Cisterna na Rua do Castelo

IPA.00023311
Portugal, Faro, Silves, Silves
 
Arquitectura infraestrutural, islâmica. Cisterna datável do início da ocupação árabe de Silves, de planta trapezoidal, de dimensões razoáveis, de abastecimento individual a habitações privadas e provavelmente à mesquita, hipoteticamente existente no local da Sé (v. PT050813070003), servindo "para as tradicionais ablações do ritual islâmico ou para abastecer as fontes do páteo da mesquita" e sendo provavelmente regularmente reabastecida pelo rio Arade (GAMITO, 2005); apresenta cobertura em cúpula em silhares bem aparelhados em cúpula e alçados integralmente revestidos de tijolo, argamassados e pintados a cor escura impedindo a penetração e expansão da luz, garantindo assim uma melhor qualidade da água. A irregularidade planimétrica e a pintura ocre escuro dos alçados interiores são característicos das cisternas coevas da região do al-Andaluz (BAZZANA, 1999). Cisterna islâmica muito bem conservada e de cuidada construção, tendo permanecido intacta desde a data do seu abandono, nos séculos 14 ou 15.
Número IPA Antigo: PT050813070060
 
Registo visualizado 508 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Hidráulica de contenção  Cisterna    

Descrição

Cisterna de planta simples, paralelepipédica, irregular, com aprox. 8,5m X 3,4m, com 4,5m de altura máxima no interior e 5m no exterior e capacidade para c. de 133,875 lt; as paredes são inteiramente revestidas a tijolo compacto, cozido e revestidas de argamassa, interiormente caiadas e pintadas a cor escura; cobertura em cúpula (c. de 0,30 a 0,50m), em silhares de pedra cortados em cunha, com três entradas de ar irregulares, duas nas extremidades e uma central; pavimento de tijoleira, compondo padrão em zig-zag, com ampulheta num dos extremos para limpeza da cisterna *2.

Acessos

Rua do Castelo

Protecção

Em vias de classificação / Incluído na Zona de Especial de Proteção do Castelo de Silves (v. PT050713080002), na Zona Especial de Proteção da Catedral de Silves (v. IPA.00001293) e na Zona de Proteção da Igreja da Santa Casa da Misericórdia de Silves (v. IPA.00002852)

Enquadramento

Urbano, em local priviligiado, junto à Sé (v. Pt050813070003) e ao Castelo (v. PT050813070002) *1.

Descrição Complementar

Espólio arqueológico: três bilhas, vários fragmentos de cerâmica pintada com laivos de manganês, dos séculos 11 - 12, fragmentos de tampa de vaso (provavelmente Omeiiade, idêntico a um prato proveniente de Medinat al Zahra), um bocal de ferro com decoração incisa e dourada do mesmo período (GAMITO, 2005).

Utilização Inicial

Hidráulica: cisterna

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 08 / 09 / 14 / 15

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

Séc. 08 - 09 - construção da cisterna (GAMITO, 2005); Séc. 14 - 15 - datas extremas de utilização da cisterna (GAMITO, 2005); 2001 - 2004 - escavações na R. do Castelo, ao abrigo do Programa INTERRREG-II, valorização dos Centros Históricos e sua integração no território envolvente, confirmando a existência da cisterna islâmica, que, encontrando-se completamente atulhada de terras, areias e detritos, sem diferenciação estratigráfica, foi desobstruída, consolidada e restaurada; 2014, 06 agosto - Deliberação da Câmara Municipal de Silves a determinar a abertura do procedimento de classificação como de Interesse Municipal; 2015, 29 janeiro - Deliberação da Câmara Municipal de Silves a determinar propor a abertura do procedimento de classificação como de Monumento de Interesse Público; 18 maio - proposta de classificação da Direção Regional da Cultura do Algarve; 07 julho - Despacho do diretor-geral da DGPC a determinar a abertura do procedimento de classificação; 18 agosto - publicação da abertura do procedimento de classificação em Anúncio n.º 198/2015, DR, 2.ª série, n.º 160.

Dados Técnicos

Materiais

Arenito de Silves, tijolo, argamassa, cal.

Bibliografia

BAZZANA, André, Al-Djubb: Le stockage de l'eau dans les édifices castreaux et les habitats d'al-Andalus, Castrum, Madrid, 1999, pp. 371 - 395; DOMINGUES, José Domingos Garcis, Livro do almoxarifado de Silves, Silves, Câmara Municipal de Silves, 1984; GAMITO, Teresa Júdice, A água, recurso inestimável - formas de armazenamento e utilização em época islâmica, Homenagem ao Prof. Manuel Gomes Guerreiro, Faro, Universidade do Algarve, 2001, pp. 165 - 178; IDEM, A cisterna árabe da Rua do Castelo - Silves, Xelb - Revista da Câmara Municipal de Silves, Silves, 2003, pp. 235 - 246; VEIGA, Estácio da, Antiguidades monumentais do Algarve - tempos históricos, O Arqueólogo Português, Vol. 10, p.107 e vol.15, p. 209, 1910.

Documentação Gráfica

CMSilves

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID; CMSilves

Documentação Administrativa

CMSilves

Intervenção Realizada

2000 - 2005 - trabalhos de escavação e desobstrução da cisterna da R. do Castelo, tendo-se procedido à sua consolidação e restauro, incluíndo rebocar toda a cisterna com argamassa da época.

Observações

EM ESTUDO; *1 - as escavações realizadas na zona envolvente a O. confirmaram a existência, mencionada no Livro do Almoxarifado de Silves (DOMINGUES, 1984), dos grandes armazéns e silos, datáveis da época islâmica e dos primeiros tempos da ocupação cristã de Silves, indicando que já durante a ocupação árabe "esta zona teria uma função de distribuição de bens associada à mesquita e ao governador da cidade"; *2 - o alçado esquerdo tem 8,52m e o direito 8,42; a largura oscila entre 3,38 e 3,50m; a água atingiria uma altura máxima de 4m; os tijolos medem 28 X 14 X 5,5cm; o revestimento de argamassa é dado em duas ou três camadas sobrepostas e á cal misturam-se pigmentos ocre, vermelho óxido de ferro; segundo Teresa Gamito, a entrada central da cúpula terá sido rasgada de molde a permitir o lançamento de entulho sendo as laterais de acesso (GAMITO, 2005).

Autor e Data

Rosário Gordalina 2005

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login