Povoação de Ouguela / Núcleo intramuros da Povoação de Ouguela

IPA.00026841
Portugal, Portalegre, Campo Maior, São João Baptista
 
Núcleo urbano. Aldeia situada em planície na fronteira do Alentejo. Vila medieval de jurisdição régia com castelo e cerca urbana.
Número IPA Antigo: PT041204030044
 
Registo visualizado 292 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto urbano  Aglomerado urbano  Povoação  Vila medieval  Vila fortificada  Régia (D. Dinis)

Descrição

Acessos

EN373

Protecção

Incluído na Zona Especial de Protecção do Castelo de Ouguela (v. PT041204030004)

Enquadramento

Rural, situado em planície. A povoação de Ouguela implanta-se à cota altimétrica de 260 m sobre um monte, na peneplanície alentejana. A 500 m a N., localiza-se a ribeira de Abrilongo, que desagua para o Rio Xévora a cerca de 1 km. Dista de 10 km de Campo Maior, sede de concelho, e de 3 km da fronteira.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Não aplicável

Utilização Actual

Não aplicável

Propriedade

Não aplicável

Afectação

Não aplicável

Época Construção

Séc. 13 / 17 / 18

Arquitecto / Construtor / Autor

ENGENHEIRO MILITAR: Nicolau de Langres (séc. 17).

Cronologia

1230 - conquista definitiva aos mouros; 1297, 12 Setembro - com o Tratado de Alcanises, as vilas de Campo Maior, Ouguela e Olivença passam a pertencer à coroa portuguesa; 1298, 5 Janeiro - concessão de carta de foral por D. Dinis; 1300, cerca - reedificação do castelo; 1367/1385 - reedificação e ampliação da cerca muralhada, edificação da igreja primitiva, que se situava no centro da praça; 1383 / 1385 - cerco a Ouguela, durante o Interregno; 1392 - cortados os laços de dependência eclesiástica ao Bispado de Badajoz; 1420, 7 Dezembro - D. João I transforma a vila em couto de homiziados; 1512, 1 Junho - renovação da carat de foral, por D. Manuel I; séc. 17 - início da construção da fortaleza abaluartada, com a participação de Nicolau de Langres, já se encontravam construídas a casa da Câmara e as casas dos oficiais e famílias dos militares; 1642/1662 - ocupação do castelo, durante a guerra da Restauração; séc. 18 - construção da igreja de Nossa Senhora da Graça e das casas de governação da praça; 1709 - cerco a Ouguela, durante a guerra de Sucessão de Espanha; séc. 19 - a área a O. passa a funcionar como cemitério da povoação; 1801 - cerco à vila, durante a guerra das Laranjas; 1836 - integrada no concelho de Campo Maior, perdendo o estatuto de vila sede de concelho; 1840 - desmilitarização da praça; 1841 - anexada, como lugar, à freguesia de São João Baptista.

Dados Técnicos

Não aplicável

Materiais

Não aplicável

Bibliografia

KEIL, Luís, Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Portalegre, Lisboa, 1943; ALMEIDA, João de, Roteiros dos Monumentos Militares Portugueses, Lisboa, 1946; Arquitectura Popular em Portugal, Associação dos Arquitectos Portugueses, Lisboa, 1980; ARMAS, Duarte de, Livro das Fortalezas, Lisboa, INAPA, 1990; RAMALHO, José Filipe, Ouguela, Metodologia para o projecto de salvaguarda e valorização, in Monumentos, nº 5, Lisboa, Julho 1996, pp. 72-77

Documentação Gráfica

IHRU: SIPA, DGEMN/DSID, DGEMN/DRMS; Planta de Duarte D'Armas (séc. 17); Planta da Praça de Ouguela de Luiz Jacob (1755); Planta de Ouguela (autor desconhecido, anterior a 1803); Vista de Ouguela (autor desconhecido, s.d.)

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMS

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DRMS; DGARQ/TT: Memórias paroquiais, vol. 26, nº 47, pp. 371-374

Intervenção Realizada

Observações

Autor e Data

Anouk Costa, Cláudia Morgado Rita Vale 2010

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login