Igreja Paroquial de Almoster / Igreja do Senhor Salvador do Mundo / Igreja de Nossa Senhora das Neves / Igreja Velha

IPA.00023007
Portugal, Leiria, Alvaiázere, Almoster
 
Arquitetura religiosa, maneirista, neoclássica. Igreja paroquial de planta retangular simples, de uma nave com capela-mor mais baixa e estreita e sacristia. Fachadas rebocadas com vestigios de policromia na delimitação do embasamento e cunhais; Fachada principal com remate em empena, com vãos rasgados em eixo composto por portal de verga recta e por janelão de verga curva com gradeamento em ferro; fachada lateral S. com portal de feição igual ao principal com dois janelões no 2º registo; fachada lateral N. aberto por pequenas frestas. Este corpo apresenta na fachada posterior uma porta de moldura neorenascentista. Interior completamente em ruínas com vestígios do coro-alto, pias de água benta, púlpito no lado do Evangelho, capela-mor e capelas laterais, pavimento em cantaria no sub-coro.
Número IPA Antigo: PT021002010017
 
Registo visualizado 412 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal composta por nave, capela-mor e sacristia. Sem cobertura no corpo da nave e capela-mor, apresenta no espaço da antiga sacristia e no corpo adossado à fachada lateral esquerda cobertura em telhado de uma água. Fachada principal rasgada por portal de moldura recta encimado por cornija sobre a qual se abre janelão de moldura recta e lintel em arco, com gradeamento em ferro. Fachada lateral direita aberta por portal igual ao da fachada principal, chamada a "Porta do Sol", mas de menores dimensões, e por 2 janelões de moldura recta, com gradeamento em ferro, a nível do 2º registo; vestígios da antiga sacristia, funcionando actualmente como palheiro. Fachada lateral esquerda, tem adossado um corpo a todo o prolongamento da nave com vãos diversos sendo de realçar a porta situado na fachada posterior deste corpo, de moldura recta com almofadas em cantaria e decoração em cartelas com rosáceas, corações e motivos geométricos, neo-renascentista. Fachada posterior do templo desaparecida. INTERIOR: nave única, vestígios da capela-mor a que se acedia pelo arco triunfal pleno; nas paredes encontram-se as marcações do coro alto e do púlpito, sendo visível as portas de acesso a estas duas estruturas; do lado da Epístola capela lateral em arco pleno em cantaria decorado com motivos geométricos, tendo lateralmente um pequeno nicho. Pia de água benta junto ao portal principal e vestígio de outra no portal lateral. No corpo lateral esquerdo encontra-se marcado o acesso ao púlpito. A capela-mor e o corpo da igreja tinham pavimento em madeira e sub-coro em laje, que ainda se encontram vestígios.

Acessos

EN 350, em Almoster

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano, isolado, destacado. Implantado no eixo principal e no centro do núcleo urbano, onde se destaca o Padrão comemorativo dos centenário (v. PT021002010013). A pouca distância ergue-se o nova igreja. Fachadas principal e lateral direita voltadas para o adro com pavimento em terra batida, delimitado por muro aberto num dos ângulos por escadaria; ao centro do adro uma árvore de grande porte; fachadas posterior e lateral esquerda voltadas à via pública. Rodeado por casas de habitação incaracterísticas.

Descrição Complementar

Matos Sequeira: "Templo de frontaria vulgar. Na padieira da janela do coro está a data 1839. Tem apenas uma nave, coberta por um tecto de madeira de 3 planos . Na cobertura da nave central uma pintura má. Coro e púlpito de madeira, vulgares. Os dois altares laterais têm retábulos de pedraria e arcos de talha dourada. No da Epístola está o Espírito Santo (má e mal pintada escultura de pedra) sobre um painel das almas, e um Santo Antão, imagem rude também de pedra; do lado do Evangelho, uma Piedade. A capela-mor é de tecto de esteira. O retábulo é vulgar, de madeira, com dois nichos laterais e neles o Salvador, orago da Igreja, e Nossa Senhora das Neves, imagens sem valor". Capela baptismal no corpo da torre da igreja; coro alto com guarda em madeira ; presbitério separado da nave por gradeamento, elementos já desaparecidos. Altar colateral do lado do Evangelho com as imagens de Nossa Senhora do Pranto; Santo Isidro Lavrador e S. Brás; do lado da Epístola Nossa Senhora do Carmo, Santo António e Santo Antão (todas as imagens desaparecidas). (ver ainda Memórias Paroquiais. A igreja pertencia ao Mosteiro do Lorvão).

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Devoluto

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 17 / 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

Séc. 17 - construção do templo; 1721, 21 de Maio - Resposta do Pároco da Freguesia do Senhor Salvador do Mundo de Almoster ao Inquérito enviado pelo Cabido da Sé de Coimbra por determinação da Academia Real da História Portuguesa (*1).; 10 de Outubro - Notícia do Concelho de Almoster dada pelo seu juiz Manuel Francisco, em resposta ao pedido do Provedor da Comarca de Coimbra. (*2); 1747 - Notícia sobre Almoster, extraída do Diccopnário Geografico do Padre Luís Cardoso. (*3); ); 1810 - a última invasão francesa, comandada por Massena causou estragos irreversíveis em todo o território nacional, tendo a igreja de Almoster também sofrido com estas hordas invasoras; 1811, 25 de Março - a diocese de Coimbra enviou às igrejas da sua circunscrição um aviso solicitando informações sobre os efeitos das invasões francesas em cada paróquia; 20 de Junho - o Cura de Almoster, José Joaquim Pereira de Carvalho, faz o relato dos acontecimentos ocorridos na sua paróquia (*4); séc. 19 - intervenções profundas na igreja; séc. 20, anos 60 - com a construção da nova igreja, o antigo templo foi desafecto ao culto, iniciando-se a sua degradação com utilizações impróprias (aviário; armazém, etc.); séc. 20, anos 70 - a igreja foi vendida a uma cooperativa; depois desta data foi demolida a torre sineira e construído o corpo lateral esquerdo; séc. 20, anos 90 - comprada em hasta pública pela Junta de Freguesia de Almoster; 2005 - projecto de reutilização.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Alvenaria de pedra; ferro; telha de canudo; cantaria.

Bibliografia

SEQUEIRA, Gustavo de Matos, Inventário Artístico de Portugal: Distrito de Leiria, vol. V, ANBA, Lisboa, 1955; NUNES, Jacinto M. G., Alvaiázere, Parte do Meu Contributo para a sua Monografia, s. l., 2001; RODRIGUES, Mário Rui Simões, GOMES, Saul António, Notícias e Memórias Paroquiais setecentistas, 5, Alvaiázere, Coimbra, 2007

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

CMA / JFA: 2005 - projecto de consolidação das ruínas e reutilização do espaço para actividades culturais.

Observações

*1 - " (...) Tem a Capela mor duas sepulturas de letreiro; huma tem o seguinte: Sepultura do Padre Vasco Leitam Faleceo aos 14 de Marso de 1633; e a outradis o seguinte: Sepultura do Padre Belchior Aluares faleçeo aos 14 de Abril de 1649; ambas temm armas 1 coroa. Estam mais no corpo da Igreja 3 duios letreiros sam os segintes: Sepultura de Manoel Pinheiro de Barbuda faleçeo a 7 de Julho d 1633; tem hum brazam de armas. Sepultura de Pedro Freire da Costa faleceo a 9 de Feuereiro de 1642; nam tem mais. § mais outra que tem o seguinte: Sepultura de Joana Leitoa e de seus Erdeiros faleçeo; e nem tem era e nam ha mais as coais hoje sam commuas a todo o Pouo. (...). (RODRIGUES, GOMES: 2007: pp. 74-75). *2 - "(...) Da Igreja Parochial aonde ouuem missas os moradores deste Conselho he padroeiro o Senhor Saluador do Mundo e fabricaria da fabrica mayor della a Madre Abbadeça do Real Conuento de Loruam e como tal aprezentam em a dita Igreja os Parochos e he Senhora dos dizimos desta freguezia. E em a dita Igreja ha tres confrarias, huma de Nossa Senhora do Rozario e outra do Deuino Spirito Santo e outra das Almase todas estras administra o Pouo por serem do mesmo; (...)" (RODRIGUES, GOMES, 2007: pp. 78-79). *3 - "(...) A Paroquia tem assento em hum valle: he seu orago o Salvador do Mundo: tem cinco Altares, o mayor do Patrono, e dous collateraes; o da parte do Evangelho do Senhor Jesus; o da parte da Epistola de Santo Antonio; o quarto de Nossa SEnhora do Rosario, e o quinto das Almas Santas: he a Igreja de huma só nave: ha nella cinco Irmandades, ou Confrarias; do Senhor, do Espirito Santo, de Santo André, das Almas, e de Nossa Senhora do Rosário. He curado, cuja apresentação pertence ao Real Mosteiro do Lorvaõ com oitenta mil reis de congrua.(...)" (RODRIGUES, GOMES, 2007: p. 80). Alguns dos elementos da descrição foram fornecidos por residentes de Almoster. *4 - A igreja "(...) foi roubada pelos Inimigos de tudo o que era precioso, como dois cálices, únicos que havia, o vazo do sacrário, a custódia, as cruzes do povo e do Santíssimo Sacramento, tudo de prata, todos os corporais, alvas, e toalhas, algumas estolas, todos os cordões, o Livro de Óbitos e Casamentos e mais livros das Confrarias" Umas e outras " coisas furtaram e queimaram". Também desapareceu "o Relicário, Turíbulo, e naveta, a lâmpada do Santíssimo Sacramento e um [...] Missal". (RODRIGUES, 2006: pp. 391- 392).

Autor e Data

Cecília Matias 2005

Actualização

Cecília Matias 2008
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login