Anta da Estria

IPA.00026962
Portugal, Lisboa, Sintra, União das freguesias de Queluz e Belas
 
Arquitectura funerária, pré-histórica. Anta de câmara poligonal, antecedida por corredor, flanqueado por pedras de pequenas dimensões. Anta relativamente bem preservada, de que desapareceu o chapéu, possuindo algumas estrias decorativas e mantendo a área do corredor de acesso.
Número IPA Antigo: PT031111040284
 
Registo visualizado 452 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Funerário  Anta    

Descrição

Anta virada a O., com câmara poligonal, de que subsistem cinco esteios, com o corredor formado por pequenas pedras cravadas no pavimento, preenchido com gravilha. Alguns esteios e pedras reaproveitadas apresentam sulcos geométricos.

Acessos

CREL, junto ao primeiro posto de serviço Cascais-Alverca. WGS84 (graus decimais) lat.: 38,769679; long: -9,267442

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto de 16-06-1910, DG, 1.ª série, n.º 136 de 23 junho 1910 *1

Enquadramento

Rural, isolado, situado junto a uma ampla via pública, a via de cintura externa de Lisboa, numa zona elevada, sobranceira ao posto de serviço, com acesso por escadas em cantaria de calcário, envolvido por arbustos, possuindo guardas metálicas.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Funerária: anta

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Época megalítica

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Época megalítica - construção; séc. 20, década de 90 - construção da CREL, da respectiva área de serviço e arranjo dos acessos e zona envolvente da anta.

Dados Técnicos

Estrutura autónoma.

Materiais

Estrutura em cantaria de calcário.

Bibliografia

MATA, António, Roteiro Histórico Artístico, s.l., s.d; RIBEIRO, Carlos, Notícia de Algumas Estações e Monumentos Pré - Históricos, Lisboa, 1880; BOLAMA, Gen. Marquez d'Avila e de, Nova Carta Chorographica de Portugal, vol. 1, Lisboa, 1910; IPPC, Roteiros da Arqueologia Portuguesa; I - Lisboa e Arredores, Lisboa, 1986; CHAGAS, Gabriela, Urbanização e Vandalismo ameaçam Antas de Belas in Revista da Imprensa, nº 49, Sintra, 21-07-1990, pp. 48 - 49; SEBASTIÃO, Luís Filipe, Antas de Belas entre o lixo e a CREL in O Público, Lisboa, 05-07-1994, p. 58; BELAS, J.F., Anta de Monte Abraão, in Conversas de Café, 06 Fevereiro 2007.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

1986 - trabalhos de limpeza e consolidação na anta, dirigidos pelos técnicos do Departamento da Arqueologia do Ministério da Educação e Cultura, Teresa Marques e Carlos Jorge Ferreira, com a colaboração da Junta de Freguesia de Queluz e da Câmara Municipal de Sintra; séc. 20, década de 90 - com a construção da CREL, a zona da Anta e envolvente foi preservada, tendo-se feito um caminho de acesso até à mesma.

Observações

*1 - DOF: Antas de Belas (Anta do Monte Abraão, Anta da Estria, Anta do Senhor da Serra, Anta da Pedra dos Mouros e Pedra dos Mouros).

Autor e Data

Paula Figueiredo 2008 / 2009

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login