Núcleo urbano da cidade do Montijo

IPA.00028129
Portugal, Setúbal, Montijo, União das freguesias de Montijo e Afonsoeiro
 
Núcleo urbano sede municipal. Cidade implantada em margem fluvial. Vila medieval de jurisdição de ordem religiosa militar (ordem de Santiago) e porterior jurisdição régia. Cidade contemporânea.
Número IPA Antigo: PT031507020043
 
Registo visualizado 1181 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto urbano  Aglomerado urbano  Cidade  Povoação medieval  Povoação medieval  Ordem religiosa militar (Ordem de Santiago)

Descrição

Acessos

A12, EN119; IC3, EN4, EN252

Protecção

Inclui Igreja Matriz do Montijo (v. PT031507020001) / Igreja da Misericórdia do Montijo (v. PT031507020002) / Casa da Quinta do Pátio de Água e Ermida de Santo António (v. PT031507020007) / Ermida de São Sebastião (v. PT031507020010) / PDM - Plano Diretor Municipal, Resolução de Conselho de Ministros n.º 15/97, DR, 1.ª série-B, n.º 27 de 1 fevereiro 1997

Enquadramento

Situado em margem fluvial, na unidade de paisagem do Arco Ribeirinho Almada-Montijo (v. PT031506030040). A cidade do Montijo localiza-se num dos esteiros da margem esquerda do Tejo, entre as cotas altimétricas 0 e 25 m. O núcleo urbano inicial desenvolveu-se um pouco afastado da orla ribeirinha, por esta ser uma zona com extensas áreas de sapal. A área de expansão urbana cresceu para todos os quadrantes, transformando o Montijo num dos mais populosos centros urbanos a sul do Tejo. O concelho do Montijo, territorialmente descontínuo, é constituído por cinco freguesias: Montijo, Atalaia, Sarilhos Grandes, Canha e Pegões. A área da sede do município é limitada pelos concelhos de Alcochete a E., Palmela a SE., Moita a SO., Lisboa e Loures a SO., através do estuário do Tejo; a outra área do município, situada a cerca de 20 km, a E., tem como limites os concelhos de Coruche a NE., Montemor-o-Novo a E., Vendas Novas a SE., Palmela a NO. e Benavente a NO.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Não aplicável

Utilização Actual

Não aplicável

Propriedade

Não aplicável

Afectação

Não aplicável

Época Construção

Séc. 16 / 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1186 - D. Sancho I entrega a D. Paio Peres (mestre da ordem de Santiago) coutos e herdades junto ao Tejo; 1210, após - início do povoamento dos coutos; 1385 - confirmação dos privilégios dados por D. João I; 1445 - carta régia de afectação das terras de Aldeia Galega à rainha D. Isabel; 1514, 15 Setembro - concessão de carta de foral à Aldeia Galega por D. Manuel I; 1515, 17 Janeiro - concessão de novo foral por D. Manuel I em conjunto com Alcochete; 1533 - a Aldeia Galega torna-se a sede principal da Posta Sul, e um local de passagem de Lisboa para o sul ou Espanha; 1552, setembro - incorporação do mestrado de Santiago na Coroa, passando a ordem e seus bens a depender do rei; 1559 - separação definitiva de Aldeia Galega de Alcochete; séc. 19 - mudança da economia local, baseada na agricultura e piscicultura, para o comércio e transformação de gado suíno; 1835 - criação da Comarca de Aldeia Galega; 1879 - Aldeia Galega passa a denominar-se Aldegalega do Ribatejo; séc. 20, 1ª metade - industrialização da zona, com a instalação de fábricas corticeiras e expansão da indústria ligada ao gado suíno; 1963 - extinção da malaposta do Alentejo; 1908 - a inauguração da linha-férrea entre Aldegalega e Pinhal Novo impulsiona o desenvolvimento económico da vila; 1911 - inauguração da luz eléctrica; 1930, 6 julho - a vila e o concelho de Aldegalega do Ribatejo passam a denominar-se Montijo; 1985, 14 agosto - elevação a cidade; 2013, 28 janeiro - criação da União das Freguesias dee Montijo e Afonsoeiro por agregação das mesmas, pela Lei n.º 11-A/2013, DR, 1.ª série, n.º 19.

Dados Técnicos

Não aplicável

Materiais

Não aplicável

Bibliografia

COSTA, António Carvalho da, Corografia Portuguesa, Lisboa, 1706, tomo III, p.323; LUCAS, Isabel, Subsídios para a História do Concelho do Montijo - Cronologia Geral, 2ª edição, Câmara Municipal do Montijo, 1997; NABAIS, António, Foral de Alcochete e Aldeia Galega (Montijo) - 1515, Câmaras Municipais de Alcochete e Montijo, 1995; PEREIRA, Nuno Teotónio, COELHO, Helder Paiva, LOPES, Isabel Costa, BUARQUE, Irene, Montijo, Um património a preservar, Arquitectura doméstica de expressão protomoderna, Edições Colibri, Câmara Municipal de Montijo, 2007.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO

Autor e Data

Anouk Costa 2011

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login