Capela de Nossa Senhora da Vitória

IPA.00002338
Portugal, Lisboa, Loures, União das freguesias de Camarate, Unhos e Apelação
 
Arquitectura religiosa, barroca. Capela barroca de palácio rural, com linhas exteriores sóbrias e decoração interior rococó. Contraste entre a simplicidade exterior e a riqueza decorativa interior, com um lambril de azulejos recortado, do rococó inicial, e com um programa iconográfico complexo. É um conjunto de boa qualidade, com desenho convencional, acusando um bom trabalho de artífice.
Número IPA Antigo: PT031107030015
 
Registo visualizado 1033 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta longitudinal simples com cobertura de telha a 1 e 2 águas. Frontespício com embasamento e parastáticas que o subdividem em 3 corpos; o central é mais alto e termina em empena ladeado por 2 fogaréus. Portal de verga sensivelmente curva, emoldurada, e cornija curva pouco saliente, liga-se a janela de avental com o mesmo tipo de cornija e sobrepujada por frontão triangular ondulado; entre o portal e janela. Lápide datada *1. Nos corpos laterais, janela inferior de avental, com verga curva e tipo guilhotina. Nave com lambril de azulejos de cercadura polícroma e recortada, com cenas bíblicas identificadas por filacteras e superiormente com legendas em castelos. Coro-alto pintado. Capela-mor com lambril de azulejos, pequeno altar trono enquadrado por friso dourado e nos ângulos 2 imagens sobre mísulas.

Acessos

Rua da Casa de Repouso dos Motoristas. WGS84 (graus decimais) lat.: 38,800708; long.: -9,127897

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 129/77, DR, 1.ª série, n.º 226 de 29 setembro 1977

Enquadramento

Urbano. Insere-se na Quinta de Nª Sª da Vitória, erguida junto à estrada, tendo adossado, do lado direito, outra construção e, do lado esquerdo, um muro alto.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Religiosa: capela

Propriedade

Privada: pessoa colectiva

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1769 - construção da capela, inserida na Quinta da Ribeirinha, constituída por 3 propriedades contíguas; 1885 - Manuel de Jesus Serrano vendeu a quinta por 2 contos de reis ao Conselheiro José Paulino de Sá Carneiro Junior; 1952 - com a morte de seu filho, Coronel Sá Carneiro, a propriedade passa ao abandono; 1957 - adquirida por 440 contos pela Associação dos Motoristas Portugueses, tendo sido então restaurada e passando o orago da capela a denominar a quinta.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes.

Materiais

Alvenaria rebocada e cantaria. Calcário, azulejos; cobertura de telha.

Bibliografia

SIMÕES, J. M. dos Santos, Azulejaria em Portugal no séc. XVIII, Lisboa, 1979; STOOP, Anne de, Quintas e Palácios nos Arredores de Lisboa, Barcelos, 1986; AAVV, Património Cultural Construído. Concelho de Loures, Loures, 1988.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

1979 - Obras de conservação e reparação; 1982 - Obras de conservação.

Observações

* Na lápide reza: "Nomina meo ascribatur / Victória / Deo autem gratias / Qui dedit nobis victoriam / anno MDCCLXIX". Tradução: "A Victória foi atribuída ao meu nome mas é a Deus que rendo graças, por no-la ter concedido, 1769". Exaltam a omnipotência de Deus através de mulheres: Lia é "exaltada", Judite "foi guardada da sua empresa", o pedido de Ester é "atendido de antemão", a Bem amada do Cântico de Salomão é exaltada como a mais bela, etc.

Autor e Data

Paula Noé 1991

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login