Capela de Nossa Senhora da Conceição de Trás-do-Outeiro

IPA.00023481
Portugal, Leiria, Óbidos, Santa Maria, São Pedro e Sobral da Lagoa
 
Capela quinhentista de uma nave e capela-mor mais estreita e baixa; sacristia adossada a N.. Coberturas em telhados de 2 e 1 águas
Número IPA Antigo: PT031012040055
 
Registo visualizado 165 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta longitudinal orientada E. O. composta por nave única, capela-mor mais estreita e baixa, com coberturas a duas águas; e sacristia adossada a N., com cobertura a uma água continuando a da capela mor. Massa simples disposta horizontalmente; estrutura de alvenaria rebocada e caiada de branco com barras azuis. A fachada apresenta um pórtico de acesso, encimado por uma janela de vão recto. Remate em frontão com frisos em massa. Ao centro do tímpano existe uma lápide rectangular em mármore com a inscrição "N. S. CONCEIÇÃO 1909-1938". A empena é rematada no vértice por uma cruz em pedra trilobada. Ao lado direito da fachada existe uma sineira com um único sino. No embasamento da fachada principal desenvolve-se um banco corrido de alvenaria. Acede-se ao interior através de três degraus. Os beirais da nave assentam sobre uma cimalha quadrangular; os da capela-mor e anexo assentam directamente na parede. A fachada voltada a S. evidencia uma fresta. Todas as restantes paredes são cegas, existindo apenas uma segunda porta de acesso ao volume anexo à sacristia, voltado a E.. INTERIOR: compõe-se de nave com tecto em painéis de três planos; capela-mor separada da nave por arco triunfal de volta perfeita. À entrada do templo, ao lado esquerdo, encontra-se uma pia de água benta e o acesso ao coro de laje de betão assente em dois pilares também em betão. A parte superior é guarnecida com um varandim de ferro forjado. Ladeando o arco da capela-mor estão duas edículas destinadas às imagens de Santa Justa e Santa Rufina *1 O tecto da capela-mor é de falsa abóbada de berço, pintado de azul e decorado com estrelas. O retábulo da capela-mor compõe-se de um arco de volta perfeita e, dentro deste, uma edícula guarnecida com um segundo arco em alvenaria pintada. Nesta edícula encontra-se uma imagem de Nossa Senhora da Conceição (c. 1930-40) *2. O sacrário é composto apenas por uma vista em talha dourada *3, Da capela-mor acede-se à sacristia. Nesta destaca-se apenas a existência de um pequeno arcaz-paramenteiro, bem como um pia de água benta em meia esfera.

Acessos

Rua 8 de Dezembro; Rua da Cerca; Largo do Chafariz

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano. Implanta-se num adro que corre em todo o redor da capela. O adro é murado e acede-se por três aberturas, a mais importante de todas com um lanço de 9 degraus em cantarias antigas e muito irregulares.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Religiosa: capela

Propriedade

Privada: Igreja Católica

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 16 (conjectural) / 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 16 - construção da capela; data do arcaz da sacristia; 1909 - 1938 - reedificação da capela, sendo, provavelmente destas datas a substituição do coro em madeira por betão.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes

Materiais

Alvenaria de pedra e reboco, cobertura em laje de betão e telha lusa.

Bibliografia

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

DGEMN: DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Paróquia: séc. 20 - obras no interior do templo com a substituição do coro alto; reparação dos telhados

Observações

Apesar da capela ter sido reedificada entre 1909 e 1938, alguns elementos que não foram reparados são bastante anteriores. Tendo em conta que a dedicação da capela é a Nossa Senhora da Conceição, crê-se poder haver uma precedência que remonte ao período de funcionamento do Convento de São Miguel de Trás do Outeiro (até finais do séc. 16). Esta capela localizava-se fora do perímetro da cerca do antigo convento, sendo que se encontra separada deste apenas por uma rua. *1: de acordo com a tradição, procedentes da desaparecida ermida dedicada a estas santas, templo que existiu até meados do séc. 19 à entrada da localidade de Santa Rufina junto ao Arelho. *2: que vem em substituição de outra que se encontra sobre o altar de finais do séc. 16 ou inícios do séc. 17. *3: outrora dourada a ouro e hoje completamente purpurinada, eventualmente procedente de alguma capela do extinto convento de São Miguel nesta localidade.

Autor e Data

Sérgio Gorjão 2004

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login