Núcleo urbano da Ilha de Gorée

IPA.00024403
Senegal, Dakar, Dakar, Dakar
 
Núcleo urbano sede administrativa, situado em costa marítima. Feitoria de fundação portuguesa e posterior colonização holandesa e francesa, com fortificação marítima moderna inserida no sistema defensivo da baía de Dakar. Presença portuguesa relacionada com a feitoria destinada ao tráfico negreiro, tendo durado apenas cerca de um século, razão pela qual o actual núcleo urbano e respectivas construções não apresentam vestígios significativos do período da expansão.
Número IPA Antigo: SN910101000001
 
Registo visualizado 1962 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto urbano  Aglomerado urbano  Vila  Cidade moderna    

Descrição

Acessos

A Ilha está a 20 minutos de chalupa do porto de Dakar

Protecção

Património Mundial - UNESCO, 1978

Enquadramento

Urbano, implantado em costa marítima. Ilha do Senegal localizada ao largo de Cabo Verde a 3,5km da costa. Gorée situa-se S. da baía de Dakar e é uma das suas dezanove freguesias. A ilha deteve uma posição geoestratégica entre o N. e o S. de África, desde o séc. 15, devido ao porto de ancoragem segura de Gorée. Este porto tem sido o local de escala obrigatória em trocas comerciais do continente africano, este foi sempre desejado por várias nações europeias. A Ilha tem uma extensão de cerca de 900 m de comprimento por 320 m de largura e está orientada no sentido NO./ SE..

Descrição Complementar

Núcleo urbano delimitado a S. pelo planalto onde se localiza a Fortaleza de São Miguel construída durante a ocupação francesa. A N. encontra-se a zona baixa da ilha onde se ergue o Forte Estrées, uma bateria de planta circular construída no séc. 19. Virado a E. encontra-se a baía que era o porto seguro para as trocas comerciais. Saindo dos arredores do Forte São Miguel para N. vê-se apraça com a Igreja de São Carlos; continuando pela Rua Déserte encontra-se a Casa Natal de Blaise Diagne e mais para E. o Museu Histórico de Ifan. Nas imediações ficam os jardins públicos. Na Rua St. Joshep encontra-se o Laboratório de Biologia Marinha, onde as religiosas de São José de Cluny fundaram um mosteiro; depois as ruínas da Casa dos Escravos e o Museu Marítimo situado no antigo edifício da Companhia de Índias. Na Praça do Governo destaca-se uma estátua em homenagem aos que morreram de febre-amarela. Muito perto, ergue-se o edifício da Prefeitura e o Forte de São Francisco. O Centre Roume foi o antigo Palácio de Governo, actualmente convertido num centro de pesca desportiva conhecido como o Relais de L´Espadon. Junto aos rochedos encontra-se a Casa da Madre Javouhey e não muito longe a mesquita. Referência ainda para o caminho de carros de artilharia.

Utilização Inicial

Não aplicável

Utilização Actual

Não aplicável

Propriedade

Não aplicável

Afectação

Não aplicável

Época Construção

Séc. 15 / 17 / 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1444 - descoberta de Dinis Dias de uma pequena ilha ao largo de Cabo Verde, a que foi dado o nome de Ilha da Palma; 1482 - portugueses constroem na ilha uma capela; 1536 - construção da casa de escravos pelos portugueses; 1595 - apoio à navegação feito nos arquipélagos de Cabo Verde e de São Tomé e Príncipe relevam para segundo plano a passagem pela ilha da Palma assim a presença portuguesa mantém-se até esta data mas com menor interesse; 1627 /1628 - os holandeses consideram a ilha fundamental para a protecção do comércio no Atlântico Sul, onde conseguem fixar-se pela primeira vez, construindo dois fortes um no sítio de Nassau Cove, com o nome de Nassau ou Forte de S. Francisco e outro num planalto onde mais tarde viria a ser o Forte Orange; 1629 - o governador de Cabo Verde consegue escorraçar os ocupantes, desmantelando o Forte Nassau; 1639 - os holandeses tentam de novo estabelecer-se na ilha, construindo o forte de Orange, sobre a colina, e na parte baixa armazéns para mercadorias destinadas aos postos de comércio continental; apesar dos holandeses ocuparam a ilha por quase meio século, foram desalojados por diversas vezes; 1645 / 1659 - expulsão dos holandeses pelos franceses; 1664 - a ilha é tomada pelos ingleses ao comando de Robert Holmes; 1677, 1 Novembro - o vice-almirante Estrées toma a Ilha a favor do rei de França, a ilha mantêm-se sobre o domínio francês até 1960; 1668 - a descrição do humanista holandês Olfert Dapper sobre África regista a etimologia do nome dado pelos seus conterrâneos à ilha: Goe-ree Goede Reede; 1776 - construção da casa de escravos pelos holandeses, que ainda existe; 1758 /1763 - os ingleses detêm a ilha e afastam-se com o Tratado de Paris restituindo Gorée a França; 1779 - a ilha foi assolada por uma epidemia; desmantelamento do Forte de São Francisco ou Forte Nassau; 1785 - a Ilha de Gorée é a capital da colónia do Senegal e a mais importante porto de ancoragem da costa O. de África; 1794 - durante a revolução francesa foi abolida a escravatura e reposta o comércio de escravos em 1802 por Napoleão; 1815 - o tratado de Viena proíbe o tráfico de escravos; 1822 - fundação de um mosteiro pelas religiosas de São José de Cluny; 1832 - a população passa de 5.000 para 600 habitantes; 1848 - abolição da escravatura em França; 1852 / 1856 - construção da bateria circular, à qual se deu o nome do almirante Estrées que conquistou Gorée aos Holandeses e que vem substituir as pequenas baterias isoladas que faziam a defesa do extremo N. da ilha; 1857 - a fundação de Dakar e deslocação do comércio para a costa; 1874 - a grande bateria é desfeita para dar lugar a uma via pública; 1944 - a ilha é classificada como sítio histórico; 1960 - independência do Senegal; 1975, 17 Novembro - inscrição na lista de património nacional; 1978 - a ilha de Gorée recebe a classificação de Património Mundial pela Unesco; data da proposta de criação da Universidade des Mutants por M. Roger Garaudy, director do Instituto Internacional para o Dialogo entre as Civilizações; 1996 - o parlamento Senegalês pronuncia-se a favor de uma reforma na organização territorial do país, apoiando a descentralização política, Dakar é dividida em dezanove communes (freguesias) com mais autonomia; passando Gorée a ser uma commune d'arrondissement de Dakar; 1900 / 1914 - obras de reforço da defesa do porto e base naval de Dakar que incluiram Gorée; 1930 - construção da torre blindada em Gorée em resultado do reforço das defesas costeiras.

Dados Técnicos

Não aplicável

Materiais

Não aplicável

Bibliografia

DELCOURT, Jean, La turbulante histoire de Gorée, Dakar, Claireafrique, 1982; DELCOURT, Jean, Gorée, six siècles d`histoire, Dakar, Clairafrique, 1984.

Documentação Gráfica

Biblioteca Medicea Laurenziana: Isola di Gorea (Gorée) presso la costa africana del Senegal, Carte di Castello 6, séc. 17; Bibliothèque Nationale de France/ Département Cartes et Plans: Plan de l'isle de Gorée, Charles Inselin, s.d. (séc. 17), http://catalogue.bnf.fr/ark:/12148/cb406046186; Plan de l'isle de Gorée, François Baillieul, s.d. (séc. 18), http://catalogue.bnf.fr/ark:/12148/cb40604620r; Veue du cap Vert ; Veue de la rade de l'isle de Gorée, Jean-Baptiste Labat, s.d. (séc. 18), http://catalogue.bnf.fr/ark:/12148/cb40604625g; Plan de l'isle de Gorée avec ses deux forts et le combat que nous avons rendu le premier du mois de novembre 1677, Batailles navales, s.d. (séc. 18), http://catalogue.bnf.fr/ark:/12148/cb40604619j; Plan de l'isle de Goré avec ses fortifications, s.d. (séc. 18), http://catalogue.bnf.fr/ark:/12148/cb40604622f; Plan de l'isle de Goré avec ses fortifications, Jacques-Nicolas Bellin, s.d. (séc. 18), Collection d'Anville, 08147, http://catalogue.bnf.fr/ark:/12148/cb40604713r; New York Public Library: Plan de l'Isle de Gorée, Pierre François Tardieu, 1786.

Documentação Fotográfica

Bibliothèque Nationale de France/ Département Société de Géographie: 4 phot. du Sénégal (Dakar, Gorée, Saint-Louis), don Émile Caminade, 1887, http://catalogue.bnf.fr/ark:/12148/cb40589908d.

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

*1 - a designação de Gorée advém da palavra neerlandesa "goede reede" que significa "bom porto". A Ilha de Gorée está geminada Essaouira em Marrocos e Nearcy em França.

Autor e Data

Sofia Diniz 2006 / Anouk Costa e Rita Vale 2011

Actualização

Manuel Freitas (Contribuinte externo) 2011
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login