Pelourinho de Oliveira de Frades

IPA.00002475
Portugal, Viseu, Oliveira de Frades, União das freguesias de Oliveira de Frades, Souto de Lafões e Sejães
 
Pelourinho oitocentista, de bloco cilíndrico, com soco quadrangular de um degrau e fuste cilíndrico, com remate em esfera e cilindro.
Número IPA Antigo: PT021810040002
 
Registo visualizado 178 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição universitária  

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco quadrangular de um degrau e rebordo saliente, onde assenta base tronco-piramidal em escada. Fuste cilíndrico com dois listéis junto à base e ao topo onde assenta uma esfera lisa. Remate cilíndrico de dois registos escalonados, sendo o segundo, diminuto, encimado por meia esfera *1.

Acessos

Largo de Nossa Senhora do Carmo. WGS84 (graus decimais) lat.: 40.732344; long.: -8.175113

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 23 122, DG, 1.ª série, n.º 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano, em amplo largo de forma triangular, desnivelado do arruamento principal, calcetado e vedado ao trânsito automóvel, provido de canteiros de flores e circundado por edifícios antigos de dois pisos, alguns recuperados. Isolado, em destaque.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 19 (conjectural) / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Época medieval - a povoação integra um couto; 1708 - a povoação tem 150 vizinhos; tem juiz ordinário, que também exerce o cargo de juiz dos órfãos, vereadores e demais oficiais; 1758, 19 Junho - as Memórias Paroquiais indicam que o Couto de Oliveira de Frades, com 80 vizinhos, tem justiças próprias, com juiz ordinário e câmara; pertence à Universidade de Coimbra; 1833 - constituição do Concelho de Oliveira de Frades, anteriormente freguesia integrada no de Lafões; provável edificação do pelourinho; 1836 - o Concelho é extinto e subordinado a Vouzela; 1837 - restauração do Concelho de Oliveira de Frades por decreto de D. Maria II; 1943 - a Câmara Municipal informou que já há muitos anos não existe Pelourinho em Oliveira de Frades, desconhecendo-se a existência de fragmentos do mesmo que permitissem a sua reconstrução; 1958 - descobriu-se um fragmento do Pelourinho constituído pela base e pelo fuste, idênticos e provavelmente os mesmos do actual monumento; o remate, inexistente, constava ter sido uma esfera, em tempos levada para a oficina de um ferreiro em Souto de Lafões; séc. 20, 2.ª metade - reconstrução do pelourinho que durante vários anos esteve erguido na esquina da Rua da Rocha com a Avenida Dr. António José de Almeida, sendo depois retirado e abandonado nas traseiras da antiga cadeia; 1976 - completado e colocado junto à Avenida dos Descobrimentos; 1990 - o monumento foi restaurado pela Câmara Municipal e colocado defronte do Cine-Teatro; 1995 - foi deslocado para o local actual.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito.

Bibliografia

COSTA, António Carvalho da (Padre), Corografia Portugueza…, vol. II, Lisboa, Valentim da Costa Deslandes, 1708; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; NABAIS, António, RODRIGUES, Carlos, MARTINHO, Manuel, Oliveira de Frades, Oliveira de Frades, 1991; SOUSA, Júlio Rocha e, Pelourinhos do Distrito de Viseu, Viseu, 1998; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/73407 [consultado em 28 dezembro 2016].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 26, n.º 26, fl. 225-234)

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

*1 - a esfera que encima o fuste aparenta ser de feitura muito recente e a restante estrutura um reaproveitamento.

Autor e Data

Lina Marques 1996

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login