a partir daqui, em dois lanços paralelos, com guardas em ferro trabalhado, que conduzem ao andar nobre. Acompanha a escadaria uma lanterna rasgada por oito janelas. Todas as salas apresentam tectos em estuque trabalhados e trabalhados e pintados. O salão de baile apresenta um tecto abobadado com motivos musicais e um pequeno varandim, com vistas para toda a sala.

Acessos

Praça Carlos Alberto, nº 71, Travessa das Oliveiras

Protecção

Incluído no conjunto das edificações da Rua de Cedofeita e topo Norte da Praça de Carlos Alberto (PT011312040073)

Enquadramento

Urbano, destacado, implantado a NE da Praça Carlos Alberto, delimitado lateralmente pela Travessa das Oliveiras e envolvido na sua maioria por edificações do séc. XVIII e XIX, que caracterizam a malha urbana onde se insere. Próximo, caminhando para sul encontra-se a Igreja dos Terceiros do Carmo (v. PT011312150182), Igreja e Antigo Convento dos Carmelitas Descalços (v. PT011312150107), a Fonte dos Leões (v. PT011312150102), o Edifício da Antiga Faculdade de Ciências (v. PT011312150277), a Igreja e Torre dos Clérigos (v. PT011312150003) e o Antigo Edifício da Cadeia e Tribunal da Relação do Porto (PT011312150017).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Residencial: casa

Utilização Actual

Politica e administrativa: departamento municipal

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afactação

Época Construção

Séc. 18

Arquitecto / Construtor / Autor

PINTOR: Francisco José Resende.

Cronologia

1700 (2ª metade) - Construção do palacete pelo fidalgo José Alvo Brandão, no então designado Largo dos Ferradores; 1800 - por casamento de D. Maria Rosa Alvo com o seu primo co-irmão, Luís Máximo Alfredo Pinto de Sousa Coutinho, mais tarde 2º Visconde de Balsemão, a casa passa para a família Balsemão; 1834 / 1837 - já após a morte do 2º Visconde de Balsemão, funcionaram provisoriamente no palacete, as aulas da Academia Politécnica do Porto, enquanto as instalações da Academia se encontravam ocupadas pelo Hospital Militar, durante as Lutas Liberais; 1840 - António Bernardino Pexe ou Peixe, aluga o edifício e transfere lá a sua hospedaria da Rua do Bonjardim; 1849, Abril - Carlos Alberto, rei do Piemonte e da Sardenha, refugiado em Portugal após a derrota na célebre Batalha de Novara, enquanto aguardava que a casa, onde se iria instalar ficasse pronta, instalou-se na hospedaria do Peixe; 1852 - o largo dos Ferradores passou a designar-se de Praça Carlos Alberto; 1854 - o palacete é adquirido pelo 1º Visconde da Trindade, José António de Sousa Basto, grande proprietário e capitalista, que introduz profundas alterações no edifício; 1885/1886 - o pintor Francisco José Resende executa quatro quadros, (D. Luís I, D. Maria Pia, Príncipe D. Carlos e o Infante D. Afonso) encomendados pelo Conselheiro José Guilherme Pacheco, entretanto distribuídos por várias instalações municipais; 1862 - os reis D. Luís I e D. Maria Pia, visitam o palacete onde esteve hospedado o rei Carlos Alberto, avô de D. Maria Pia; 1907 - o edifício serviu de sede à Companhia de Gás do Porto; 1920 - aos Serviços Municipalizados de Gás e Electricidade do Porto; 1959 - a Câmara Municipal do Porto comprou o edifício aos herdeiros dos Viscondes da Trindade; 1988 - a EDP deixa o edifício; 1996 - a câmara instalou no edifício a sede da sua Direcção de Cultura; 2004 - os quadros foram reunidos, restaurados e expostos no palacete dos Balsemão.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Paredes de alvenaria rebocada e pintada de branco; cornija, cunhais, soco, pedra de armas e guarnição dos vãos da frontaria de granito; guarda-corpos das sacadas de ferro forjado; caixilharias das janelas de madeira com vidro simples; portas de madeira; tectos em gesso trabalhado e/ou pintado; cobertura exterior em telha cerâmica; escada interior de granito; pavimentos de madeira, granito ou tijoleira.

Bibliografia

CABRAL, Luís, O Palacete dos Viscondes de Balsemão: Breve História, Câmara Municipal do Porto, Porto, 2000.

Documentação Gráfica

CMP

Documentação Fotográfica

IHRU: SIPA

Documentação Administrativa

CMP

Intervenção Realizada

Séc. 19 - Alterações profundas em todo o edifício, adquirindo o aspecto actual.

Observações

Autor e Data

Ana Filipe 2009

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login