Igreja e Convento das Maltezas / Igreja da Santa Casa da Misericórdia de Estremoz / Centro de Ciência Viva

IPA.00002758
Portugal, Évora, Estremoz, União das freguesias de Estremoz (Santa Maria e Santo André)
 
Arquitectura religiosa, residencial e de saúde, manuelina. Antigo solar com as características da arquitectura aristocrática quatrocentista e quinhentista do aro de Estremoz. O presépio possui cenas pouco comuns, como o ciclo que envolve a "Fuga para o Egipto" e um grupo de assadores de castanhas.
Número IPA Antigo: PT040704060013
 
Registo visualizado 1548 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Convento / Mosteiro  Mosteiro feminino  

Descrição

Planta composta por Igreja e claustro adossado a S. em redor do qual se organizam as várias depêndencias conventuais. Fachada principal rasgada por portal de verga recta, sobreposto de nicho rodeado de aletas e encimado por volutas e cruz, ostentando a data "1749". Claustro de planta rectangular imperfeita e dois andares, tem quatro tramos de arcaria em cada ala. No piso térreo, os arcos de aduelas em meia-cana de três arquivoltas, descansam em colunelos marmóreos, com bem lavrados capitéis de acanto e bases quadrangulares esquinadas. O piso superior rasga-se em vãos de arco muito abatido, de verga quase horizontal, carregada sobre pilares quadrangulares rematados de fina imposta. Tinha já há muito duas alas cegas, entaipadas, mas tem agora as restantes envidraçadas, com caixilharia de alumínio e vidros martelados. A O. a Portaria , tendo no portão da galilé de acesso a data "1757". Presépio representa a "Sagrada Família", "Adoração dos Pastores", "Cortejo dos Reis Magos" no canto superior direito, "Fuga para o Egipto", "Descanço durante a Fuga para o Egipto" e "Regresso do Egipto", um grupo de assadores de castanhas; decoração com flores de papel.

Acessos

Rossio Marquês de Pombal

Protecção

Categoria: MN - Monumentos Nacional, Decreto n.º 9 842, DG, 1.ª série, n.º 137 de 20 de junho 1924 / ZEP, Portaria, DG, 2.ª série, n.º 119 de 20 de maio 1960 (Claustro da Misericórdia)

Enquadramento

Urbano. Edifício hoje embebido no casario, numa praceta da cidade.

Descrição Complementar

INSCRIÇÕES: capela adossada a SO.: " BEATISSIMA VIRGINI / MARIAE / DE MONTE CARMELLO / JOANNIS V ET MARIAN / NAE AUSTRIACAE / LUSITANORUM REGUM / PETRUS FILIUS / EQUITUM MILITENSIU / IN LUSITANIA / PRAESES / SACELLM HOC EX. / TRULIUSSI TETEXTRU / CTUM DICARE / MENSE MAIJ / ANNO M.DCCLXVI"

Utilização Inicial

Religiosa: mosteiro feminino

Utilização Actual

Religiosa: igreja de confraria / irmandade / Educativa: instituto superior

Propriedade

Privada: Misericórdia

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 15 / 16 / 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

Séc. 15 / 16 - data provável construção piso térreo; 1538, 10 Maio - carta do provedor e irmãos da Misericórdia de Estremoz, estabelecida junto à Igreja de São Miguel ou do Anjo da Guarda, pedindo ao rei madeira para consertarem parte da igreja que está arruinada; Séc.16, 2ª metade - data provável construção piso nobre; 1610 - o antigo Hospital de Nossa Senhora dos Mártires de Estremoz (v. IPA.00035644), então já incorporado na Santa Casa da Misericórdia muda-se para a Porta Novaonde onde possuía instalações e igreja; Séc. 18 - execução do presépio; 1749 - data nicho junto ao portal principal; 1757 - data no portão da galilé de acesso à Portaria; 1878 - morte da última freira do convento; 1881- instala-se no convento a Misericórdia de Estremoz; 2001, 27 de Abril - Anúncio publicado no DR, nº 98, 3ª série, adjudicado pela Associação Centro Ciência Viva de Estremoz - Pólo de Estremoz da Universidade de Évora, para reabilitação parcial do Convento.

Dados Técnicos

Materiais

Alvenaria, mármore de Estremoz

Bibliografia

COSTA, P. António Carvalho da, Corografia Portugueza..., 2.ª ed., tomo II, Braga, 1868 [1.ª ed. de 1712]; MARQUES, José Epifanio, Breve Memória a cerca da Instituição das Religiosas Maltesas em Portugal, 1899; CRESPO, Marques, Estremoz e o seu termo regional, Estremoz, 1950; ESPANCA, Túlio, Inventário Artístico de Portugal-Distrito de Évora, Lisboa, 1975; PAIS, Alexandre Manuel Nobre da Silva, Presépios Portugueses Monumentais do século XVIII em Terracota [dissertação de Mestrado na Universidade Nova de Lisboa ], Lisboa, 1998.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMS

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMS

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMS

Intervenção Realizada

DGEMN: 1955 - Restauro geral.

Observações

O Padre Carvalho da Costa refere, em 1712, que existia na vila a igreja da Misericórdia e hospital.

Autor e Data

Manuel Branco 1993

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login