Castelo de Avô

IPA.00002592
Portugal, Coimbra, Oliveira do Hospital, Avô
 
Arquitectura militar, gótica. Recinto de forma irregular adaptado à topografia do terreno. A capela é um reaproveitamento do edifício medieval.
Número IPA Antigo: PT020611030015
 
Registo visualizado 218 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Militar  Castelo    

Descrição

Panos de muralha, com merlões poligonais que cercam arco ogival da porta de entrada, com 3,50 m de altura por 2,70 m de largura. Junto à porta encontra-se a Capela de São Miguel, templo de uma nave com capela-mor saliente e abobadada com dois nichos laterais. Porta da fachada principal rectangular de arestas cortadas.

Acessos

Rua de Nossa Senhora dos Anjos, Rua Viriato Trágico, Rua da Couraça, Rua do Castelo

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 45 327, DG, 1ª série, n.º 251 de 25 outubro 1963

Enquadramento

Urbano, isolado, encabeça a colina que domina a povoação, na margem do rio Alva, perto da confluência com o rio Moura, com praia fluvial. Por um ramal a 9 Km da Estrada da Beira, situa-se no extremo S. da Povoação, por cima do bairro da Couraça, encaixado na escarpa. Acesso pedonal, sem acessibilidade especial.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Militar: castelo

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

DRCCentro, Portaria n.º 829/2009, DR, 2.ª série, n.º 163 de 24 agosto 2009

Época Construção

Séc. 13 / 16 / 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

Idade do Ferro - castro como provável origem do castelo, mais tarde romanizado; 412 - talvez tomado pelos Alanos; 716 - conquistado pelos Muçulmanos; Período Romano - por aqui passa a via romana que liga Lancia Oppidana a Conimbriga; séc. 11- na posse do conde de Coimbra Sesnando Davides; séc.12 - D. Henrique doa Avô ao Bispo de Coimbra e provávelmente D. Afonso Henriques manda edificar a primeira fortaleza medieval sobre as ruínas romanas; 1187 - a vila pertence a D. Urraca Afonso, filha bastarda de Afonso Henriques, que a troca por Aveiro, com seu irmão D. Sancho I; este concede-lhe foral e confirma a posse do Bispo de Coimbra; séc.13 - Castelo é destruído nas lutas entre D. Sancho II e Afonso III; séc.14 - reconstruído por D. Dinis, data dos actuais vestígios; 1856, a partir de - acelera-se a degradação do Castelo com reaproveitamento de cantarias para obras particulares e ponte sobre a Ribeira de Moura, sendo apeada a torre de Menagem; 1992, 01 junho - o imóvel é afeto ao Instituto Português do Património Arquitetónico, pelo Decreto-lei 106F/92, DR, 1.ª série A, n.º 126.

Dados Técnicos

Estrutura autónoma.

Materiais

Granito

Bibliografia

http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/74996 [consultado em 23 agosto 2016].

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

1942 - Início da recuperação das muralhas ainda existentes; 1963 - concluídos trabalhos de restauro e consolidação; 1966 - reparação do troço junto à capela e reparação dos pavimentos e paredes desta; 1967 - reconstrução da cobertura da capela; 1972 - sondagem do solo primitivo, reconstrução do pavimento, altar da capela e dos vitrais.

Observações

Autor e Data

João Cravo e Horácio Bonifácio 1992

Actualização

Margarida Alçada 2005
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login