Estação Ferroviária de Guimarães / Loja Ponto Já

IPA.00027437
Portugal, Braga, Guimarães, Urgezes
 
Arquitectura de transportes, neoclássica. Estação ferroviária terminal, é composta pelo edifício de passageiro e as instalações sanitárias. O edifício de passageiros apresenta planta rectangular, com fachadas de dois pisos, separadas por friso, com cunhais apilastrados, percorridas por embasamento, e rematadas por friso e cornija. Fachadas rebocadas e pintadas, com silhar de azulejos, rasgadas por vãos sobrepostos, em verga ligeiramente abatida, com modinatura rectilinea, possuindo na fachada principal e posterior frontão triangular. A fachada posterior, virada ao cais de embarque, possui pala apoiada em mísulas metálicas fixas. Corpo das instalações sanitárias disposto paralelamente às linhas, possui planta rectangular simples, com fachadas rebocadas e pintadas, com embasamento e silhar de azulejos; rasgadas por vãos de verga recta com moldura granítica, terminadas em friso e cornija.
Número IPA Antigo: PT010308710175
 
Registo visualizado 516 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Transportes  Apeadeiro / Estação  Estação ferroviária  

Descrição

A estação inclui o antigo edifício de passageiros, as linhas férreas, e as antigas instalações sanitárias e o novo edifício de passageiros. Antigo EDIFÍCIO DE PASSAGEIROS de planta rectangular, disposto paralela e regularmente à linha, volumes escalonados com coberturas diferenciadas em telhados de duas águas, que no corpo central formam cruz. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, de dois pisos, separados por friso, com embasamento de cantaria, sobrepujado por silhar de azulejos monocromos azul e branco, com cunhais apilastrados e remates em friso ritmado por argolas de ferro em friso e cornija. Fachadas rasgadas regularmente por vãos sobrepostos, de verga ligeiramente abatida, com molduras rectilíneas em granito. Fachada principal virada a N., com frontão triangular ao centro, tímpano em cantaria de granito, integrando óculo; no primeiro piso rasgam-se sete portas de sacada com bandeira, e no segundo, sete janelas de sacada com bandeira, três de varandim com guarda de ferro forjado. Fachada lateral esquerda, virada a E., com porta no piso superior, acedida por escada, possui no lado esquerdo da porta a inscrição GUIMARÃES, fachada lateral direita, virada a O., rasgada no piso superior por óculo. Fachada posterior, virada às linhas férreas, terminada ao centro em frontão triangular com tímpano rebocado e pintado de branco, onde se abre óculo, é rasgada, no primeiro piso, por sete portas, a central é encimada pela inscrição GUIMARÃES, as outras duas portas que a enquadram possuem as inscrições SAÍDA e SALA DE ESPERA; no segundo piso, abrem-se sete janelas iguais às da fachada principal. Ao longo de toda a fachada corre pala metálica avançada, ligeiramente inclinada, assente em mísulas de ferro decoradas com círculos e estrelas. INTERIOR de espaço amplo, com paredes rebocadas e pintadas de branco, azul e cor-de-laranja, piso térreo com pavimento linóleo e portas de verga recta. Junto à fachada lateral direita, ergue-se o corpo das INSTALAÇÕES SANITÁRIAS, de planta rectangular, simples, e cobertura em telhado de quatro águas. Apresenta as fachadas rebocadas e pintadas de branco, com embasamento de cantaria e silhar de azulejos monocromos azuis sobre fundo branco, cunhais de cantaria, que enquadram vãos superiores, junto da cornija onde assenta a cobertura. Na fachada virada às linhas, surgem as inscrições em azulejo: SENHORAS, RETRETE, HOMENS. Fachadas laterais rasgadas, por dois vãos rectangulares, com moldura granítico.

Acessos

Rua Dom João IV.

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano, isolado, junto a via de grande circulação automóvel. Fronteiro à fachada principal, surge largo pavimentado a paralelos graníticos, envolvido por espaço relvado que se desenvolve até às fachadas laterais, onde se ergue Monumento à Liberdade e à Paz. Do lado esquerdo, surge o novo edifício de passageiros. Na proximidade, ergue-se o Centro Cultural Vila Flor (v. PT010308710056).

Descrição Complementar

Placa comemorativa na fachada posterior: LINHA DE GUIMARÃES, TROFA GUIMARÃES 1882, GUIMARÃES FAFE 1907, SENHORA DA HORA TROFA 1932, 1982 COMEMORAÇÕES PROMOVIDAS PELAS CÂMARAS MUNICIPAIS DE FAFE, GUIMARÃES, MAIA, MATOSINHOS, SANTO TIRSO, VILA NOVA DE FAMALICÃO.

Utilização Inicial

Transportes: estação ferroviária

Utilização Actual

Transportes: estação ferroviária / Cultural e recreativa: edifício multiusos

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 19 / 21

Arquitecto / Construtor / Autor

DESCONHECIDO.

Cronologia

1856, 28 Outubro - início da circulação de comboios em Portugal; 1857, 4 Junho - Carta de Lei que autoriza o Governo a construir os Caminhos de Ferro do Norte; 1859, 22 Dezembro - Decreto que aprova os Estatutos da Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses; 1867, 2 Julho - Lei autorizando o Governo a construir e explorar as linhas férreas do Porto a Braga e à fronteira da Galiza e do Porto ao Pinhão; 1872, 14 Junho - Decreto mandando proceder à construção do Caminho de Ferro do Porto à Galiza por Braga e Viana do Castelo, Linha do Minho, e aos estudos do Vale de Sousa por Penafiel até o Pinhão, Linha do Douro; 1872, 8 Julho - inauguração dos trabalhos de construção da Linha do Minho; 1873, 31 Maio - Decreto aprovando a emissão de obrigações para a construção do CF do Minho e Douro na importância de 2.034.000$000 réis; 1873, 8 Julho - inauguração dos trabalhos de construção da Linha do Douro; 1883, 31 Dezembro - abertura à exploração pública do troço entre Trofa e Vizela na Linha de Guimarães; 1884, 14 Junho - abertura à exploração pública do troço entre Vizela e Guimarães, na Linha de Guimarães; 1884 - construção da estação de Guimarães; 1907 - abertura do troço entre Guimarães e Fafe; 1990 - o troço entre Guimarães e Fafe (estação terminal) foi encerrado a todo o tráfego ferroviário, tendo sido transformado em ecopista numa parte do percurso; década de 90 - a linha de Guimarães foi subdividaida em duas, o troço Trindade -Trofa passou a ser gerido pela empresa Metro do Porto e a ser feito de metropolitano; e o troço entre Lousado - Guimarães que corresponde à linha designada como "Linha de Guimarães"; 1993 - entrada ao serviço do InterCidades prestado pelo CP Longo Curso que possibilita a ligação directa entre Guimarães e Lisboa; 1997 - o Decreto-lei nº 104/97 cria a empresa responsável pela gestão das infra-estruturas ferroviárias - Rede Ferroviária Nacional - REFER, EP; 2002 - início do serviço urbano prestado pelos suburbanos do Porto que fazem ligação a Guimarães; 2004, 19 Janeiro - inauguração da reconversão, em via larga, da linha de Guimarães; 2006 - comemoração dos 150 anos dos caminhos-de-ferro portugueses.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes autoportantes.

Materiais

Estrutura rebocada e pintada de branco ou revestida a azulejos monocromos; cunhais, frisos, cornijas, tímpano, molduras dos vãos e outros elementos em cantaria de granito; portas e caixilharia de madeira; vidros simples; silhar de azulejos; estruturas da pala em ferro; algerozes metálicos; pavimento em linóleo; cobertura dos edifícios em telha.

Bibliografia

www.cp.pt, 3 Março 2009.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

2002/2003 - obras de renovação da linha de Guimarães: construção de novas estações e apeadeiros e correcção do traçado, aumentando o raio de algumas curvas, de forma a permitir o aumento de velocidades comerciais.

Observações

O interior do edifício da estação está ocupado com a Loja Ponto JA, uma iniciativa do Instituto Português de Juventude, trata-se de um espaço público destinados aos jovens que queiram usufruir de informação do seu interesse. Estas lojas têm por objectivo: promover e divulgar a informação nacional e internacional aos jovens; fomentar a transversalidade dos Departamentos da Área da Juventude; criar parcerias que potenciem a prestação e dinamização do Serviço; promover e desenvolver os valores de cidadania; promover oportunidades e actividades de interesse; promover a integração e participação dos jovens; promover o aconselhamento. Nestes locais é possível: consultar a internet, fazer o cartão jovem e o cartão de alberguista, utilizar a sala de estudo, a biblioteca e a hemeroteca, solicitar aconselhamento nas áreas da sexualidade juvenil, na área vocacional e no apoio contabilístico e financeiro às Associações Juvenis, utilizar o equipamento informático, imprimir documentos e gravar documentos em CD's e DVD's.

Autor e Data

Sónia Basto 2009

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login