Vias Antigas em Alpedrinha e Castelo Novo

IPA.00002425
Portugal, Castelo Branco, Fundão, Alpedrinha
 
Troços de vias romanas de traçados curvilíneos e de tendência rectilínea, com pavimentação em blocos de granito alinhados lateralmente e de configuração irregular na faixa de rodagem, formada por duas ou três camadas "stratum", "ruderatis" e "summa crusta". Ponte com arco de volta perfeita.
Número IPA Antigo: PT020504060012
 
Registo visualizado 379 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto arquitetónico  Estrutura  Transportes  Via    

Descrição

Conjunto identificado composto por seis vias, numa extensão descontínua total e aproximada de 765 m., implantadas em pendentes acentuadas e com traçado de tendência rectilínea mas descrevendo numerosas inflexões, por vezes muito pronunciadas. Pavimentação ou "summa crusta" formada por blocos de granito de configuração rectangular alinhados lateralmente e blocos de configuração e disposição irregular na faixa de rodagem. A via compreendida entre o Lg. D. João V e o Lug. da Portela, em direcção a Alcongosta, de orientação SE. - NO., apresenta uma extensão contínua aproximada de 190 m., com pendente acentuada e descrevendo numerosas inflexões. A segunda, compreendida entre a EN. 18 e Lug. de São Brás, em direcção a Castelo Novo, de orientação NE. - SO., apresenta uma extensão contínua aproximada de 200 m., com pendente acentuada e descrevendo algumas inflexões, uma das quais acentuada. Integra, junto à Ribeira de Alpreade, pequena ponte semi-soterrrada pela alteração do curso da ribeira, observando-se um arco de volta perfeita com extradorso descoberto, em pedra granítica. A via que parte do Lug. de Barcelos, na periferia de Alpedrinha, em direcão ao Lug. de Carvalhal Redondo, de orientação N. - S. e SE. - NO., apresenta uma extensão contínua aproximada de 170 m., com pendente acentuada e descrevendo algumas inflexões, uma das quais muito acentuada. A via que parte do Lug. de Barcelos, na periferia de Alpedrinha, em direcção ao Lug. de Nogueirões, de orientação SE. - NO., apresenta uma extensão contínua aproximada de 50 m., com pendente acentuada e descrevendo algumas inflexões pouco acentuadas. Estabelece continuidade com o troço SE. - NO. da via anterior. A que parte da Ribeira de Alpreade, passando pelo Cemitério de Castelo Novo, em direcção a S., de orientaçãoo E. - O. e N. - S., apresenta uma extensão descontínua aproximada de 95 m., com pendente acentuada e descrevendo algumas inflexões. A via parcialmente compreendida entre o Lug. das Gândaras e o Lug. da Ponte Velha, de orientação SO. - NE., apresenta uma extensão contínua aproximada de 60 m., com pendente pouco acentuada e de tendência rectilínea.

Acessos

Largo D. João V (Alpedrinha) - Portela, pela EN 18, para Lugar de São Brás; Lugar de Barcelos - Carvalhal Redondo; Lugar de Barcelos - Nogueirões; Ribeira de Alpreade - Cemitério de Castelo Novo; EN 18, no Lugar das Gândaras. WGS84 (graus decimais) lat.: 40,100062; long.: -7,469038

Protecção

Em vias de classificação (Homologado como IIP - Imóvel de Interesse Público, Despacho de 17 maio 1990 da Secretária de Estado da Cultura)

Enquadramento

Rural, periferia de aglomerados urbanos; proximidade do Palácio do Picadeiro (v. PT020504060014), em Alpedrinha, Capela alpendrada de São Sebastião de Alcongosta e Cemitério de Castelo Novo. Troços delimitados por muros de alvenaria de granito, por vegetação da Serra da Gardunha e por vezes transpondo pequenos cursos de água, nomeadamente na Ribeira de Alpreade.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Transportes: via

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 01 / 04 / 08 / 12 / 14 / 15 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 01 - 04 - hipotética construção das calçadas *1; séc. 08 - 12 - hipotética construção da ponte; séc. 14 - 15 - hipotética reconstrução ou reaproveitamento das calíadas ligando Alpedrinha e Castelo Novo a outras povoações limítrofes, como Alcongosta e Soalheira.

Dados Técnicos

Estrutura autónoma.

Materiais

Granito.

Bibliografia

MOTTA, António José Salvado, Monografia d'Alpedrinha, Alpedrinha, 1933; LOPES, F. Pina, Antigualhas da Beixa Baixa, in Boletim da Casa das Beiras, Lisboa, ano IV, n.º 6, 1938; ALMEIDA, João de, Roteiro dos Monumentos Militares Portugueses, Lisboa, 1945; SALVADO, António, Elementos para um Inventário Artístico do Distrito de Castelo Branco, Castelo Branco, 1976; ALMEIDA, José António Ferreira de, dir., Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1980; PROENÇA, Raul e DIONÍSIO, Sant'Ana, Guia de Portugal, Beira II - Beira Baixa e Beira Alta, Lisboa, 1984; NEVES, Vítor Manuel Leal Pereira, As Aldeias de Monsanto, Idanha-a-Velha e Castelo Novo, Lisboa, 1996; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/74834 [consultado em 14 outubro 2016].

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID; IGESPAR: IPPAR

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID; IGESPAR: IPPAR

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID; IGESPAR: IPPAR

Intervenção Realizada

Observações

*1 - no sítio de Carvalhal Redondo, identificado como o povoado romano de Petratinia ( origem provável do topónimo Alpedrinha ) foram identificados vestígios da época romana, nomeadamente estruturas arquitectónicas, materiais de construção, canalizações, vidraças, fragmentos de colunas, moedas.

Autor e Data

Margarida Conceição 1993 / Luís Castro 1997

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login