Pelourinho de Janardo

IPA.00002411
Portugal, Viseu, Tondela, Guardão
 
Pelourinho setecentista, de pinha piramidal embolada, com soco quadrangular de dois degraus, onde assenta o plinto paralelepipédico e o fuste quadrangular, de arestas chanfradas, rematado por pináculo piramidal, encimado por esfera.
Número IPA Antigo: PT021821080003
 
Registo visualizado 198 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição senhorial  Tipo pinha

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco quadrangular de dois degraus, sobre o qual se ergue plinto paralelepipédico de arestas chanfradas a partir de cerca de um terço da sua altura e sobre ele o fuste de base quadrada, chanfrada nos ângulos. Remate da coluna, por bloco quadrangular, formando mesa saliente e, sobre ela, peça piramidal quadrada, ligeiramente encurvada para o vértice, rematada por esfera.

Acessos

IP 3, para Molelos / Tondela / Caramulo; EN 230, ao Km 59,3 para Janardo a 1 Km; ou EN 220, ao Km, 59,8, para Janardo, a 700 m., junto à via pública. WGS84 (graus decimais) lat.: 40,566377; long.: -8,157169

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 23 122, DG, 1.ª série, n.º 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano, a meia encosta, destacado, isolado em recanto junto à via pública.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 18 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 15 - a povoação foi dada por D. João I ao Infante D. Henrique, integrando o ducado de Viseu; este doa-o ao seu escudeiro, Pedro Gonçalves; 1735 - data sobre a verga da porta da antiga Casa da Câmara, contígua a este, certamente próxima da construção do pelourinho; séc. 20, anos 30 - foi partido durante uma procissão ficando apenas os degraus e parte da coluna; 1758, 23 Maio - nas Memória Paroquiais, assinadas pelo pároco Manuel Lopes Ribeiro, é referido que a povoação pertence aos descendentes do escudeiro do Infante D. Henrique; 1947 - foi encontrada parte da coluna em falta; 1962 - encontrava-se ainda fragmentado.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito.

Bibliografia

CHAVES, Luis, Os Pelourinhos - Elementos para o seu Catálogo Geral, Lisboa, 1939; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; REAL, Mário Guedes, Revista da Beira Alta, vol VI, nº. II, 1947; REAL, Mário Guedes, in Revista da Beira Alta, vol XXII, nºs. III e IV, 1962; SOUSA, Júlio Rocha e, Pelourinhos do Distrito de Viseu, Viseu, 1998.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID; DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 18, n.º 119, fl. 653-680)

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

Autor e Data

Madeira Portugal 1992 / João Carvalho 1997

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login