Apeadeiro Ferroviário de Santos

IPA.00026890
Portugal, Lisboa, Lisboa, Estrela
 
Arquitectura de transportes, oitocentista. Apeadeiro ferroviário, integrando a linha de Cascais, composto por um pequeno edifício de passageiros, instalações sanitárias, duas plataformas, que servem duas linhas férreas, e dois abrigos de passageiros, na plataforma S.. O edifício de passageiros e as instalações sanitárias seguem linhas bastante modernas, simples, rectilíneas e com os elementos estruturais demarcados, possuindo coberturas planas, o mesmo sucedendo no abrigo de passageiros, protegido por pala, assente em cinco pilares.
Número IPA Antigo: PT031106371426
 
Registo visualizado 68 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Transportes  Apeadeiro / Estação  Apeadeiro ferroviário  

Descrição

Pequeno apeadeiro, inserido na Linha de Cascais, composto pelo edifício de passageiros, antigas instalações sanitárias, duas plataformas, duas linhas férreas, duas zonas de espera, a original e uma mais moderna, ambas situadas na plataforma S., e uma passagem superior, com acesso por escadas ou elevadores. EDIFÍCIO de PASSAGEIROS de planta rectangular simples, com cobertura homogénea plana, que se prolonga em pala, sobre a plataforma, permitindo proteger os passageiros, de piso único. Fachadas rebocadas e pintadas de bege, percorridas por embasamento saliente, pintado de cinza e rasgadas uniformemente por vãos de veja recta, com moldura bastante reentrante. Fachada principal virada a N., dividida em três panos por pilares salientes, surgindo, no central, amplo portal, com moldura dupla, aparecendo, em cada um dos panos laterais, uma bífida; sobre o portal, ergue-se o mastro da bandeira. As fachadas laterais são semelhantes, com cunhais muito salientes, ambas rasgadas por duas portas, a virada a E., possuindo, entre elas, um posto telefónico público, e a oposta o acesso a uma Cafetaria. A fachada do lado S. divide-se, igualmente, em três panos, os laterais com portas e o central marcado por um guiché saliente, de atendimento ao público, com a zona superior envidraçada e protegida por grades. No lado esquerdo, surgem as antigas INSTALAÇÕES SANITÁRIAS, desactivadas, com duas portas de verga recta viradas a S., possuindo, nas laterais, respiradouros e pequenas frestas, tapadas com azulejo em vidro, surgindo, na fachada posterior, dois respiradouros e uma ampla janela, protegida por o mesmo tipo de azulejo. As PLATAFORMAS encontram-se protegidas por rede, excepto na zona dos acessos e formam ligeira curvatura, sendo pavimentadas a placas de cimento, formando elementos geométricos. Na do lado S., existem dois ABRIGOS, um mais antigo, de planta rectangular e cobertura plana, que se prolonga em pala, sustentada por quatro pilares de ferro, suportadas por consolas do mesmo material, formando enrolamentos, encontrando-se aberto frontalmente e possuindo banco corrido de betão pintado. O mais recente é fechado, em vidro, com vários bancos de plástico. Junto ao edifício de passageiros e junto ao acesso S., surgem máquinas automáticas de venda de títulos de transporte.

Acessos

Avenida 24 de Julho. Acesso facilitado a cadeiras de rodas e carros de bebé.

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano, isolado, Encontra-se flanqueado por duas vias públicas, ambas amplas e pavimentadas a alcatrão, possuindo acesso directo por ambas, com uma passagem superior. Encontra-se rodeado por edifícios de habitação, comerciais e escritórios, bem como antigos armazéns portuários, transformados em zonas de lazer. Fronteiro, situa-se o Largo de Santos, onde surge o Edifício na Avenida 24 de Julho, n.º 58 (v. PT031106370497), o Cinema Cinearte (v. PT031106370179) e o Quiosque de Santos (v. PT031106371432).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Transportes: apeadeiro ferroviário

Utilização Actual

Transportes: apeadeiro ferroviário

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

Séc. 19 - construção; séc. 20, final - remodelação da linha, com introdução de novos abrigos e arranjo dos edifícios existentes; construção da passagem superior e colocação de rede a proteger as linhas.

Dados Técnicos

Sistema estrutural

Materiais

Estruturas em metal, em alvenaria de tijolo e betão, rebocadas e pintadas; janelas e portas metálicas e com vidro simples; abrigo com vidro simples; cobertura em chapa metálica; sanitários com frestas em azulejo vidrado.

Bibliografia

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Séc. 20, final - tratamento de rebocos e pinturas, das coberturas e consolidação das estruturas.

Observações

Autor e Data

Paula Figueiredo 2008

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login