Fonte dos Engaranhados

IPA.00024018
Portugal, Bragança, Mirandela, Frechas
 
Arquitectura infraestrutural, vernácula. Fonte de mergulho de planta rectangular, com fachada em arco de volta perfeita e interior abobadado. Fachada em empena, com cornija, tendo cobertura interior assente em cornija. Possui data inscrita no fecho, pouco frequente neste tipo de construções. No interior do tanque, pedra para assentar o vasilhame.
Número IPA Antigo: PT010407160184
 
Registo visualizado 552 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Hidráulica de elevação, extração e distribuição  Chafariz / Fonte  Chafariz / Fonte  Tipo mergulho

Descrição

Fonte de planta rectangular Smples, com estrutura em cantaria de granito e fachada principal virada a S., com vão em arco de volta perfeita, em cantaria de granito com aduelas irregulares e assente em impostas salientes tendo, sobre o fecho, inscrita a data de "1588"; cobertura em empena terminada em cornija, muito deteriorada, com pedras de granito. INTERIOR com tanque rectangular com pedra para suporte de vasilhame, cobertura em abóbada de berço, em cantaria de granito, assente sobre pequena cornija; topo da cabeceira fechado por quatro grandes lajes; a água é conduzida para o exterior por perfuração circular na pedra inferior do vão.

Acessos

A partir de Mirandela, 16 km. pela EN 213, em direcção a Vila Flor, depois por EM, em direcção a Vale da Sancha, 1 km. por caminho carreteiro até à fonte. Gauss: M=283.1; P=492.9; Fl. 91

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Rural, isolado, a meia encosta, junto ao antigo caminho que ligava as povoações de Vale de Sancha e Frechas, no sopé do outeiro em que se implanta a capela da Senhora do Aviso, a cerca de 1 km. de Vale da Sancha e 2 km. de Frechas. Surge inserido num muro, em alvenaria de xisto, que serve de suporte do terreno situado a N. e que acompanha o percurso do caminho carreteiro.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Hidráulica: chafariz

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1588 - construção da fonte, conforme data no fecho do arco *1; 1706 - na Corografia Portuguesa, refere-se a existência, no lugar de Vale da Sancha, de duas fontes (COSTA, 1706: 475), uma delas seria a fonte de Engaranhados e a outra uma fonte de mergulho, em cantaria e com arco de volta perfeita que existia no centro da povoação, na rua da Fontinha, e que foi demolida há alguns anos (FERNANDES, p. 27); 1758 - nas Memórias Paroquiais, refere-se que, por baixo da capela de Nossa Senhora do Viso, está "uma fonte, que dizem, eram as suas águas milagrosas, ainda na encosta de São Lourenço levam santos a elas e algumas pessoas levam lá as crianças engaranhadas, e dizem que têm melhoras em qualquer tempo que seja" (FERNANDES, p. 210)..

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Fontanário em cantaria de granito; muro de suporte em alvenaria de xisto.

Bibliografia

COSTA, António Carvalho da, Corografia Portuguesa, Lisboa, 1706; FERNANDES, Ilda, Frechas, tradição e modernidade, Mirandela, 2001.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

*1 - segundo a tradição, as crianças "engaranhadas", que não cresciam ou não engordavam, deviam ser banhadas na fonte, devendo o peregrino ir por um caminho e vir por outro e a criança ser mergulhada vestida. As roupas molhadas deviam ser arrastadas pela corrente e ser-lhe vestida roupa seca. Enquanto a criança era mergulhada 9 vezes rezava-se: "Angaranho vai-te daqui / Que esta água vai atrás de ti / Em louvor de Deus e da Virgem Maria / Um Padre Nosso e uma Avé-Maria" (FERNANDES, pp. 173-174).

Autor e Data

Miguel Rodrigues 2004

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login