Capela de Nossa Senhora da Conceição

IPA.00002804
Portugal, Coimbra, Figueira da Foz, Buarcos
 
Capela renascentista, manuelina e barroca, de planta retangular regular de nave única com duas capelas laterais a salientarem um falso transepto para o exterior. Espaço interno, claro e bem organizado. Púlpito circular quinhentista decorado escultóricamente com querubins, com vestígios de policromia, assente em coluna cujo fuste é decorado com querubins e frutos, numa modinatura típica do Renascimento coimbrão, círculo de Nicolau Chanterene. Revestimento de azulejos de produção coimbrã, início do séc. 18, integrando albarradas e figura avulsa, no qual se destacava a data e autor da encomenda.
Número IPA Antigo: PT020605040010
 
Registo visualizado 749 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Edifício de planta retangular regular com uma nave, duas capelas a salientarem um falso transepto para o exterior, de massa simples. Cobertura diferenciada em telhados de duas águas na nave e capela-mor que se prolonga em aba corrida nas capelas laterais e uma água na sacristia. Fachadas com embasamento proeminente *1. Fachada principal de dois registos, inserindo-se no primeiro o portal ao qual se acede por dois degraus desiguais, apresentando verga saliente em arquitrave e ombreiras rectas. No segundo, janelão de moldura rectangular. Remate em empena coroada por cruz no vértice, apresentando do lado esquerdo uma pequena sineira, em forma de templete, com pilastras capitelizadas e arquitrave coroada por pequeno pináculo. Fachada lateral direita possui uma porta com idêntica implantação à descrita; acesso feito através de três degraus; pequena janela no corpo da sacristia. Fachada lateral esquerda apresenta idêntica organização, com janelo no corpo da capela-mor e portal de verga recta encimado por friso, onde está inscrita a data de 1536, e por cornija. Fachadas laterais com remate em beiral simples. Fachada posterior aberta no corpo da sacristia por porta, sem moldura, com acesso por perquena escada de quatro degraus, adossada à parede; remate em empena. INTERIOR de uma nave, iluminado apenas pelo janelão da fachada principal. Cobertura em tecto de três planos de madeira; pavimento em tijoleira. No corpo da nave, do lado do Evangelho, púlpito circular quinhentista (proveniente de Santa Cruz dos Redondos), decorado escultóricamente com querubins, com vestígios de policromia, assente em coluna de balaústre cujo fuste é decorado com querubins e frutos; acesso efectuado por escada em pedra adossada à parede com corrimão em madeira; à direita do púlpito, junto à porta lateral, adossada à parede, uma pia de água benta de taça com rebordo saliente e gomos esculpidos. Na entrada do templo existe uma outra pia de água benta, encastrada na parede. Capelas laterais de arco pleno, emoldurados por cercadura de azulejos *2, com retábulos setecentistas, de talha dourada, destacam-se do corpo da nave através de um degrau. Do lado do Evangelho a capela dedicada ao Senhor Jesus dos Pescadores, com retábulo de planta plana de um eixo vertical com dois pares de colunas torsas, assentes em atlantes, que se prolongam em arquivolta constituindo ático, e intradorso da tribuna dividido em apainelados decorados com rosetões; do lado da Epístola altar dedicado a São João Baptista, com retábulo de planta recta e três eixos definidos por quatro colunas torsas que se prolongam em duas arquivoltas formando ático; no eixo central nicho com a imagem do orago e sob o qual se encontra o sacrário; nos eixos laterais mísulas com imaginária. Ao lado de cada um dos altares um pequeno nicho em cantaria (credência) aberto na parede. Arco triunfal em arco de volta perfeita assente em impostas salientes, aberto em parede revestida a azulejos do início do séc. 18, de produção coimbrã, em azul e branco, organizados em dois registos. O registo inferior simula silhar de composição ornamental com figuras infantis e balaústres, sendo o registo superior (até ao tecto) de azulejo de figura avulsa; nas paredes da nave o silhar é de albarradas e balaústres. Capela-mor mais baixa e pouco profunda com cobertura em falsa abóbada de berço sobre friso e cornija de cantaria e paredes revestidas de azulejo de padrão azul em fundo branco e barra de motivos vegetalistas; altar-mor sobre supedâneo de um degrau, com retábulo de talha dourada, de planta côncava de um eixo ladeado por dois pares de colunas torsas que se prolongam em arquivolta constituindo ático, decoradas com motivos vegetalistas e zoomórficos; imagem de Nossa Senhora da Conceição, escultura policromada, no nicho central; cobertura da tribuna em caixotões. Do lado direito abre-se porta de acesso à sacristia, com falsa abóbada e pavimento cerâmico.

Acessos

Lardo da Igreja da Conceição, Rua 5 de Outubro, junto da antiga Praça de Buarcos e dela separada pela Estrada que da Figueira da Foz leva ao Cabo Mondego

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 44 075, DG, 1ª série, n.º 281 de 05 dezembro 1961 / ZEP, Portaria nº 337/2011, DR, 2ª série, n.º 27 de 8 fevereiro 2011

Enquadramento

Urbano, isolado, destacado, junto da antiga muralha defensiva (v. PT020605040009), dela separada pela Rua 5 de Outubro, envolvida por casario, a N. construções de desenhos e cores dissonantes.

Descrição Complementar

AZULEJO - NAVE: Paredes resvestidas de azulejos formando silhar (15 azulejos de altura); composição ornamental seriada: motivos de albarradas (jarras de flores ladeadas por pássaros) separadas umas das outras por balaustres. Rodapé composto por fiada de meio azulejo de padrão (reaproveitamento posterior) e fiada de azulejo branco. Parte superior do silhar limitada por barra de motivos vegetalistas formando padrão de 2 x 2 azulejos. Monocromia: azul em fundo branco. Início séc. 18. ARCO de acesso à capela-mor: totalmente revestido de azulejo organizado em dois registos: registo inferior: 8 azulejos de altura: uma figura infantil entre dois balaustres, segura cornucópia de flores. Cercadura com motivos geométricos - losangos - marca a transição para o registo superior. Registo superior: azulejos de figura avulsa, produção coimbrã, revestem a parede até ao tecto. Na parte central por cima do arco, vestígios de um registo de azulejo representando Nossa Senhora da Conceição, tendo inscrição e data *5. Estes azulejos foram dispersos entre os azulejos de figura avulsa. Apenas se identifica a cabeça de Nossa Senhora, o sol, a lua, e alguns elementos da legenda. Uma cercadura de azulejos de padrão de motivos vegetalistas, 2 x 2 azulejos, delimita os arcos de pedra das capelas laterais. CAPELA-MOR: paredes revestidas de azulejo de padrão (4 x 4 azulejos); monocromia: azul em fundo branco; barra: motivos vegetalistas.

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Religiosa: capela

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Coimbra)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16 / 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

1536 - Datação encontrada na ombreira do portal existente na fachada lateral esquerda *3; 1602 - quando do incêndio e saque de Buarcos pelos ingleses foi despojada esta igreja das suas melhores relíquias; 1714 - data inscrita no painel de azulejos representando Nossa Senhora da Conceição, que se encontra na parte superior do arco triunfal. Esta data corresponde provavelmente à realização de todo o revestimento de azulejos da capela; 1721 - informações paroquiais falam de Buarcos, sua localização e nome da igreja, Santa Maria de Ribas, declarando desconhecer a data de fundação *4; 1783 - arranjos no interior da igreja; séc. 19 - com a extinção da freguesia de Redondos, foi demolida a igreja de Santa Cruz, tendo o púlpito passado para esta capela; 1966 - pedida a desclassificação da capela por esta resultar um inconveniente para a beneficiação da "curva da Fortaleza de Buarcos"; 15 de Dezembro - o Ministério da Educação Nacional mantém a classificação da capela; 1979 - a capela ameaçava ruina;

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Pedra, talha, azulejo, vidro, telha, madeira.

Bibliografia

CORREIA, Vergílio , Inventário Artístico de Portugal, Vol. IV, Lisboa, 1953, p. 94; SANTOS SlMÕES, J. dos, Azulejaria em Portugal no Séc. XVIII, Lisboa, 1979, p. 149; MADAHIL, A. da Rocha , A Figueira da Foz e as freguesias do seu actual Concelho descritas em 1721, in Album Figueirense, I, (7), p. 220; PEREIRA, Isabel, Os imóveis classificados do Concelho da Figueíra da Foz, 1975, Figueira da Foz; Notícia da vila de Buarcos, comarca de Coimbra que deu o Juiz ordinário della o Capitão Damião dos Reis Coelho escreveo e assinou também Joseph Velho Pinto escrivão da Comarca da mesma Vila, sem data do dia, mês e ano, mas do ano de 1721 in Manuscritos transcritos por Mesquita de Figueiredo, XVI, p. 35; Idem, Memórias Paroquiais, 1783, Buarcos, XVI, p.155; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/73665 [consultado em 18 agosto 2016].

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMC

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMC

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMC

Intervenção Realizada

DGEMN: 1979 - reconstrução da cobertura; 1980 - reparação da instalação eléctrica; 1981 / 1982 - obras gerais de conservação: picagem e reconstrução do reboco; levantamento, tratamento e assentamento do azulejo; assentamento de portas, caixilhos e portadas em vãos exteriores; execução do tecto em madeira; beneficiação das paredes e tecto da sacristia; beneficiação do pavimento com levantamento do existente e assentamento de lajedo na capela-mor; assentamento de tijoleira no corpo da capela e sacristia; reparação do sino e beneficiação da cruz de cantaria; 2005 - iluminação da capela

Observações

*1 - Provocado provavelmente pelo arranjo e uniformização de cota na Av. 5 de Outubro; *2 - Sofreram restauro ou reassentamento, como se comprova pela barra de motivos desencontrados e de várias origens que se encontra junto do pavimento. Este foi remodelado, tendo-se na altura encontrado lajes sepulcrais com desenhos incisos e legendas, de que não se encontra hoje vestígios. *3 - Não sabemos se esta datação corresponde à fundação da igreja ou à campanha que edificou o portal. A decoração escultórica do púlpito não parece desmerecer esta cronologia. Inicialmente construída em honra de Nossa Senhoras das Ribas, mudou de orago depois da restauração da independência. *4 - O Juiz ordinário de Buarcos, capitão Damião dos Reis Coelho, em notícia sobre a Vila, fala da capela de Nossa Senhora da Conceição considerando-a como o maior templo da vila antes da construção da igreja de São Pedro em 1581. *5 Santos Simões (Azulejaria em Portugal no séc. 18, p. 149) refere a legenda do registo de azulejos " ESTA OBRA MANDOU ...... ZER O DOUTOR DUA.....DE BRITO ERA DE 1714" (Esta obra mandou fazer o doutor Duarte de Brito na era de 1714).

Autor e Data

Maria João Grilo / Fernando Grilo 1996, Cecília Matias e Paula Correia 2004

Actualização

Carlos Amaral 2005
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login