Ponte de Parada

IPA.00024812
Portugal, Braga, Vieira do Minho, Parada do Bouro
 
Ponte de arco, construída no início do séc. 20, em betão, constituindo a segunda ponte mais antiga em betão armado existente no nosso país e uma das mais antigas da Europa, ainda que a mais antiga, a Ponte Luíz Bandeira, em Sejães, em Oliveira de Frades se encontre atualmente submersa pela albufeira da barragem do Ribeiradio.
Número IPA Antigo: PT010311110083
 
Registo visualizado 384 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Transportes  Ponte / Viaduto    

Descrição

Ponte de tabuleiro plano, assente em duas costelas em arco, ligadas entre si nas secções onde assentam os montantes, que sustentam as vigas do tabuleiro. Os pilares encontro são em alvenaria de granito. Pavimento de apenas uma faixa de rodagem, em paralelepípedos com passeios sobrelevados laterais, protegidos por guarda em ferro.

Acessos

Parada do Bouro, EM 595-1

Protecção

Categoria: MIP - Monumento de Interesse Público, Portaria n.º 163/2016, DR, 2.ª série, n.º 105 de 01 junho 2016

Enquadramento

Rural, isolado, sobre o rio Cávado, fazendo a ligação entre o Lugar de Aldeia, freguesia de Parada do Bouro, concelho de Vieira do Minho, e o lugar de Dornas, freguesia de Bouro (Santa Maria), concelhio de Amares. Implanta-se num vale encaixado entre as serras de São Mamede e do Couto, numa zona de grande beleza, com pilares encontro assentes nos afloramentos graníticos das margens, vencendo um vão de 33 metros.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Transportes: ponte

Utilização Actual

Transportes: ponte

Propriedade

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

EMPRESA DE CONSTRUÇÃO: Moreira de Sá & Malevez (1908-1909).

Cronologia

1908 - 1909 - construção da ponte, de acordo com o sistema Hennebique, cuja concessionária em Portugal era a empresa construtora Moreira de Sá & Malevez; 1950 - vistoria da ponte e elaboração de projeto de reforço estrutural da mesma; 2003 - na sequência de um inverno bastante rigoroso, a ponte é inspecionada por técnicos da Universidade do Porto, que concluem que a ponte deveria ser interdita à circulação de veículos de maior tonelagem; 2013 - elaboração de um novo relatório sobre a ponte por técnicos da Universidade do Minho; 2014, 15 outubro - publicação da abertura do procedimento de classificação da ponte em Anúncio n.º 248/2014, DR, 2.ª série, n.º 199; 2015 - por motivos de segurança, a circulação na ponte é restringida à circulação de veículos até 2,60 m de largura, 3,50 m de altura e 12 toneladas de peso; 2016 - as Câmaras de Amares e Vieira do Minho decidem ensaiar uma candidatura a financiamento nacional ou comunitário para a reabilitação da ponte.

Dados Técnicos

Materiais

Estrutura em betão.

Bibliografia

ASSIS, Francisco de, FERREIRA José Carlos - «Pontes de Vieira do Minho». In Diário do Minho. 26 janeiro 2006, pp. 22-28; SILVA, José Paulo - «Ponte de Parada classificada monumento de interesse público». In Correio do Minho. 09 agosto 2016, p. 13.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

1961 / 1962 - obras de conservação da ponte, nomeadamente no reforço dos encontros.

Observações

EM ESTUDO

Autor e Data

Joaquim Gonçalves 2006

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login