Convento e Igreja de São Francisco / Câmara Municipal de Mogadouro

IPA.00002692
Portugal, Bragança, Mogadouro, União das freguesias de Mogadouro, Valverde, Vale de Porco e Vilar de Rei
 
Igreja seiscentista com planta de cruz latina e 3 naves. Influência das igrejas jesuítas no plano construtivo, e inspiração da igreja de Miranda no retábulo-mor e na temática construtiva e pictórica de 2 retábulos laterais. A zona conventual apenas mantém a planta original.
Número IPA Antigo: PT010408100008
 
Registo visualizado 275 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Convento / Mosteiro  Convento masculino  Ordem de São Francisco - Franciscanos Terceiros

Descrição

Planta composta, em cruz latina de 3 naves, capela-mor, sacristia e anexo. Volumes articulados e cobertura em telhados de duas águas. Fachada de cantaria com galeria porticada, constituída por 3 arcos plenos, encimada por duas janelas de vão recto e cornija moldurada enquadrando nicho, albergando imagem de S. Francisco, ladeado por 2 pequenas pilastras que suportam frontão. Remate em frontão triangular rasgado por janela circular. O cunhal do lado esquerdo serve como elemento estrutural à torre sineira, dividida em quatro registos, tendo o segundo e terceiro rasgados por pequenas janelas, e no último os sinos; é rematada por cobertura piramidal com pináculos nos cunhais. Portal axial ladeado por pilastras que sobem até ao frontão e terminam por pequenas pirâmides boleadas. No alçado lateral N. 4 janelas na nave e 1 de maiores dimensões no braço do transepto. Os cunhais existentes são idênticos aos já descritos anteriormente. No interior, o chão é lajeado a granito existindo várias sepulturas na zona do transepto. Coro-alto com cadeiral decorado nos braços e nos espaldares com leões, gatos, cães, tigres, mochos, pelicanos, representações antropomórficas à maneira clássica e motivos fitomórficos. A um canto, estátua de S. Francisco, em mau estado, e, no centro estante tendo no pedestal volutas e índios lançando frutas pela boca. Capelas laterais de arco pleno com retábulos de talha. O retábulo da Imaculada Conceição tem duas enormes colunas a segurar o entablamento sobre o qual está um ático. O de Santa Cruz, no lado da Epístola, possui formas semelhantes. O de S. Inácio de Loiola, possui 4 colunas salomónicas com decoração vegetalistas e zoomórfica sustentando um entablamento tendo no centro um frontão circular. Por cima do entablamento existe um friso esculpido em baixo relevo mostrando folhagem. Os mesmos motivos ladeiam a figura do santo. O retábulo das Almas do Purgatório, em madeira, tem duas grandes colunas, um ático e uma predela enquadrando uma pintura com o Juízo Final. No meio da figuração surge S. Francisco a tentar salvar algumas das almas. O retábulo de Nª Sª do Rosário tem predela pintada com Stª Luzia, Stª Bárbara e Stª Apolónia. Por cima existem dois registos de edículas enquadradas por colunas coríntias, tendo no primeiro S. Francisco de Borja, Nª Sª do Rosário e S. Roque no segundo S. Francisco de Assis, S. Domingos e Santa Clara. Cobertura da nave em abóbada de canhão, tendo os esticadores pintados. Capela-mor com retábulo-mor, apoiado em dois pedestais de granito; tem dois registos de edículas e um ático de forma circular. As edículas, enquadradas por colunas de fuste decorado com motivos fitomórficos e alguns "putti", conservam telas apenas no 1º registo, figurando, na da esquerda S. Francisco depondo aos pés do papa as suas antigas roupas de burguês, e na direita S. Francisco procurando reavivar a igreja decadente de antanho. No lado direito do altar-mor existe o retábulo de S. Boaventura, de duas colunas salomónicas sustentando um arco emoldurado por friso de volutas; no meio sobressai a figura do santo. De notar que no alto das pilastras, existem representações de mochos, elementos heráldicos da família Távora.

Acessos

Mogadouro

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 40 361, DG, 1.ª série, n.º 228 de 20 outubro 1955 (altar-mor e pinturas da igreja) / Em vias de classificação (Homologado como IIP - Imóvel de Interesse Público, Despacho de 19 julho 1974 do Secretário de Estado dos Assuntos Culturais e Investigação Científica) (igreja) *1

Enquadramento

Urbano. O imóvel está envolvido pelo casario da vila. À sua volta existe zona constituída por arruamentos e alguma zona verde.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: convento masculino

Utilização Actual

Religiosa: igreja / Política e administrativa: câmara municipal

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Bragança - Miranda)

Afectação

Época Construção

Séc. 17

Arquitecto / Construtor / Autor

ENTALHADOR: Francisco Lopes de Matos (séc. 17 - atribuído).

Cronologia

1609 - O cabido da Sé de Miranda dá esmola a dois franciscanos de Mogadouro; 1618 - Existiam 9 religiosos e irmãos leigos; 1620 - Início provável da construção do convento, a expensas de D. Luís Álvares de Távora; séc. 17 - execução do retábulo-mor, atribuído a Francisco Lopes de Matos; 1672 / 1730 - período de execução dos vários altares; 1682 - Conclusão das obras de construção; 1687 - Conclusão dos pormenores decorativos; 1758, 08 abril - referência ao convento de religiosos da Ordem Terceira de São Francisco pelo pároco Luís Rodrigues de Carvalho nas Memórias Paroquiais da freguesia sendo padroeiro os Marqueses de Távora; 1885 - grande incêndio, provoca a quase total destruição dos arquivos entre outras dependências; 1927 - novo incêndio e consequente restauro; 1971 - O convento passa a albergar os vários serviços camarários (biblioteca, acção escolar, serviços municipalizados, secretarias e administração); para tal, procedeu-se a obras de adptação; 2001, 25 Setembro - a Câmara Municipal de Mogadouro discorda da classificação do conjunto; 25 Outubro - um relatório do IPPAR coloca à consideração do Conselho Consultivo a hipótese de redefinir a área classificada, mantendo apenas a igreja como objecto de protecção, devido à descaracterização evidenciada pela zona conventual; 2005 - projecto para intervenção exterior ao nível das fachadas e coberturas.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Granito, xisto argamassado com barro, material de enchimento, madeira e barro.

Bibliografia

CAPELA, José Viriato, BORRALHEIRO, Rogério, MATOS, Henrique, As Freguesias do Distrito de Bragança nas Memórias Paroquiais de 1758. Memórias, História e Património, Braga, 2007; MOURINHO JÚNIOR, António Rodrigues, O Convento de S. Francisco de Mogadouro, Brigantia, vol. II, nº 2 / 3, Bragança, 1982; MOURINHO JÚNIOR, António Rodrigues, A talha nos Concelhos de Miranda do Douro, Mogadouro e Vimioso no Séc. 17 e 18 Braga, 1984; ALVES, Francisco Manuel, Memórias Arqueológico - Históricas do Distrito de Bragança, Bragança, 1990; ALVES, Alexandre, Artistas e Artífices nas Dioceses de Lamego e Viseu, vol. II, Viseu, 2001; Convento de S. Francisco entra em obras, in A Voz do Nordeste, 8 Novembro 2005; Convento de São Francisco requalificado, in Notícias da Manhã, 09 Novembro 2005.

Documentação Gráfica

DGPC: DGEMN:DSID; CMM; IPPAR

Documentação Fotográfica

DGPC: DGEMN:DSID; CMM; IPPAR

Documentação Administrativa

DGPC: DGEMN:DSID; CMM; IPPAR

Intervenção Realizada

c. 1945 - As telas superiores do retábulo foram restauradas em Lisboa e nunca foram devolvidas (segundo moradores); DGEMN: 1961 / 1965 - reconstrução da cobertura; 1967 - conclusão do restauro e douramento das talhas, execução de novo lajeado, vedação das juntas exteriores; 1989 / 1990 - douramento dos altares e alteração das mesas dos altares do lado do Evangelho e a do altar-mor, pelo sacerdote Francisco Silvestre.

Observações

*1 - Inicialmente o Decreto de 1955 classificou o altar-mor e respectivas pinturas, tendo-se posteriormente proposto o alargamento da classificação a toda a igreja pelo Despacho de 1974. *2 - Por detrás da capela-mor existe uma antena emissora da Rádio Planalto que deveria ser mudada de local.

Autor e Data

Ernesto Jana 1994

Actualização

Paula Noé 1997
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login