Escola Industrial do Marquês de Pombal / Escola Secundária Fonseca Benevides

IPA.00002180
Portugal, Lisboa, Lisboa, Alcântara
 
Arquitectura educativa. A escola é caracterizada por uma fachada de prestigio (de acordo com a função do ensino em sentido tradicional), com a persistência de soluções maneiristas, recorrendo à disposição simétrica dos volumes, à valorização do pano central em termos decorativos, o uso do frontão interrompido. O 2º edifício já foi criado à imagem da arquitectura industrial da época, concebido com maior liberdade, e onde os materiais têm uma função plástica e decorativa. Conjunto de edifícios com características estilísticas diferentes.
Número IPA Antigo: PT031106020149
 
Registo visualizado 617 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Educativo  Escola   Escola comercial e industrial  

Descrição

Edifício principal: planta rectangular, de acentuada verticalidade. Cave, 4 pisos e cobertura em mansarda. Edifício das antigas oficinas: planta aproximadamente em L, de acentuada horizontalidade com as fachadas laterais bastante extensas. 3 pisos, sendo o ultimo em mansarda, ligeiramente recuada e com cobertura em telhado de 2 águas. A fachada S. tem telhado de 4 águas. 1º edifício - O 1º piso é em cantaria aparelhada. Fachada principal a N.: 2 corpos laterais avançam simétricamente em relação ao central, ligeiramente em ressalto. Porta de verga curva encimada por balaustrada e 2 amplas janelas, sendo a superior de verga curva. Frontão curvo interrompido, coroado por outro triangular, mais pequeno. Os corpos laterais têm janelões idênticos às do central. O resto do edifício tem fenestração idêntica: janelas simples de vão rectangular, sendo algumas encimadas por entablamento. A mansarda é rasgada por janelas ligeiramente em ressalto. 2º edifício - Fachada principal a E.: é trisseccionada por 4 pilastras. 1º piso - porta principal ladeada por janelas de verga curva. Moldura saliente. 2º piso - 3 janelas idênticas às do 1º. 3º piso - na prumada da porta central, ergue-se um corpo em forma de água furtada com empena coberto por telhado a 2 águas. Fachada lateral a S.: bastante fenestrada, com os vãos rectangulares alinhados e separados por pilastras definindo 16 tramos. São mais pequenos no 1º piso e os do 2º têm guardas de ferro. O edifício é rematado superiormente por um friso decorativo, que corre também na fachada principal, coroado por uma espécie de platibanda em ferro. O ultimo piso, em mansarda, é em betão à vista e tem 15 janelas simples.

Acessos

Rua dos Lusíadas; Rua Padre Adriano Botelho; Rua de Alcântara

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 29/84, DR, 1.ª série, n.º 145 de 25 junho 1984 *1

Enquadramento

Urbano. Implantação harmónica com o meio envolvente.

Descrição Complementar

No edifício principal, uma grade de ferro no enfiamento dos corpos laterais, fecha o espaço criado pelo avanço destes, criando um átrio de acesso à porta principal. Ainda neste, todas as arestas têm cunhais. O edifício das antigas oficinas, tem um tratamento decorativo interessante. As pilastras que dividem as fachadas, no primeiro piso são em calcário branco rematadas superiormente por moldura em forma de pirâmide invertida, no 2º piso, as pilastras são em tijolo vermelho coroadas por uma espécie de pináculos em calcário branco. Estes, têm como elemento decorativo calotes esféricas pintadas de azul. O friso que remata superiormente todo o edifício é em tijolo com elementos cerâmicos policromos (azuis, amarelos e brancos) embutidos, formando a sigla da designação original da escola, de forma alternada: EI / MP. Na fachada principal e sobre a janela de sacada existe uma representação figurativa da indústria, feita em cerâmica policromada. Todos os edifícios anexos que foram construídos posteriormente, foram deitados abaixo. Neste momento só existem os 2 edifícios primitivos.

Utilização Inicial

Educativa: escola comercial e industrial

Utilização Actual

Devoluto

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Ministério da Educação

Época Construção

Séc. 19

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITECTO: Luís Caetano Pedro de Ávila (1884-1892).

Cronologia

1884 - Início da construção do edifício que dá para a Rua dos Lusíadas; a escola foi criada por Emídio Navarro, Ministro das Obras Públicas, segundo projecto de Luís Caetano Pedro de Ávila; 1886, 22 Dezembro - lançamento da primeira pedra, com a presença de António Augusto de Aguiar; 1888, 31 Outubro - inauguração da escola; séc. 19, final - novas exigências levaram à construção de outro edifício, as oficinas, por iniciativa do director da escola, Carlos Adolfo Marques Leitão; séc. 20 - No início, construiu-se um pavilhão central, posteriormente foram feitas outras construções; 1961, 31 Dezembro - Encontram-se em curso obras, efectuada pela Junta das Construções para o Ensino Técnico e Secundário; 1998, Outubro - elaboração da Carta de Risco do imóvel pela DGEMN.

Dados Técnicos

Sistemas estruturais

Materiais

Alvenaria, cantaria, betão, tijolo, madeira, vidro.

Bibliografia

Ministério das Obras Públicas, Relatório da Actividade do Ministério no ano de 1954, Lisboa, 1955; Ministério das Obras Públicas, Relatório da Actividade do Ministério no Ano de 1961, 2 º Vol, Lisboa, 1962; ATAIDE, Maia, Monumentos e Edifícios Notáveis do Distrito de Lisboa, Lisboa, 1988; Occidente, 1 de Janeiro, 1889; RIBEIRO, Isabel, CUSTÓDIO, Jorge, SANTOS, Luísa, Arqueologia Industrial do Bairro de Alcântara, Lisboa, 1981; PEDREIRINHO, José Manuel, Dicionário de arquitectos activos em Portugal do Séc. I à actualidade, Porto, Edições Afrontamento, 1994; SOUTO, Maria Helena, No centenário da morte do engenheiro e arquitecto Luís Caetano Pedro d'Ávila (1832?-1904): um goês na capital, in Revista Oriente, n.º 10, Dezembro 2004, pp. 70-92.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DSARH

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID, Carta de Risco

Intervenção Realizada

DGEMN: 1954 - realização de diversas obras de remodelação e conservação periódica pela Direcção dos Serviços de Construção e Conservação; Ministério da Educação: 1999 - construção de novo corpo anexo.

Observações

*1 - "Edifício da antiga Escola Industrial do Marquês de Pombal, actualmente Escola Secundária de Fonseca Benevides."

Autor e Data

João Silva 1992

Actualização

Lobo de Carvalho 1998
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login