Pelourinho de Vila Nova de Cerveira

IPA.00002222
Portugal, Viana do Castelo, Vila Nova de Cerveira, União das freguesias de Vila Nova de Cerveira e Lovelhe
 
Arquitectura político-administrativa e judicial, quinhentista. Pelourinho de pinha cónica embolada, com soco quadrangular de quatro degraus, fuste cilíndrico e capitel cúbico ostentando elementos heráldicos, possuindo ferros de sujeição com decoração zoomórfica. Tem remate em pináculo com pequena esfera no topo. Pelourinho de linhas muito simples e lineares, conjugando as armas Municipais e as de Portugal no capitel.
Número IPA Antigo: PT011610150001
 
Registo visualizado 445 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição senhorial  Tipo pinha

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco quadrangular de quatro degraus, onde se ergue, sem base, fuste de cantos biselados formando um octógono. Capitel cúbico com armas municipais e as de Portugal em escudos alternados e remate em cone facetado e embolado. Conserva ainda os quatro braços ou ferros de sujeição, com os extremos zoomórficos estilizados.

Acessos

Castelo de Vila Nova de Cerveira. WGS84 (graus decimais) lat.: 41,940592; long.: -8,744981

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto de 16-06-1910, DG n.º 136 de 23 junho 1910 / Incluído na Zona Especial de Proteção do Castelo de Vila Nova de Cerveira (v. IPA.00003484)

Enquadramento

Urbano, isolado, implantação harmónica. Ergue-se na praça principal da vila intramuros do Castelo de Vila Nova da Cerveira (v. PT011610150002), junto aos antigos Paços do Concelho (v. PT011610150035).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia Local, Artº 3º, Dec. 23 122 de 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 16

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1321, 01 Outubro - concessão de foral por D. Dinis; 1512, 20 Outubro - concessão de foral novo por D. Manuel I; 1547 - data da sua construção; 1758, 19 Maio - segundo as Memórias Paroquiais, a freguesia era da jurisdição real, tendo a vila e respectivos arrabaldes 212 vizinhos, 203 pessoas de sacramento e 9 menores; tinha juiz de fora, colocado pelo rei, e senado da câmara; 1890 - segundo L. Figueiredo Guerra, foi arrancado a golilha axial.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito; ferros de sujeição em ferro.

Bibliografia

ALVES, Lourenço, Do Gótico ao Manuelino no Alto Minho (Monumentos Civis e Militares) in Caminiana, vol. 12, Ano 7, nº 12, Caminha, 1985, p. 37 - 150; CAPELA, José Viriato, As freguesias do distrito de Viana do Castelo nas Memórias Paroquiais de 1758, Braga, Casa Museu de Monção / Universidade do Minho, 2005; CARDOSO, Nuno Catharino, Pelourinhos do Minho e Douro, Lisboa, 1935; CHAVES, Luís , Os Pelourinhos do Distrito de Viana do Castelo, Lisboa, 1933; CHAVES, Luís, Os Pelourinhos, Lisboa, 1938; DIOGO, José Leal, Para a História de Vila Nova de Cerveira - Roteiro de Vila Nova de Cerveira, vol. 4, Porto, 1983; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; SOUSA, Júlio Rocha e, Pelourinhos do Distrito de Viana do Castelo, Viseu, 2001.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

PROPRIETÁRIO: 1954 - trabalhos de consolidação no remate.

Observações

Autor e Data

Paula Noé 1992

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login