Termas do Gerês / Estância Termal das Caldas do Gerês

IPA.00024316
Portugal, Braga, Terras de Bouro, Vilar da Veiga
 
Arquitectura de saúde, setecentista. Termas.
Número IPA Antigo: PT010310170024
 
Registo visualizado 138 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto arquitetónico  Edifício e estrutura  Saúde  Termas    

Descrição

Complexo termal constituido pelo balneário, a colunata, os edifícios de hotel e o parque. BALNEÁRIO de planta rectangular composta por três corpos rectangulares, com um central, de dois pisos, e os laterais de um piso, em disposição simétrica. Volumes articulados com coberturas escalonadas em telhados de quatro águas, e rematados em beirada simples com fachadas rebocadas e pintadas. Fachada principal voltada a SE. desenvolvida simetricamente em três panos, o central e os dos extremos levemente salientes, rasgada regularmente por vãos. O pano central, com dois pisos, é rasgado, no nível do piso térreo, por portal ladeado por duas janelas, de verga recta; no segundo piso, abrem-se três pequenas janelas em arco de volta perfeita. Os corpos intermédios possuem cinco janelas em arco de verga abatida. Na fachada lateral N, adossa-se um torreão. INTERIOR com vestíbulo central de distribuição para as áreas de tratamentos. COLUNATA composta por galeria semicircular e construções com diversas funções, incluindo a COPA, construída junto à nascente localizada na escarpa rochosa.

Acessos

Avenida Manuel Francisco da Costa

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Rural, isolado, na proximidade do Hotel Águas do Gerês (PT010310170023).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Saúde: termas

Utilização Actual

Saúde: termas

Propriedade

Privada: pessoa colectiva

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 18

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITETO: Raul Lino, Jorge Sodré de Albuquerque (1998), Ana Almeida (1998); ENGENHEIRO: Manuel da Terra Viana.

Cronologia

Séc. 17 - provável existência de uma penha com cinco bicas de água; séc. 18 - o Rei D. João V promoveu a construção de edifícios para banhos (abrigos de cobertura cónica para diferentes poços); 1886/1887 - o médico Ricardo Jorge interessou-se por estas águas minerais e publicou diversos livros acerca da eficácia destas águas; início da construção do primeiro edifício termal do Gêres; 1888 - visita de D. Luiz I e D. Maria Pia, D. Carlos I e D. Amélia; 14 agosto - data de concurso publicado no Diário do Governo para a concessão das águas, tendo sido adjudicado contrato provisório pelo prazo de 50 anos; 1896 - achados arqueológicos da civilização romana confirmam exploração das águas minerais do gêres; a exploração das águas foi concessionada à Empresa das Águas do Gerês; 1897 - construção dos balneários; 1899 - abertura dos novos balneários para diferentes classes; 1924/1928 - projetos de melhoramento urbano, com a edificação de um passeio coberto em galeria (composto por oito lojas, casa de fresco, copa e terraço), uma nova capela, novo arruamento e jardim junto ao rio; 1970 - projetos de ampliação dos balneários e construção da piscina exterior; 1998 - novo contrato de exploração com a empresa das Águas do Gêres; trabalhos de reconversão urbana, recuperação de instalações balneares e hoteleiras; 2004, 7 julho - despacho de abertura do Presidente do IPPAR; 2009, 23 outubro - caduca o processo de classificação conforme o Artigo n.º 78 do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, n.º 206, alterado pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251 de 28 dezembro 2012, que faz caducar os procedimentos que não se encontrem em fase de consulta pública.

Dados Técnicos

Materiais

Bibliografia

http://www.aguas.ics.ul.pt/braga_geres.html, 8 outubro 2012.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

2012 - remodelação do hotel.

Observações

EM ESTUDO

Autor e Data

Sónia Basto 2012

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login