Igreja Paroquial de Vilarinho de Agrochão / Igreja de Santo Antão

IPA.00002683
Portugal, Bragança, Macedo de Cavaleiros, Vilarinho de Agrochão
 
Arquitectura religiosa, barroca. Igreja paroquial de planta longitudinal e capela-mor rectangular. Exterior de certa simplicidade com frontespício truncado por dupla sineira e interior de maior riqueza decorativa, com retábulos de talha de estilo nacional e pinturas murais. Denota características decorativas e de construção que o tornam semelhante às igrejas de Avantos (concelho de Mirandela) e Paroquial de Lavandeira (concelho de Carrazeda de Ansiães). Possui pinturas, como a do Nicho com o Senhor dos Passos, provavelmente da época da construção da igreja e de boa qualidade estética e técnica com outras sobrepostas, mais recentes e de pior qualidade que, não só se sobrepoêm, como também ultrapassam os seus limites. As pinturas da abóbada da sacristia, feitas a têmpera, são técnica e artísticamente bem conseguidas e com uma paleta de cores variada. As mais recentes, reproduzindo janelas, são de muito má qualidade.
Número IPA Antigo: PT010405360005
 
Registo visualizado 113 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal composta por nave, capela-mor ligeiramente mais estreita, torre sineira, sacristia e anexo adossados no lado esquerdo, de volumes articulados e escalonados, com capela-mor mais alta, tendo coberturas diferenciadas em telhados de duas águas na nave e capela-mor e de uma nos anexos. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, excepto a principal, em cantaria de granito aparente em aparelho isódomo, percorridas inferiormente por faixa pintada de cinzento e rematadas em beiral. Fachada principal, virada a E., em empena com cornija, truncada por dupla sineira em arco de volta perfeita, assentes em impostas salientes, rematadas em cornija, acrotério com decoração volutada, ladeado por pináculos, e cruz latina; a dupla sineira possui os vãos entaipados, integrando e sendo ladeada por imagens em terracota a representar os quatro Evangelistas; é rasgada por porta de verga recta com dupla moldura saliente, rematado por duplo friso e frontão triangular, contendo nicho de perfil curvo, envidraçado com a imagem do orago, conjunto sobrepujado por óculo circular com moldura saliente e boleada; o portal é ladeado por enormes cruzes latinas insculpidas e o frontão por duas janelas rectilíneas de moldura saliente. No lado esquerdo e levemente recuado, o corpo da torre sineira, de planta quadrada e cobertura em coruchéu piramidal; é de dois registos divididos por cornija, o inferior cego e o superior rasgado por sineiras em arco de volta perfeita, surgindo uma nas faces O., esta de perfil trapezoidal, na E. e N., e duas na S.. Fachada lateral esquerda virada a S., marcada pelos corpos anexos, rasgados por janelas rectilíneas e molduras simples de cantaria, protegidas por grades de ferro; o corpo da torre possui porta de verga recta com acesso por escada de três degraus. Fachada lateral direita virada a N., com porta travessa de verga recta e moldura simples, possuindo duas janelas rectilíneas, uma na nave e outra na capela-mor, esta com grades metálicas. INTERIOR rebocado e pintado de branco, com cobertura plana em caixotões pintados com temas hagiológicos, e pavimento de madeira. Coro-alto de madeira e guarda torneada. No lado do Evangelho, nicho envidraçado com o Senhor dos Passos, à volta do qual surgem pinturas murais representando frontão florido assente sobre colunas com capitéis coríntios e encimado por escudo; púlpito quadrangular, assente em bacia de cantaria, tendo guarda torneada de madeira, com acesso por porta de verga recta a partir do anexo; sucede-lhe uma falsa janelas pintada, em capialço, envolvida por falsos drapeados pintados, que se repetem na janela que lhe fica fronteira. Arco triunfal de volta perfeita com moldura de talha dourada, ornada por acantos, flanqueado por retábulos colaterais de talha dourada, dispostos em ângulo. Capela-mor totalmente revestida a pintura, constituída por um padrão imitando adamascado, em tom vermelho e cinza, surgindo, nos paramentos pinturas em "trompe l'oeil", no lado do Evangelho com janela semelhante à que existe no lado oposto, onde tem pintado reposteiro e sanefa; cobertura em falsa abóbada de berço de madeira, com medalhão pintado com o orago. Sobre supedâneo de cantaria, retábulo-mor de talha dourada e planta côncava, de um eixo definido por três colunas torsas e uma pilastra, que se prolongam em arquivoltas constituindo o ático; tribuna em arco de volta perfeita contendo trono, na base do qual surge um sacrário. No lado do Evangelho, a sacristia tem cobertura em falsa abóbada de berço, apresentando vestígios de pintura a têmpera, com motivos arquitectónicos e florais; possui arcaz de madeira e oratório em arco de volta perfeita, de talha dourada ornada por acantos.

Acessos

Em Vilarinho de Agrochão

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 251/70, DG, 1.ª série, n.º 129 de 03 junho 1970 *1

Enquadramento

Urbano, isolado, em zona de pendor inclinado, elevado relativamente à via pública, existindo habitações de dois registos de feitura recente e que se situam num plano inferior, sendo o desnível compensado através de lanço de escadas. No eixo da entrada principal existe um fontanário de construção recente. O imóvel classificado está rodeado por muro que o circunda. No lado esquerdo situa-se o cemitério da freguesia.

Descrição Complementar

O que resta da pintura que cobria todo o tecto da sacristia não apresenta sobreposições. Esta pintura, a têmpera, foi executada sobre suporte de cal e areia, usando também a gema de ovo, mas com aspecto distinto por se encontrar menos oxidada. A paleta de cores é variada, possuindo inclusive alguma folha de ouro.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Bragança - Miranda)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 18 - construção do templo, consagrado a Santo Antão; 1736 / 1746 - era abade de Vilarinho de Agrochão Francisco de Morais Dontel *2; a torre sineira é de construção posterior à da igreja; séc. 20 - provável pintura das janelas em trompe l'oeil.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura em xisto argamassado com barro e em alvenaria de granito; cunhais, cornijas, modinaturas, sineiras e fachada principal em cantaria de granito; fachadas rebocadas; pavimentos, coberturas, retábulos em madeira; pavimento com corredor central de ladrilho; coberturas em telha cerâmica e beirais em telha de canudo; janelas com vidro simples, protegidas por grades metálicas.

Bibliografia

PIRES, Armando, O Concelho de Macedo de Cavaleiros, Bragança, 1993; IPPAR, Património Arquitectónico e Arqueológico Classificado, Lisboa, 1993; Quadripólio, Relatório Final do trabalho de análise de pinturas murais que revestem os paramentos interiores, abertura de janelas de amostragem para a comprovação da pintura mural subjacente, incluindo-se a apresentação de uma proposta de intervenção para a sua consolidação, conservação restauro, das igrejas: Igreja Paroquial de Vilarinho de Agrochão; Igreja de São Tomé de Abambres, Igreja de Santa Leocádia, s.l., 1996.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMN

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMN

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMN

Intervenção Realizada

DGEMN: 1978 - conservação do pavimento; 1996 - renovação das coberturas, tendo sido executados os trabalhos de beneficiação e consolidação de madeiramentos estruturais, colocado guarda-pó, ripado, subtelha e novo revestimento cerâmico de telha tipo "nacional antiga"; fundação da parede posterior da capela-mor; abertura de janelas de amostragem para a comprovação da pintura mural subjacente; portal da fachada principal; 1997 - restauro das pinturas do tecto da sacristia; beneficiação geral do pavimento e paramentos da sacristia; tratamento dos paramentos exteriores e de vãos; revisão da instalação eléctrica (1ª fase).

Observações

*1 - DOF: ... incluindo a decoração de talha. *2 - O nome Dontel figura ainda num dos caixotões centrais da nave e o seu escudo esteve pintado no centro do tecto da sacristia.

Autor e Data

Ernesto Jana 1994

Actualização

Paula Noé 1998
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login