Capela do Espírito Santo

IPA.00002539
Portugal, Castelo Branco, Castelo Branco, Castelo Branco
 
Capela quinhentista que tinha tipologia de alpendre aberto, rasgado por arcos de volta perfeita nas três faces, de que restam vestígios nas fachadas laterais e o portal axial na principal, tendo sacristia adossada à nave e capela-mor, esta com grande profundidade (4,5 m x 9 m). No lado direito, surge torre sineira que intercepta parte do corpo da nave. É de planta retangular composta por nave e capela-mor mais estreira e baixa, com sacristia adossada à fachada lateral direita, com coberturas diferenciada, de madeira em masseira na nave e em falsa abóbada de berço na capela-mor; uma torre sineira de planta quadrada adossa-se à mesma fachada, com cobertura em coruchéu piramidal. Fachada principal em empena com cruz no vértice, rasgada por portal em arco de volta perfeita, assente em colunelos com capitéis decorados, de talhe manuelino, tendo moldura externa em cantaria. Fachadas rasgadas por portas travessas e por janelas rectilíneas, de molduras simples. Interior com coro-alto e arco triunfal de volta perfeita, tendo púlpito no lado da Epístola e retábulos laterais de talha dourada, neogóticos. bada de berço rebocada. Retábulo-mor sobre supedâneo de granito, em talha dourada do estilo nacional, de planta côncava e um eixo. O supedâneo da capela-mor possui as zonas laterais decoradas com losangos.
Número IPA Antigo: PT020502050010
 
Registo visualizado 159 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta retangular composta por nave e capela-mor mais estreita e baixa, tendo sacristia rectangular adossada à fachada lateral direita e torre de planta quadrada adossada à mesma, com coberturas diferenciadas em telhados de duas águas, que se prolonga em aba corrida sobre a sacristia; a torre sineira possui cobertura em coruchéu prismático. Fachadas em cantaria de granito aparente, em aparelho "opus incertum", rematada por cornija de betão e beiral. Fachada principal voltada a NO., em empena com crua latina sobre plinto cúbico no vértice, sendo rasgada por portal em arco de volta perfeita assente em dois colunelos com capitéis de decoração cabiforme, que se prolongam em duas arquivoltas, possuindo moldura exterior em cantaria com impostas decoradas por motivos em forma de corda; é encimado por janela rectilínea de moldura simples e gradeada. No lado direito, torre sineira de dois registos, divididos por cornija, encontrando-se parcialmente assente na empena do remate da fachada; o primeiro registo é cego e o segundo possui quatro sineiras, uma em cada face, em arco de volta perfeita, com moldura formada pelas aduelas. Fachada lateral esquerda virada a NE., encontra-se parcialmente adossada, sendo visíveis dois panos na cantaria do muro, o primeiro ostentando vestígios de um vão em arco de volta perfeita em tijolo, actualmente entaipados; o segundo é rasgado por porta de verga recta, de moldura biselada, surgindo, superiormente, janela rectilínea de moldura simples. Fachada lateral direita virada a SO., sendo visíveis vestígios de um arco de volta perfeita em alvenaria, actualmente entaipado e interceptado pela torre sineira; é rasgada por janela rectilínea e moldura simples. No volume da sacristia, surge porta de verga recta, flanqueada por postigo, no lado esquerdo, e fresta em capialço no lado direito. Fachada posterior adossada. INTERIOR rebocado e pintado de branco, com pavimento de madeira e coxia em lajeado de granito, com cobertura de madeira em masseira. Possui coro-alto em madeira e retábulos laterais de talha dourada. No lado da Epístola, púlpito com acesso através da sacristia. O arco triunfal, de volta perfeita, acede à capela-mor com pavimento em lajeado e cobertura em falsa abóbada de berço rebocada e pintada de branco, assente em cornija de cantaria e possuindo tirantes metálicos. Sobre supedâneo de granito, com dois degraus centrais e as zonas laterais decoradas com losangos, retábulo-mor de talha dourada, de planta côncava e um eixo, composto por tribuna central, com fundo decorado de acantos e cobertura em caixotões, igualmente decorados, contendo trono de três degraus com a imagem do orago: é flanqueado por quatro pilastras e quatro colunas torsas, com fustes decorados por acantos e capitéis coríntios, assentes em plintos paralelepipédicos, que se prolongam em quatro arquivoltas, as duas internas torsas, unidas no sentido do raio e tendo, na zona central, cartela entalhada com o escudo português. Altar paralelepipédico com o frontal em talha dourada e policromada, tripartido, tendo sebastos e sanefa decorados por acantos e, nos painéis, acantos enrolados a imitar brocado. No lado da Epístola, porta de acesso à sacristia, em arco de volta perfeita, com moldura formada pelas aduelas.

Acessos

Largo do Espírito Santo

Protecção

Categoria: IM - Interesse Municipal, Decreto n.º 28/82, DR, 1.ª série, n.º 47 de 26 fevereiro 1982

Enquadramento

Urbano, isolado, situa-se em local ligeiramente desnivelado, organizando pequeno largo extramuros, na proximidade de um troço muralhado, formando um adro ajardinado. A cabeceira encontra-se parcialmente adossada a edifício e a fachada lateral esquerda adossada à sede da Junta de Freguesia.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Religiosa: capela

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Portalegre - Castelo Branco)

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 16 (conjetural) / 17

Arquitecto / Construtor / Autor

MESTRE DE OBRAS: Manuel da Silva Trabalhinho (1877-1882).

Cronologia

Séc. 16 - provável edificação da capela, pertencente à Ordem de Cristo; séc. 17 - execução da estrutura retabular; séc. 19, meados - existência de alpendre com 3 arcos em cantaria que sustentavam um coro (P. Silva); na proximidade existiam casas térreas onde assistia o ermitão e um celeiro; execução dos retábulos laterais; séc. 20 - reconstrução do edifício, com entaipamento do alpendre e construção da torre sineira.

Dados Técnicos

Estrutura autoportante.

Materiais

Granito, cantaria e alvenaria, revestimento inexistente e reboco; madeira; telha de aba e canudo.

Bibliografia

COSTA, António Carvalho da, Corographia Portugueza, Lisboa, 1706 - 1712; DIONÍSIO, Sant'Ana, Guia de Portugal, Lisboa, 1984; LEITE, Cristina, Castelo Branco, Lisboa, 1991; Mapa de Arquitectura de Castelo Branco, Castelo Branco, 2003; SANTOS, Manuel Tavares dos, Monumentos de Castelo Branco - Capelas e Cruzeiros in Beira Baixa, Castelo Branco, 1953, nº 823; SANTOS, Manuel Tavares dos, Castelo Branco na História e na Arte, Castelo Branco,1958; SILVA, Joaquim Augusto Porfírio da, Memorial Chronologico e Descriptivo da Cidade de Castelo Branco, Lisboa, 1853; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/71601 [consultado em 26 setembro 2016].

Documentação Gráfica

DGPC: DGEMN:DSID

Documentação Fotográfica

DGPC: DGEMN:DSID

Documentação Administrativa

DGPC: DGEMN:DSID

Intervenção Realizada

1877 / 1878 / 1879 / 1880 / 1881 / 1882 - obras de restauro pelo mestre Manuel da Silva Trabalhinho; Proprietário: séc. 20, década de 80 - obras com carácter descaracterizador; picagem dos rebocos e cimentação das juntas da alvenaria; substituição da cobertura com colocação de placa em betão.

Observações

Autor e Data

Margarida Conceição 1994 / Paula Figueiredo 2004

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login