Pelourinho de Miranda do Corvo

IPA.00002669
Portugal, Coimbra, Miranda do Corvo, Miranda do Corvo
 
Pelourinho quinhentista, de bloco prismático, com fuste octogonal, capitel simples e remate ostentando símbolos heráldicos - as armas e coroa reais, a esfera armilar e cruz de Cristo.
Número IPA Antigo: PT020609020001
 
Registo visualizado 240 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição senhorial  Tipo bloco

Descrição

Estrutura em cantaria de calcário, composta por base cúbica, chanfrada nas arestas laterais, onde assenta fuste liso, oitavado, anelado ao centro e nas extremidades, que são idênticas. Remate paralelepipédico, tendo as faces decoradas por esfera armilar, cruz de Cristo, brasão nacional e um busto frente à porta entreaberta.

Acessos

Praça José Falcão, no Edifício dos Paços do Concelho

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 23 122, DG, 1ª série, n.º 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

No interior do edifício da Câmara Municipal, preso à parede entre as duas portas da entrada.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 16

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1116 - documento escrito conhecido mais antigo que refere Miranda (do Corvo), designadamente o seu castelo, então tomado pelos sarracenos; 1136, 18 Dezembro - D. Afonso Henriques concede-lhe foral; 1217 - o foral é confirmado por D. Afonso II; este foral apresenta inovação relativa aos outros, ao substituír as penas corporais por coimas em dinheiro; séc. 15 - nomeado senhor de Miranda do Corvo André de Sousa; 1514, 20 Novembro - D. Manuel I concede-lhe foral novo; provável edificação do pelourinho; ainda no início do século designada por Miranda dapar de Podentes (no foral) e também dapar de Coimbra, a vila passa, no fim do século, a ser consagrada como Miranda do Corvo; 1611, 21 Março - criado o título de conde de Miranda do Corvo, na pessoa de Henrique de Sousa Tavares, da casa dos Sousas de Arronches; 1758 - nas Memórias Paroquiais, é referido que a povoaçãom é do conde de Miranda, que anda na família dos Duques de Lafões; tem câmara, juízes ordinários e vereadores; 1796, 13 Maio - concessão do títulod e Duque de Miranda do corvo a D. José João Miguel de Bragança e Ligne de Sousa Tavares Mascarenhas da Silva; 1872, 03 Novembro - é dado o título de Visconde de Miranda do Corvo a Augusto Maria de Melo e Gouveia.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de calcário, pedra de Ançã.

Bibliografia

ALMEIDA, António Ferreira de, Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1976; BORGES, Nelson Correia, Coimbra e Região, Lisboa, 1987; CAPÃO, António Tavares Simões, As Cartas de Foral de Miranda do Corvo, 1989; CORREIA, Virgilio e GONÇALVES, Nogueira, Inventário Artístico de Portugal. Distrito de Coimbra, Lisboa, 1952; FRANÇA, José-Augusto et. alt., Arte Portugês in Summa Artis. História General del Arte, Vol. 30, Madrid, 1986; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; NUNES, Mário, Nos Caminhos do Património II, Coimbra, 1995; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/74884 [consultado em 23 agosto 2016].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMC

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DREMC, DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 42, n.º 190, fl. 91)

Intervenção Realizada

Séc. 20, meados - recuperação do pelourinho e colocação no interior do edifício da câmara.

Observações

Autor e Data

Margarida Alçada 1984 / João Cravo 1993 / Francisco Jesus 1998

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login