Pelourinho de Nogueira do Cravo

IPA.00002651
Portugal, Coimbra, Oliveira do Hospital, Nogueira do Cravo
 
Pelourinho seiscentista sem remate, pelo que não pode ser alvo de classificação tipológica, com soco quadrangular de dois degraus e fuste octogonal, estacando-se a existência de duplo anel na parte superior do fuste e a decoração fitomórfica do capitel.
Número IPA Antigo: PT020611110007
 
Registo visualizado 136 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição eclesiástica  Sem remate

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco quadrangular de dois degraus, onde assenta plinto circular que suporta uma base oitavada mutilada e fuste também oitavado, com capitel com gola, respeitando o faceado do fuste, sem remate.

Acessos

Rua do Pelourinho. WGS84 (graus decimais) lat.: 40.337123; long.: -7.880411

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 23 122, DG, 1ª série 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano, destacado, isolado, numa praça da vila no centro da povoação, a marcar a divisão entre o cimo e o termo da vila.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 10 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 17 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 12 - a terra era do rei, tendo sido doada a Mendo Pelágio por D. Sancho I; 1514, 12 Setembro - concessão de foral por D. Manuel I, referindo-se que a povoação é couto do bispado de Coimbra; séc. 17 - provável execução do pelourinho; 1758, 12 Abril - nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo pároco Vicente da Costa Godinho, é referido que a povoação, com 141 moradores, é couto do bispo-conde de Coimbra; tem juiz ordinário, juiz dos órfãos, vereadores, procurador do concelho e escrivão da câmara.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito.

Bibliografia

ARANHA, P.W. de Brito, Memórias Histórico Estatísticas de algumas Villas e Povoações de Portugal, 1871; GONÇALVES, Nogueira, A., CORREIA, Virgílio, Inventário Artístico de Portugal, Lisboa, 1953; MAGALHÃES, F. Perfeito de, Pelourinhos Portugueses, Lisboa, 1991; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/73717 [consultado em 23 agosto 2016].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

DGARQ/TT: Memórias paroquiais (vol. 25, n.º 31, fl. 233-240)

Intervenção Realizada

PROPRIETÁRIO: séc. 20, meados - arranjo da zona envolvente.

Observações

Autor e Data

João Cravo e Horácio Bonifácio 1992 / Maria Bonina e Fernando Grilo 1996

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login