Pelourinho de Leomil

IPA.00002376
Portugal, Viseu, Moimenta da Beira, Leomil
 
Pelourinho quinhentista, de gaiola octogonal, com soco octogonal de quatro degraus, sendo também o fuste octogonal. Remate em capitel, tendo, no topo a gaiola com oito colunelos, encimado por esfera armilar. Modelo aproximado aos pelourinhos de Chãs de Tavares (v. PT021806030003), Sernancelhe (v. PT011818160003) e Penedono (v. PT011812060002). Fuste de altura de 4 m., que se prolonga inferiormente, atravessando os degraus e penetrando no solo.
Número IPA Antigo: PT011807090003
 
Registo visualizado 216 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição senhorial  Tipo gaiola

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco octogonal de quatro degraus escalonados, lisos, de onde emerge o fuste, inferiormente de secção quadrangular, esbatendo-se as arestas em largos chanfros a c. 0,75 m de altura, transformando-se em octogonal, liso, até à moldura inferior saliente do capitel, também facetado em octógono crescente. Remate em gaiola aberta, sobre ábaco oitavado, com oito colunelos cilíndricos sulcados a meia altura, exceptuando o do lado SO.. No interior um esteio de reforço. Cobertura em cúpula poligonal oitavada terminada em esfera armilar com haste de ferro cravada, tendo inferiormente quatro pequenas peças metálicas, provável resto de um cata-vento.

Acessos

Praça do Pelourinho. WGS84 (graus decimais) lat.: 40.983856; long.: -7.653704

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 23 122, DG, 1.ª série, n.º 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano, isolado, implanta-se em amplo largo calcetado com fontanário, com ligeira inclinação para E., circundado por edifícios de dois e três pisos e arruamento a N.. Tem como separador quatro frades de pedra adossados aos degraus.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 16

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 12 - era vila, cabeça de couto doado a Garcia Rodrigues; 1385 - concessão do título de Conde de Marialva a Vasco Fernandes Coutinho, por D. Afonso V; o Conde torna-se senhor da vila; séc. 16 - provável construção do pelourinho; 1514 - o livro dos Forais Novos da Beira regista o foral do Souto do Couto de Leomil, provavelmente a vila de Leomil; 1527 - o cadastro joanino da população do reino faz referência à vila de Leomil; 1661, 11 Junho - concessão do título de Marquês de Marialva, por D. Afonso VI; 1708 - a povoação, com 300 vizinhos, é do Marquês de Marialva, que apresenta as justiças; tem ouvidor, com seu escrivão, meirinho, 2 juízes ordinários, 2 vereadores, um escrivão da câmara, 2 tabeliães e um juiz dos órfãos com o seu escrivão; 1758, 09 Maio - nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo pároco Francisco de Almeida Nunes, é referido que a povoação, com 89 vizinhos, pertence ao Marquês de Marialva; 1855 - extinção do Concelho de Leomil que se integra como freguesia no de Moimenta da Beira; 1943 - o pelourinho encontrava-se em mau estado de conservação, principalmente a base e a escadaria. Notícia da existência de outro pelourinho que foi demolido e os fragmentos guardados no ;cemitério; 2001, 15 Maio - concurso da Câmara Municipal de Moimenta da Beira para reabilitação urbana do centro histórico de Leomil.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito; grimpa de ferro.

Bibliografia

COSTA, António Carvalho da (Padre), Corografia Portugueza…, vol. II, Lisboa, Valentim da Costa Deslandes, 1708; GUIA, A. Bento da, Os Oito Concelhos de Moimenta da Beira, Viseu, 1984; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; REAL, Mário Guedes, Pelourinhos da Beira Alta, Leomil, Rev. Beira Alta, vol. XXII, Viseu, 1963, pp. 343-358; SOUSA, Júlio Rocha e, Pelourinhos do Distrito de Viseu, Viseu, 1998.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID; DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 20, n.º 79, fl. 599-592)

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

Autor e Data

Lina Marques 1996

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login