Igreja de Santo António da Torre Velha

IPA.00002217
Portugal, Viana do Castelo, Ponte de Lima, Arcozelo
 
Igreja (re)construída na transição do séc. 18 para o 19, em estilo tardo-barroco, com planta composta por nave, capela-mor, sacristia e torre sineira adossadas em eixo. Apesar da sua escala reduzida apresenta o mesmo princípio de articulação dos espaços que a Igreja e Torre dos Clérigos (v. IPA.00005522), bem como a Igreja Paroquial de Nevogilde / Igreja de São Miguel (v. IPA.00005520), ambas no concelho do Porto. A fachada principal termina em empena recortada e é rasgada por portal de verga reta mas moldura formando espaldar, com cornija, e óculo recortado, entre duas amplas janelas retangulares. As fachadas laterais, têm os espaços interiores definidos por pilastras e são rasgadas por vãos de perfil curvo, enquanto que, na posterior, se destaca a torre sineira, de com grande altura, coberta por cúpula adelgaçada típica de algumas regiões do distrito, e com enormes gárgulas. No interior possui retábulos laterais e retábulo-mor em talha tardo-barroca.
Número IPA Antigo: PT011607040069
 
Registo visualizado 560 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja  

Descrição

Planta poligonal, composta por nave, capela-mor e sacristia retangulares e torre sineira quadrangular, dispostas em eixo, tendo adossado a poente da capela-mor corpo retangular. Volumes articulados com coberturas diferenciadas em telhado de duas águas na nave, capela-mor e sacristia e de uma água no corpo de acesso á sacristia, rematadas em beirada simples. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, à exceção do corpo adossado na fachada lateral esquerda, que é em granito aparente, percorridas por soco de cantaria, com os cunhais apilastrados, coroados por pináculos sobre plintos paralelepipédicos, e rematadas em friso e cornija. Fachada principal virada a sudoeste, terminada em empena recortada, coroada por cruz latina de cantaria sobre acrotério, e revestida a azulejos, azuis e brancos, de padrão vegetalista, sobre alto friso de cantaria, integrando no topo painel de azulejos com representação de Santo António com o Menino. É rasgada por portal de verga reta com moldura encimada por espaldar de cantaria, percorrido por frisos e rematada em cornija curva, encimado por óculo recortado e inferiormente, duas janelas retangulares gradeadas. As fachadas laterais possuem três panos, definidos por pilastras, abrindo-se na nave janelão retangular de topos curvos, na capela-mor, duas janelas, com moldura de topo curvo e com pingentes, e na sacristia, janela de verga curva, na lateral esquerda, e janela retangular jacente encimada por janela de sacada, de perfil curvo, moldura e com guarda em ferro, na lateral direita. Sobre a empena posterior da nave, possui cruz latina de cantaria sobre acrotério. Na fachada posterior, destaca-se a torre sineira, de três registos, definidos por friso e cornija, rematando em platibanda vazada de cantaria, com fogaréus sobre plintos paralelepipédicos nos cunhais, e com cobertura em cúpula bolbosa facetada e adelgaçada, coroada por cruz em ferro; nos ângulos sob o remate, existem gárgulas de canhão. No primeiro registo abre-se janela de moldura curva e com falsos brincos retos, no segundo óculo circular, com moldura quadrangular contendo motivos vegetalistas, e, lateralmente, tendo relógio circular de cantaria; no terceiro registo abre-se, em cada uma das faces ventana em arco de volta perfeita, com chave relevada, contendo sino. INTERIOR de paredes rebocadas e pintadas de branco, com pavimento cerâmico e cobertura em falsa abóbada de berço abatido, de estuque, sobre friso e cornija. A nave possui guarda-vento de madeira e silhar de azulejos, azuis e brancos, de padrão vegetalista, e dois retábulos laterais, confrontantes, de talha pintada de bege e a marmoreados fingidos e dourados. Arco triunfal de volta perfeita, sobre pilastras, sobreposto por sanefão, em talha pintada de bege e dourado, de perfil recortado, decorado com açafates e festões, tendo ao centro cartela circular com cruz e livro, sobreposta por açafate. A capela-mor possui silhar de azulejos policromos e na cobertura, várias cartelas pintadas. Sobre o supedâneo, de cantaria, dispõe-se o retábulo-mor, em talha pintada de bege e marmoreados fingidos e dourado, de planta reta e um eixo, definido por quatro colunas, com anel vegetalista marcando o terço inferior, e de capitéis coríntios, sustentando o remate em espaldar rematado em frontão curvo, sobreposto por elementos vegetalistas, e com cartela no tímpano. No eixo central possui nicho, contendo tela pintada com Santo António e o Menino encimado pela Pomba do Espírito Santo. Sobre as colunas surgem urnas e ladeando a estrutura apainelados, com mísulas sustentando imaginária.

Acessos

Arcozelo, Além-da-Ponte, Largo da Alegria (ou Alexandre Herculano), ponte romana

Protecção

Incluído na Zona Especial de Proteção da Ponte sobre o Lima (v. IPA.00000424)

Enquadramento

Peri-urbano e fluvial, isolado e destacado. Implanta-se na margem direita do Rio Lima, numa plataforma adaptada ao declive do terreno, entre os troços medieval, a nascente, e romano, a poente, da Ponte sobre o Rio Lima (v. IPA.00000424), junto ao local onde se erguia a Torre Velha, de que resta a base e uma lápide com as armas de Portugal, e onde se erguem as Alminhas da Ponte (v. IPA.00003528). A fachada principal encontra-se recuada relativamente aos muros de guarda da ponte, criando um pequeno adro, delimitado por mecos; junto à fachada lateral esquerda, a plataforma tem guarda em ferro. A nascente da igreja, uma ligeira rampa, lajeada, permite aceder ao Parque do Arnado, desenvolvido a norte. Nas proximidades, a cerca de 40 m a norte-nordeste, localiza-se a Capela do Anjo da Guarda (v. IPA.00002239) e a cerca de 80 m para poente a Casa do Arnado, onde funciona o Albergue de Peregrinos e o Museu do Brinquedo Português (v. IPA.00030078).

Descrição Complementar

Na parede lateral direita da nave insere-se uma lápide alusiva a Santo António, com a inscrição: "SANTO ANTONIO NASCEU EM LISBOA 1195+ MORREU EM PADUA NO DIA 13 DE JUNHO DE 1231+ FOI CANONIZADO EM 13 DE MAIO DE 1232+ COMEMORAÇÃO DO VII CENTENARIO DA MORTE DO SANTO 1931". O retábulo lateral da Epístola possui corpo reto e um eixo, definido por duas colunas de fuste estriado no terço inferior, e capitéis coríntios, sustentando o remate, em espaldar recortado, decorado por resplendor, e tendo urnas no alinhamento das colunas. Ao centro abre-se nicho, em arco, interiormente pintado de azul e albergando imaginária; banco com decoração vegetalista. Altar tipo urna com frontal decorado de motivos vegetalistas.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja

Utilização Actual

Religiosa: igreja

Propriedade

Privada: Igreja Católica

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 18 / 19 (conjetural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1758 - nas Memórias Paroquiais da freguesia de Arcozelo, pelo abade Manuel de Abreu, não existe referência à existência da igreja de Santo António, mas a cinco outras capelas pertencentes ao povo, nomeadamente a da Esperança e a de São Gonçalo, que, segundo alguns autores, poderá estar na origem da igreja; séc. 18, finais - séc. 19, inícios - provável (re)construção da Igreja de Santo António da Torre Velha e feitura dos retábulos; 1858 - litografia de Ponte de Lima, documentando a igreja de Santo António construída junto à Torre Velha, que ainda existia.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura de alvenaria de granito rebocada; revestimento da fachada principal a azulejos; soco, pilastras, frisos, cornijas, molduras dos vãos, pináculos, cruz e outros elementos em cantaria de granito; grades em ferro; portas, caixilharias e guarda-vento de madeira; silhar de azulejos azuis e brancos e policromos; pavimento em mosaico hidráulico; tetos estucados; retábulos de talha pintada de bege e marmoreados fingidos e dourados; cobertura em estrutura de madeira revestida a telha de barro.

Bibliografia

CAPELA, José Viriato - As freguesias do distrito de Viana do Castelo nas Memórias Paroquiais de 1758. Braga: Casa Museu de Monção; Universidade do Minho, 2005.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

DGPC: DGEMN:DSID, SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

1980, década - obras de conservação da cobertura; 1993 - obras de pintura; 1996 - colocação de dois vidros gravados nos janelões da capela-mor.

Observações

Autor e Data

Paulo Dórdio e Isabel Sereno 1996

Actualização

João Almeida (Contribuinte externo) 2019
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login