Menir da Chã

IPA.00021656
Portugal, Viseu, Tabuaço, Longa
 
Menir de grandes dimensões, tendo, nas faces, marcas geométricas que poderão, no entanto, ter ficado do seu afeiçoamento à forma cilíndrica. Considerado o segundo maior monólito utilizado como menir em Portugal e o maior do N. do país. Prospecções de superfície demonstram grande variedade de utilização do terreno onde se encontra implantado.
Número IPA Antigo: PT011819080140
 
Registo visualizado 347 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Religioso  Menir    

Descrição

Monólito de granito de configuração fálica com c. de 75 cm. de diâmetro na base, e maior parte do corpo, e 6,05 m. do comprimento total. Encontra-se fracturado em três partes. Junto ao topo, aparenta possuir uma glande, em ressalto transversal, pouco perceptível devido a uma das fracturas se localizar nessa zona. Ao longo das suas faces, que se encontravam subterradas, é possível observar marcas que indiciarão desbaste manual para afeiçoamento ou registo de motivos geométricos.

Acessos

Em Longa, à beira do caminho de acesso à Citânia de Longa, no lugar da Chã.

Protecção

Em estudo

Enquadramento

Rural, isolado, em planalto junto ao caminho de acesso ao escarpado Monte do Muro, a O., onde se encontra implantada a Citânia de Longa (v. PT011819080011), em zona de interesse paisagístico. Na encosta voltada a S., encontra-se o Povoado Calcolítico do Grail. No local de implantação, encontram-se inúmeros vestígios arqueológicos. A zona tem sido sujeita desde o séc. 19 ao plantio de pinheiro bravo, subsistindo no entanto aglomerações de carvalhos autóctones. Abundantes vestígios de construções em granito e fragmentos de cerâmica encontram-se nas imediações, podendo ser alguns atribuíveis ao Bronze / Bronze Final.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: menir

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Privada: pessoa singular / Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Época megalítica

Arquitecto / Construtor / Autor

Não aplicável.

Cronologia

Época neolítica - Época calcolítica - provável edificação; Época do Bronze - provável reutilização; 2001, março - notícia do seu achado, o qual se encontrava semienterrado e calçado a cerca de 30 cm. da superfície; 2001, Maio - inventário por técnicos do Instituto Português de Arqueologia - Extensão de Viseu.

Dados Técnicos

Elemento autoportante.

Materiais

Granito.

Bibliografia

ALMEIDA, Gustavo de, Descoberto o 2.º maior Menir de Portugal, em Longa - Tabuaço, In Notícias da Beira Douro, 10 Novembro 2001.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID; IPA: Extensão de Viseu

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID; IPA: Extensão de Viseu

Documentação Administrativa

IPA: Extensão de Viseu

Intervenção Realizada

IPA: 2001 - Inventário e levantamento arqueológico *1.

Observações

*1 - a Câmara Municipal de Tabuaço encontra-se a estudar a melhor forma de valorização do achado arqueológico.

Autor e Data

Gustavo Almeida 2001

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login