Pelourinho de Esgueira

IPA.00000227
Portugal, Aveiro, Aveiro, Esgueira
 
Pelourinho de bloco prismático, com soco circular de quatro degraus e coluna pseudo-salomónica, assente em plinto paraleleipipédico, e com capitel coríntio. Capitel simples, de onde saem os ferros de sujeição e remate paralelepipédico. É bastante elaborado, com fuste semelhante ao das colunas do portal de São Domingos, em Aveiro, datado de 1719, confirmando a sua cronologia. Merece especial referência o barco de três mastros, por representar a dominante actividade marítima da região.
Número IPA Antigo: PT020105050004
 
Registo visualizado 709 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição monástica  Tipo bloco

Descrição

Estrutura em cantaria de calcário, composta por soco circular de três degraus, onde se ergue, sobre pedestal paralelepipédico e base pseudo-ática, uma coluna torsa, despojada de elementos decorativos, rematada por capitel coríntio de folhas de acanto estilizadas e oito volutas bem abertas. Ao cimo, entablamento de molduras pronunciadas, desenvolvendo-se no topo um corpo cúbico com quatro elementos decorativos - caravela, escudo nacional, cruz de Cristo e três setas enfaixadas - rematado por coroa real. Conservam-se ainda os ferros de sujeição e ferros galheiros terminando em figuras zoomórficas.

Acessos

Largo do Pelourinho; Rua Godinho.

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 23 122, DG, 1ª Série, nº 231, de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano. Isolado em pequeno largo triangular calcetado, bem implantado, sem construções dissonantes e defronte ao primitivo paço concelhio (v. PT020105050090) *1.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia Local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1110 - concessão de foral pelo Conde D. Henrique; 1342 - confirmação do foral anterior por D. Afonso IV; 1515, 08 Junho - recebe novo foral, por D. Manuel; 1528 - D. João III cria o Concelho de Esgueira; 1587 - a Comarca e Provedoria da vila de Esgueira separa-se da Provedoria de Coimbra; séc. 18, início - construção do actual pelourinho; 1708 - segundo António Carvalho da Costa, tem 350 vizinhos; é da Coroa, cabeça de Provedoria e da Comarca de Coimbra; tem juiz de fora, vereadores, procurador, escrivão da câmara, juiz dos órfãos com escrivão, contador, inquiridor, distribuidor, 2 tabeliães e um escrivão da provedoria; 1758 - nas Memórias Paroquiais é referido que a povoação, com 554 vizinhos, é cabeça de comarca, com as justiças exercidas e confirmadas pela donatária, a abadessa do Mosteiro do Lorvão; tem juiz do cível e juiz do crime; a Câmara, da Coroa, tem juizes ordinários; 1759 - elevação de Aveiro a cidade; 1836 - extinção do concelho de Esgueira e integração no concelho de Aveiro; 1984 - a DGEMN considera ilegal a Junta de Freguesia ter procedido a obras sem consulta prévia do IPPC não tendo, portanto, cabimento a solicitação da JF à DGEMN de verba para a obra já anteriormente concluída.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de calcário; ferros de sujeição em ferro forjado.

Bibliografia

CORREIA, Azevedo, Arte Monumental Portuguesa, vol. 1, Porto, 1975, pp. 23 - 24; COSTA, António Carvalho da (Padre), Corografia Portugueza…, vol. II, Lisboa, Valentim da Costa Deslandes, 1708; COSTA, Mário A. Nunes, A provedoria de Esgueira, Arquivo do Distrito de Aveiro, XXIV, 1958, pp. 53 - 80; GONÇALVES, Nogueira, Inventário Artístico de Portugal. Distrito de Aveiro, VI, Lisboa, 1959, p. 166; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, Lisboa, 1997, p. 194; NEVES, Amaro, Aveiro, História e Arte, Aveiro, ADERAV, 1984, pp. 190-191; http://pt.wikipedia.org/wiki/Pelourinho_de_Esgueira [consulta em 09-12-2009].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMC, SIPA

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMC; DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 14, n.º 58, fl. 413-420)

Intervenção Realizada

Junta de Freguesia Esgueira: 1980, década - obras de enquadramento, encontrando-se o 4º degrau soterrado.

Observações

*1 - O enquadramento físico do imóvel, com casario seiscentista e setecentista, em boa parte restaurado, revela-se exemplar para este tipo de objecto histórico-artístico.

Autor e Data

Margarida Alçada 1990 / Carlos Ruão 1996

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login