Horto do Paço das Alcáçovas / Horto do Paço dos Henriques / Horto do Paço Real da Vila

IPA.00002776
Portugal, Évora, Viana do Alentejo, Alcáçovas
 
Horto de Recreio de tipologia mudéjar, adjacente a Paço real (v. IPA.00002861), apresentando capela, tanque, nora, poço, aqueduto, casa de fresco, apresentando enorme riqueza decorativa, em particular o espaldar de embrechados junto do tanque e a capela, constituindo-se com um valioso conjunto arquitectónico de prazer, referência do movimento paisagista a sul da época quinhentista. Destaque para a pequena escala do conjunto, que mantem todas as caraterísticas de compartimentação do espaço em pequenos subespaços que consubstânciam a concepção formal do jardim português, ao qual se associa uma adjetivação decorativa de elevada qualidade artística, nichos, pavilhões, pilares, alegretes, tanques, varandins e embrechados, que contrastam com a simplicidade formal de organização do espaço.
Número IPA Antigo: PT040713010012
 
Registo visualizado 237 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Espaço verde  Espaço de cultivo  Horto      

Descrição

Horto de planta regular, fechado e murado (com pilastras piramidais ritmando o muro). Estrutura ortogonal, plana com suave pendente. O acesso rasga-se no muro que o separa da Rua do Paço e é sublinhado por elemento arquitectónico que se destaca do exterior pela sua volumetria, em forma de torreão. No interior, sob uma galilé revestida de embrechados e encimada por uma pirâmide desenvolve-se um espaço de antecâmara de onde partem dois eixos, um transversal, cujo término é um nicho, localizado no interior do Horto mas não em posição central, na fachada frontal da galilé rasgam-se dois nichos de alvenaria; o outro eixo desenvolve-se paralelamente ao muro (num dos extremos encontra-se a Capela de Nossa Senhora da Conceição) e oferece-se como um corredor ao longo do qual é possível estabelecer relações visuais com os canteiros do interior do Horto, percorre todo o perímetro do espaço, abrindo-se em miradouro no troço confinante com a Praça da República, onde se encontra todo o equipamento de lazer, como bancos, alegretes e janelas conversadeiras que assinalam os seus extremos. Ao longo do muro do miradouro encontram-se alegretes adossados funcionando como elemento estruturante. Os talhões que se situam entre o eixo transversal e o muro que confina com a rua do Açougue encontram-se sobrelevados em relação aos caminhos. Polarizando este espaço destaca-se o Poço (da antiga nora) de onde parte um pequeno aqueduto que transporta água para um tanque localizado no talhão junto à Capela.

Acessos

Rua do Paço / Praça da República / Rua do Relógio / Rua Dr. Aleixo Abreu

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 45/93, DR, 1.ª série-B, n.º 280, de 30 novembro 1993 *1

Enquadramento

Urbano, coroando pequena colina de suaves pendentes, flanqueado pelos edifícios do núcleo fundador do castelo, projectado mas nunca edificado, harmonizado com o meio envolvente. Adjacente, fica o Paço real das Alcáçovas (v. IPA.00002861), separado do Horto pela Rua do Paço.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Produtiva: horto / Recreativa: jardim

Utilização Actual

Recreativa: jardim

Propriedade

Privada: pessoa colectiva / pública: municipal

Afectação

Época Construção

Séc. 15

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

Séc. 13 - fundação; 1457 - realizam-se no Paço (v. IPA.00002861) os matrimónios das Infantas D. Isabel e D. Beatriz, filhas de D. João de Castela e de D. Fernando de Portugal, com D. João II de Castela e D. Fernando Duque de Viseu; 1479 - D. Afonso V recebe no Paço a embaixada de Garcia Sanchez deToledo para a assinatura do Tratado de Alcáçovas pondo termo à Guerra da Sucessão de Espanha; 1495 - nela lavrou testamento D. João II; 1568 - reforma integral do edifício a que se deve o seu aspecto actual; 1622 - edificação capela de São Jerónimo; 1990 - constituído Grupo de Amigos das Alcáçovas, para aquisição do Paço ao seu proprietário Ana Maria de Lencastre e Caetano de Lencastre; 1994, 30 de setembro - escritura de venda ao Estado; 2004, 19 março - Abertura concurso pela DGEMN - DREMS para obras de beneficiação geral.; 2013, 09 agosto - publicado no DR, 2.ª série, n.º 153 o Anúncio de Procedimento n.º 4072/2013 - Empreitada de Reutilização do Paço dos Henriques, Capela de Nossa Senhora da Conceição e Jardins.

Dados Técnicos

Materiais

INERTES: seixo rolado (pavimentos), em alvenaria de tijolo e de pedra revestida e caiada (muretes e muros). VEGETALs: espécies arbóreas esparças, destacando-se uma oliveira (Olea europaea) e um loureiro (Laurus nobilis), arbustos e herbáceas perenifólios

Bibliografia

CARITA, Hélder e CARDOSO, Homem - Tratado da Grandeza dos Jardins em Portugal ou da originalidade e desaires desta arte, 1978; ESPANCA, Túlio - Inventário Artístico de Portugal. Lisboa: ANBA, 1978, vol. IX; SILVA, André Lourenço - os Embrechados do Paço das Alcáçovas. Ed. Esfera do Caos, 2012 (não consultado).

Documentação Gráfica

DGPC: DGEMN/DREMS

Documentação Fotográfica

DGPC: DGEMN/DSID; UE

Documentação Administrativa

DGPC: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMS

Intervenção Realizada

Observações

*1 - classificado (Jardim) conjuntamento com o Paço dos Henriques (v. IPA.00002861)

Autor e Data

Ana Aguiar 1997

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login