Solar dos Viscondes de Oleiros / Edifício da Câmara Municipal de Castelo Branco

IPA.00002521
Portugal, Castelo Branco, Castelo Branco, Castelo Branco
 
Casa senhorial barroca, de planta em U e dois pisos e com a composição das fachadas regular e simétrica. Fachada principal com primeiro registo em cantaria aparente e aparelho rusticado e segundo registo rebocado, com portal principal rematado por frontão curvo irregula, tendo acesso por escadaria central com dois lanços convergentes. Edifício anexo adossado transversalmente à fachada posterior, marcada por loggia. Janelas do piso nobre encimadas por almofada rectangular lisa.
Número IPA Antigo: PT020502050009
 
Registo visualizado 428 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial senhorial  Casa nobre  Casa nobre  Tipo planta em U

Descrição

Planta em U aberto, com disposição horizontalista das massas e cobertura homogénea a dez águas. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, percorridas por faixa pintada, excepto na principal com embasamento de cantaria, flanqueadas por cunhais apilastrados e remates em friso e cornija. Fachada principal voltada a NE., formando pequeno U, de dois registos, o primeiro em cantaria aparente com aparelho rusticado e escadaria central com dois lanços convergentes com guarda de ferro forjado de barras verticais, na base da qual surge vão em arco pleno central; no corpo central, surgem quatro pequenas janelas jacentes e, em cada um dos corpos avançados, porta de verga recta. O segundo registo apresenta portal de verga recta, encimado por friso decorado por óvulos e rematado por frontão curvo irregular almofadado e com pináculos, ladeado por quatro janelas de peitoril rectilíneas, rematadas por friso saliente, acima do qual existe almofada rectangular lisa; uma janela idêntica rasga-se em cada um dos corpos avançados, os quais rematam em frontão triangular. Fachada lateral esquerda, virada a NO., de dois registos com friso separador, tendo, no primeiro, porta central de verga recta, ladeada por seis janelas rectilíneas e moldura simples, surgindo, no segundo, sete janelas rectilíneas rematadas por friso saliente, acima do qual existe almofada rectangular lisa, três das quais de sacada com a guarda da varanda em ferro forjado com barras verticais. No corpo avançado, janela de peitoril. Fachada lateral direita, virada a SE., de dois registos com friso separador, tendo, no primeiro, porta antecedida por lanço de escadas e quatro janelas rectilíneas e com moldura simples, surgindo, no segundo, sete janelas com o mesmo perfil, rematadas por friso saliente, acima do qual existe almofada rectangular lisa. Janela no corpo avançado. Fachada posterior com dois registos com friso separador, tendo três panos divididos por pilastras, os exteriores levemente salientes, rusticadas no primeiro registo e com embasamento proeminente. No primeiro, cinco arcos plenos transformados em janelas e porta antecedidos por três degraus no pano central, surgindo duas janelas rectilíneas e moldura simples em cada um dos panos laterais. No segundo registo, loggia central composta por quatro colunas toscanas e duas embebidas, assentes em plinto almofadado, encontrando-se envidraçada com caixilharia de alumínio e duas janelas rectilíneas e de moldura simples encimadas por almofada rectangular lisa. No remate apresenta três gárgulas. INTERIOR de dois pisos com diferenciação funcional, sendo o acesso ao piso nobre processado através de escadaria exterior. No átrio principal, quatro portas simétricas com molduras apresentando recortes curvilíneos e integrando lambril de azulejos polícromos representando cenas de caça e pesca. Sobre o átrio, desenvolve-se o salão nobre.

Acessos

Praça do Município e Avenida Nuno Álvares Pereira. WGS84: 39º49'21.93''N., 7º29'35.02''O.

Protecção

Categoria: IM - Interesse Municipal, Decreto n.º 95/78, DR n.º 210 de 12 setembro 1978

Enquadramento

Urbano; situa-se isolado, em terreno plano e extramuros no antigo local da Devesa, actualmente amplo espaço ajardinado; antecedido por um lanço de degraus que acompanha toda a fachada; integra espaço da antiga cerca, actualmente parque infantil e de estacionamento, com portão de acesso lateral; proximidade do antigo Solar dos Viscondes de Portalegre.

Descrição Complementar

Fachada posterior com dois corpos laterais, dois andares, 4 janelas (duas em baixo, duas em cima, as inferiores gradeadas); ao centro, cinco vãos de volta perfeita, o central com portas laterais; superiormente, loggia sobre c quatro colunas toscanas e duas embebidas. No lado esquerdo da fachada principal, a Tesouraria e, no centro, recepção, encimado pelo salão nobre.

Utilização Inicial

Residencial: casa nobre

Utilização Actual

Política e administrativa: câmara municipal

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 17 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

PINTORES DE AZULEJO: Real Fábrica do Rato (atr.).

Cronologia

Séc. 16 / 17 - edificação de casa nobre no sítio da Devesa; séc. 17 - reedificação e ampliação da casa, feita com granito proveniente das pedreiras de Alcains, para residência dos descendentes Mesquitas e Albuquerques; séc. 18, final - colocação de lambril de azulejos no alçado posterior, talvez provenientes da Fábrica do Rato; 1935, 18 Outubro - aquisição do edifício pela Câmara Municipal de Castelo Branco, sendo proprietário Francisco Rebelo de Albuquerque; 1949 / 1950 - total remodelação interna e da cerca; supressão de pátio que antecedia a fachada principal e de um volume adossado à fachada lateral esquerda.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes.

Materiais

Granito de Alcains, cantaria e alvenaria, aparelho isódomo e rusticado, revestimento inexistente e reboco; madeira; azulejo; ferro forjado; telha de canudo.

Bibliografia

ALMEIDA, José António Ferreira de, dir., Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1980; DIONÍSIO, Sant'Ana, Guia de Portugal, Lisboa, 1984; LEITE, Cristina, Castelo Branco, Lisboa, 1991; Mapa de Arquitectura de Castelo Branco, Castelo Branco, 2003; NUNES, António Pires, Castelo Branco e a sua Região, Coimbra, 1980; SALVADO, António, Elementos para um Inventário Artístico do Distrito de Castelo Branco, Castelo Branco, 1976; SANTOS, Manuel Tavares dos, Monumentos de Castelo Branco - Casas Solarengas in Beira Baixa, Castelo Branco, 1953, nº 829; SANTOS, Manuel Tavares dos, Castelo Branco na História e na Arte, Castelo Branco, 1958; SILVA, Joaquim Augusto Porfírio da, Memorial Chronologico e Descriptivo da Cidade de Castelo Branco, Lisboa, 1853; SILVEIRA, António, AZEVEDO, Leonel e D'OLIVEIRA, Pedro Quintela, O Programa POLIS em Castelo Branco - álbum histórico, Castelo Branco, 2003; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/71599 [consultado em 26 setembro 2016].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

PROPRIETÁRIO: séc. 20, 2º metade - remodelação dos interiores, com tratamento de rebocos, pavimentos, tectos, caixilharias.

Observações

Autor e Data

Margarida Conceição 1994

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login