Igreja Paroquial de Vila Nova de Famalicão / Igreja de Santa Maria Madalena / Igreja de Santo Adrião / Igreja Velha

IPA.00023364
Portugal, Braga, Vila Nova de Famalicão, União das freguesias de Vila Nova de Famalicão e Calendário
 
Igreja paroquial provavelmente construída no séc. 17 / 18, com planta retangular composta por duas naves, separadas por colunas, a principal disposta no lado da Epístola, com capela-mor e tendo duas capelas laterais profundas. A fachada principal, reformada já no séc. 19 / 20, possui remate em frontão triangular e é rasgada por dois eixos de vãos, formados por portais, entre pilastras almofadadas sustentando friso e cornija, e janelas retilíneas com frontões triangulares. A torre sineira, adossada à esquerda, foi construída em 1925.
Número IPA Antigo: PT010312480081
 
Registo visualizado 735 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta retangular composta por duas naves e uma capela-mor, tendo adossado à fachada lateral esquerda torre sineira quadrangular e à direita dois corpos retangulares e um outro triangular. Volumes escalonados com coberturas em telhados de duas águas na igreja e de três e de quatro nos corpos adossados, rematados em beirada simples. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, com soco de cantaria e terminadas em friso e cornija. Fachada principal virada a noroeste, terminada em frontão triangular, coroado por cruz latina de cantaria sobre acrotério, e com pináculos no alinhamento dos cunhais apilastrados. É rasgada por dois portais de verga reta, ladeados por pilastras toscanas almofadadas, sustentando friso almofadado e cornija, sobrepostas por janelas retilíneas e gradeadas, encimados por frontão triangular e tendo peitoril sobre brincos retos. Torre sineira de dois registos, separados por friso e cornija, o primeiro no alinhamento do remate da fachada e o segundo rasgado, em cada uma das faces, por sineira, em arco de volta perfeita, com falsos capitéis e fecho relevado, sobre friso que secciona o registo; a torre remata em platibanda de cantaria vazada por olhos de boi, tendo nos cunhais acrotérios almofadados suportando pináculos ovais longilíneos; sobre a platibanda surge relógio circular, entre elementos de cantaria; cobertura piramidal facetada. Fachada lateral esquerda com a nave rasgada por três janelas retilíneas, com a moldura terminada em cornija e formando brincos retos, e por dois portais com a mesma modinatura. No INTERIOR possui na nave principal, do lado da Epístola, duas capelas laterais, profundas, uma dedicada ao Senhor Ecce-Homo e outra ao Santíssimo Sacramento.

Acessos

Vila Nova de Famalicão, Rua de Santo António; Praça 9 de Abril

Protecção

Em estudo

Enquadramento

Urbano, isolado, à volta da qual se desenvolveu a povoação. A igreja dispõe-se de gaveto, possuindo frontalmente adro aberto com amplos degraus, e desenvolvendo-se a norte largo ajardinado.

Descrição Complementar

Na fachada principal entre os dois portais, existe painel de azulejos de moldura recortada, definida de elementos volutados e envolvida por motivos vegetalistas, contendo a imagem do orago e tendo inferiormente a inscrição: "SANTO ADRIÃO / MÁRTIR". Sob este painel, existe um outro, de moldura recortada e volutada, com a inscrição: "EM HOMENAGEM A / MGR TORRES CARNEIRO / 1893 - 1943". A capela lateral do Santíssimo Sacramento, sede da confraria das Santas Chagas, é acedida por arco de volta perfeita, sobre pilastras, ambos almofadados, com brasão de cantaria no fecho, envolvido por elementos volutados. No interior, possui retábulo de talha dourada e policroma, de corpo côncavo e três eixos, definido por quatro colunas torsas, ornadas por anjos e aves, sobre mísulas com anjos atlantes, que se prolongam no remate em arquivoltas. No eixo central possui apainelado, pintado de dourado, com imagem do Crucificado e de Nossa Senhora das Dores e nos eixos laterais possui pequenos nichos, de perfil curvo, contendo imaginária sobre mísulas e encimada por baldaquinos com anjos. Sotobanco com apainelado de acantos tendo ao centro sacrário com porta contendo Cristo Redentor, envolta por acantos. Banco com anjos atlantes. Altar expositivo, contendo a figura de Cristo Morto.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Funerária: capela mortuária

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Braga)

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 17 / 18 / 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITETO PAISAGISTA: Viana Barreto (1966).

Cronologia

1220 - referência à Igreja de Vila Nova de Famalicão nas Inquirições de D. Afonso II, sendo seu abade Martinho Pelaio; 1551 - data do Tombo da Igreja; 1586 - abertura da parede; 1702 - 1703 - obras na igreja; 1717 - registo da provisão a favor da confraria das Santas Chagas; 1733 - data do registo de petição a favor dos oficiais da confraria do Santíssimo Sacramento; 1739 - data da provisão para se benzerem as cruzes da Via Sacra da igreja; 1742 - aprovação dos estatutos da confraria das Santas Chagas; 1751, 01 novembro - não padeceu ruína no terramoto; 1758, 23 abril - segundo o abade Caetano José de Sousa Rebelo nas Memórias Paroquiais, a freguesia é da província de Entre Douro e Minho, do Arcebispado de Braga, arcediagado de Vermoim, comarca de Viana e termo da vila de Barcelos, tendo 168 fogos ou vizinhos e 462 pessoas de confissão ou comunhão, tirando os absentes, 48 absentes e 27 menores; a igreja paroquial está no fim da freguesia, para a parte do sul, no final da rua; a igreja tem duas naves, uma pertencente aos fregueses, com a capela-mor, com altar dedicado a Santa Maria Madalena, cuja fábrica da capela-mor pertence aos párocos da freguesia, enquanto a nave pertence aos fregueses; essa nave tem três altares, um de Nossa Senhora do Rosário, um de São Miguel e outro do Senhor Ecce Homo; a outra nave, separada por antigos arcos, é do Santíssimo Sacramento, que é Confraria, e tem o altar do santíssimo Sacramento com a sua tribuna e na nave tem uma capela de Nosso Senhor Crucificado com seu altar que é confraria das Santas Chagas e tem ainda outra Irmandade dos Clérigos da Senhora da Boa Morte e São Miguel; o pároco é abade; todos os dízimos e foros que pertencem à igreja andam arrendados em 220$000, tendo um pequeno passal que rende 20$000; 1766 - provisão a favor dos oficiais do Santíssimo Sacramento para aceitarem um legado de missas; 1779 - provisão da Mesa da irmandade clerical do Arcanjo de São Miguel para reformar os seus estatutos; data da provisão de confirmação de adição de estatutos da irmandade do Arcanjo São Miguel; 1925 - construção da torre sineira adossada à fachada lateral esquerda; 1943, cerca - colocação dos dois painéis de azulejos na fachada principal; séc. 20, 2.ª metade - deixa de ter o estatuto de Igreja Matriz, o qual é transferido para a nova igreja de Vila Nova de Famalicão; 1966 - projeto de arquitetura paisagista do arranjo da Praça pelo arquiteto Viana Barreto.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura em alvenaria de granito; soco, pilastras, frisos, cornijas, molduras dos vãos, pináculos e relógios em cantaria de granito; portas de madeira; grades de ferro; algerozes metálicos; retábulos de talha dourada e policroma; cobertura de telha.

Bibliografia

CAPELA, José Viriato - As Freguesias do distrito de Braga nas Memórias Paroquiais de 1758. A construção do imaginário minhoto setecentista. Braga: Barbosa & Xavier, Ldª., 2003.

Documentação Gráfica

SIPA: Arquivo Pessoal de António Viana Barreto

Documentação Fotográfica

SIPA: DGEMN:DSID

Documentação Administrativa

SIPA: Arquivo Pessoal de António Viana Barreto

Intervenção Realizada

PROPRIETÁRIO: 1903 - obras de reconstrução da igreja; 2015 - obras de conservação e restauro da igreja, com caráter destoante (alvará de obras de construção n.º 137/2015); remoção do recheio do interior e do painel de azulejos; destruição da capela lateral direita do Ecce Homo e dos corpos corpos adossados; descoberta de elementos arqueológicos, alguns retirados do canteiro de obras.

Observações

EM ESTUDO

Autor e Data

Paula Noé 2015

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login