Anta de Pavia / Capela de São Dinis / Capela de São Dionísio

IPA.00002726
Portugal, Évora, Mora, Pavia
 
Anta Capela, que reutiliza o exemplar mais setentrional do megalitismo eborense; a reutilização como capela tem o protótipo em São Brissos (v. PT040706050002). No altar-mor frontal de azulejos setecentistas, barrocos, de oficina lisboeta. Anta reutilizada como capela; exemplar muito setentrional do megalítico eborense. Foi o primeiro monumento megalítico referenciado na bibliografia histórica: no Séc. 16, por Manuel Severim de Faria, na sua obra Notícias de Portugal.
Número IPA Antigo: PT040707040001
 
Registo visualizado 800 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Funerário  Anta  Anta-capela  

Descrição

Câmara com planta poligonal de anta de grandes dimensões, constituída por sete esteios in situ, com laje de cobertura, servindo de ábside a pequena capela, cuja nave, muito pouco profunda (c. 1 m), se articula no sentido do corredor. O edifício cristão tem fachada de remate triangular definido pelos beirados do telhado de duas águas e pórtico em alvenaria de ombreiras aprumadas e verga em arco perfeito. Antecede-a pequena escadaria de três degraus, flanqueada por dois esteios do corredor que a frontaria cavalga. As fachadas laterais, cegas, são definidas pela articulação dos esteios com o paramento da nave. O esteio da cabeceira da câmara serve de testeira à capela. A rematar o conjunto, implantado sobre a cobertura, lançando uma sapata sobra o telhado da nave e outra sobre a laje da câmara, ergue-se o campanário, rasgado desde a base por vão com verga em arco perfeito e rematado por discreto friso de meias canas. INTERIOR: coincidência interior com o exterior; com o retábulo do altar definido em revestimento de alvenaria do esteio testeiro e o frontal revestido de azulejos.

Acessos

Praça de São Dinis

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto de 16-06-1910, DG n.º 136 de 23 junho 1910 *1

Enquadramento

Urbano, em planície, isolada, em destaque ao canto de pequena praça, harmonizada com o ambiente envolvente.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Funerária: anta

Utilização Actual

Religiosa: igreja

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Megalítico / Séc. 17

Arquitecto / Construtor / Autor

Não aplicável.

Cronologia

4000 a.C. - 3000 a.C. - construção; 1625 - Manuel Severim de Faria, Chantre da Catedral de Évora, refere a capela, sendo esta a primeira referência documentada ao templo cristão; 2013, agosto - investigação arqueológica, coordenada por Leonor Rocha da Universidade de Évora, visando identificar a primitiva entrada e corredor de acesso da anta e uma datação absoluta do monumento de modo a estabelecer as diferentes funcionalidades que teve até ao presente.

Dados Técnicos

Estrutura autónoma / estrutura mista

Materiais

Granito de grão grosseiro, alvenaria

Bibliografia

CORREIA, Virgílio, El neolitico de Pavia, in Memorias de la Comission de Investigaciones Paleontologicas y Prehistoricas, 27, Madrid, 1921; LEISNER, Georg e LEISNER, Vera, Die Megalitgraber der Iberischen Halbinsel I - Der Westen, in Madrider Forschungen, I, 1, Madrid, 1956; SERRÃO, Viagens de Manuel Severim de Faria, Lisboa, 1974; ESPANCA, Túlio, Distrito de Évora, Concelho de Mora, in Inventário Artístico de Portugal, VIII, SNBA, 1975.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

Observações

*1 - DOF... transformada em Capela de São Dinis.

Autor e Data

Manuel Branco e Castro Nunes 1994

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login