Igreja Paroquial de Alfeizerão / Igreja de São João Baptista

IPA.00022875
Portugal, Leiria, Alcobaça, Alfeizerão
 
Arquitectura religiosa, setecentista. Igreja paroquial com planta retangular, de nave única. O seu exterior denuncia influência estilística do rococó, mais concretamente na empena curvilínea, na traça da moldura dos vãos e na torre sineira da fachada principal. O seu interior, muito alterado ao longo dos tempos, é dominado por linhas direitas e actualmente encontra-se despojada da talha dourada que já possuiu.
Número IPA Antigo: PT031001020095
 
Registo visualizado 101 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta lretangular regular, com disposição horizontal de volumes, embasamento pintado de cinzento e coberturas diferenciada em telhados de duas águas e planas. Possui paredes pintadas de branco e cinzento. A fachada principal é orientada a Este e possui cunhais apilastrados, é marcada por dois panos e por três registos. A entrada é realizada através de escadaria e porta de ombreiras e lintel líticos, este último de contornos curvilíneos. O vão é encimado por janelão de verga arqueada, coroada por ornato floral. A porta e o janelão são contornados por moldura contínua, de linhas irregulares, que culmina em frontão sobre a verga da janela. O alçado, ritmado por pilastras, apresenta empena de contornos curvilíneos, composta por aletas estilizadas, encontra-se rematada por quatro pináculos e cruz latina. A fachada possui, na extremidade direita, torre sineira (acesso na fachada lateral norte) com friso, cornija, quatro vãos de verga arqueada relógio e cúpula poligonal, com extremidades marcadas por pináculos estilizados e cunhais apilastrados. A fachada Lateral (Sul) apresenta dois panos, vãos rectilíneos que ritmam a fachada e beiral. O acesso feito por rampa colocada lateralmente e paralelamente à fachada, cercada por muro. A fachada lateral (Norte) partilha o acesso com o cemitério, possui vão de verga arqueada, dois corpos salientes de vãos de moldura rectilínea, um correspondente a espaço de arrumos de alfaias sacras. Nesta fachada é visível o prolongamento axial e longitudinal junto do altar-mor. A entrada do cemitério, composta por muro rasgado por vão de verga arqueada, de coroamento curvilíneo, encontra-se adossada a esta fachada. A Fachada Posterior (Oeste) de alçado cego, empena triangular coroada cruz latina. INTERIOR: nave central, de onde se desenvolvem os restantes espaços. Possui coro alto em madeira. Junto do altar-mor, cujo acesso é feito por degraus, os espaços prolongam-se axialmente e são marcados por vigas. O pavimento é de madeira e as paredes são pintadas de azul e branco e percorridas por friso de madeira, com excepção do altar-mor. As paredes Apresentam nichos com esculturas. O tecto ostenta de vigamento de três planos na nave central e de dois no prolongamento axial.

Acessos

Largo de São João Baptista

Protecção

Incluído na Zona de Proteção do Pelourinho de Alfeizerão (v. PT031001020003)

Enquadramento

Implantada junto à estrada de acesso a São Martinho do Porto, anexo cemitério e nas proximidades das ruínas do Castelo de Alfeizerão (v. PT031001020017), está localizada junto do Pelourinho (v. PT031001020003) - actualmente apenas se encontra a reconstituição da Base e a escadaria. Encontra-se adossada ao cemitério de Alfeizerão.

Descrição Complementar

INSCRIÇÃO: "LARGO SÃO JOÃO BAPTISTA".

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Lisboa)

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 15 / 16 (conjectural) / 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 15 - 16 - data provável da construção do imóvel; 1633 - intervenção realizado no edifício (ALMEIDA, 1995); 1755, 01 novembro - a igreja foi gravemente afectada pelo terramoto (NATIVIDADE, 1960), tendo sido indispensável a reconstrução de algumas igrejas dos coutos, entre elas encontra-se a de Alfeizerão; 1762 - obras de reparação; 1851 - a igreja está em estado de ruína e a secretaria do Governo Civil de Leiria autoriza a junta de paróquia a alienar o que restava da Capela do Espírito Santo em Alfeizerão para patrocinar estas obras; 1927, abril - colocação do relógio da torre; 1966 - obras de ampliação da capela-mor, sendo retirada a talha dourada e foram desenterradas duas esculturas de pedra localizadas sob o altar, uma Virgem e o Menino e do Arcanjo São. Miguel.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Pedra, tijolo, telha cerâmica, vidro simples, alumínio, betão madeira e azulejo.

Bibliografia

ALMEIDA, Carlos Casimiro, Alfeizerão. Apontamentos para a Sua História, Alfeizerão, 1995; COSTA, António Carvalho da, Corografia Portuguesa, Vol. III, Braga, 1868; LIMA, Baptista de, Terras Portuguesas, vol. III, Lisboa, 1935; NATIVIDADE, Manuel Vieira, Mosteiro e Coutos de Alcobaça, Alcobaça, 1960; MARQUES, Maria Zulmira Albuquerque Furtado, Monumentos dos Antigos Coutos de Alcobaça, in "Roteiro Cultural da Região de Alcobaça. A Oeste da serra dos Candeeiros", Alcobaça, 2001, pp. 119-120; MARQUES, Maria Zulmira Albuquerque Furtado, Por Terras dos Antigos Coutos de Alcobaça. História, Arte e Tradição, Alcobaça, 1994.

Documentação Gráfica

CMAlcobaça: Sector de Plantas de Localização

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID; CMAlcobaça: DGUP

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

Autor e Data

Sónia Vazão 2004

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login