Igreja Paroquial de Macinhata do Vouga / Igreja de São Cristóvão

IPA.00021599
Portugal, Aveiro, Águeda, Macinhata do Vouga
 
Igreja paroquial dos séculos 19 e 20, de planta retangular com uma nave, capela-mor mais baixa e mais estreita, com coberturas internas em tecto, com torre sineira, capela lateral e sacristia adossados à fachada S. e antiga sacristia, anexo para arrumações e capela lateral adossados à fachada N. Fachadas revestidas a azulejo industrial, circunscritas por cunhais e remates em empena com cornija e beiral. Fachada principal com os vãos rasgados em eixo central composto por portal de verga recta, encimado por cornija e nicho ladeado por janelas rectilíneas e por óculo quadrilobado. Torre sineira dividida em três registos por cornija e no superior com ventanas em arco de volta perfeita em três faces. Fachadas e volumes laterais rasgados por janelas e portas rectilíneas. Coberturas de estuque em falsa abóbada de berço. Retábulos das capelas laterais de talha dourada tardo barrocos e retábulo-mor e retábulos colaterais de talha dourada do barroco joanino. Baptistério do lado da Epístola sob o volume da torre sineira. CRUZEIRO seiscentista de forma oitavada no seu conjunto.
Número IPA Antigo: PT020101120050
 
Registo visualizado 318 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal composta por nave, capela-mor mais baixa e mais estreita, com torre sineira, capela lateral e sacristia adossados à fachada S. e antiga sacristia, anexo para arrumações e capela lateral adossados à fachada N.. Volumes articulados com cobertura diferenciada em telhados de duas águas na nave, capela-mor e volumes adossados e em cúpula encimada por cruz na torre sineira. Fachadas revestidas a azulejo industrial, padrão monocromo azul sobre fundo branco com desenho geométrico e floral e circunscritas por cunhais apilastrados firmados por pináculos nos dois extremos da nave, capela-mor e capela lateral adossada à fachada S. e cunhais simples no volume da sacristia (fachada S.) e volumes da antiga sacristia, anexo para arrumações e capela lateral (fachada N.), percorridas por embasamento em ladrilho cerâmico monocromo azul e remates em cornija e beiral. Remates da fachada principal, fachada posterior e dos volumes adossados às fachadas N. e S. em empena com cruz no vértice na capela-mor, capela lateral (fachada S.), fachada principal e extremo da nave. Fachada principal voltada a O. rasgada por portal de verga recta emoldurado encimado por cornija. Sobre esta um nicho assente em cornija em arco de volta perfeita assente em pilastras, ladeadas de volutas e encimado por friso decorado de motivos geométricos e cornija abrigando uma escultura sobre plinto, ladeado por janelas rectilíneas com vitrais, emolduradas e encimadas por cornija. Frontão triangular com janela quadrilobada no eixo central, com vitral. À direita, adossada à nave, torre sineira composta de três registos divididos por cornija rasgada ao nível do primeiro registo por janelas rectilíneas quadrangulares, emolduradas nas fachadas S. e E., protegida por grade de ferro na fachada S., porta rectilínea, emoldurada (fachada E.), com respectiva escadaria de acesso com corrimão em ferro forjado e degraus revestidos a ladrilho cerâmico azul no rodapé e tijoleira vermelha. Rasgada em todas as faces do segundo registo e na face N. do terceiro registo por janelas em arco de volta perfeita emolduradas com encaixes de chumbo preenchidos com vidro incolor. As restantes faces do terceiro registo rasgadas por ventanas em arco de volta perfeita emolduradas. Encimada, na fachada S., por relógio em posição centralizada. Fachadas laterais rasgadas por três janelas confrontantes no volume da nave com vitrais, rectilíneas, emolduradas e encimadas por cornija na fachada S. Fachada S. rasgada por porta de acesso à nave rectilínea, emoldurada e encimada por cornija saliente. Volume da capela lateral adossada à fachada S. rasgado por janela rectilínea , emoldurada (mais estreita que as da nave), com vitral, na face O. e E. Sacristia rasgada por três janelas rectilíneas com caixilhos de madeira na face S. e porta rectilínea emoldurada na face E. com acesso por dois degraus (um revestido de marmoreado e o outro de tijoleira vermelha). Volume da antiga sacristia e do anexo para arrumações (adossado à fachada N.) rasgado por janelas rectilíneas protegidas por gradeamento (uma na face E. e duas na face N.) e revestido parcialmente por azulejos com remate em frontão triangular de betão na face N. Fachada posterior e face N. e O. da capela lateral adossada à fachada N. cegas com nicho saliente em arco de volta perfeita na face N. da capela lateral. INTERIOR rebocado e pintado de branco, percorrido por azulejos padrão monocromo azul sobre fundo branco rematado por friso, com coro-alto assente em plataforma plana com guarda plena encimada por balaustrada em ferro forjado assente em dois pilares cilíndricos e acesso por porta pela torre sineira (Epístola). Confrontantes, capelas laterais na nave, junto ao arco triunfal com acesso por vão em arco de volta perfeita em pedra assente em pilastras, dedicadas ao Senhor dos Passos (Evangelho) e Sagrado Coração de Jesus (Epístola). No lado da Epístola surge um baptistério no volume da torre sineira com pia baptismal em pedra mármore assente sobre plinto, percorrido por pintura marmoreada encimada de friso e embasamento monocromo preto e pavimento em cerâmica preto e branco. Nave percorrida por quadros que representam os Passos da Via Sacra. Cobertura da nave, capelas laterais e baptistério em falsa abóbada de berço em estuque assente em cornija na nave e capela lateral (Epístola) delimitada por cinco frisos a azul na nave, dividida em quatro caixotões decorados ao centro com florão dourado a capela lateral (Epístola). Pavimento em ladrilho cerâmico avermelhado com demarcação de acesso à capela-mor por dois degraus decorados de estreita barra de mármore no rebordo. Arco triunfal de volta perfeita de cantaria assente em pilastra, decorado das três Virtudes cardeais , ladeado por dois retábulos de talha dourada *¹ e policromada dedicados a Nossa Senhora de Fátima (Evangelho) e S. José (Epístola). Capela-mor coberta por falsa abóbada de berço em estuque com medalhão circular ao centro decorado com florão dourado e assente em cornija. Retábulo-mor de planta recta de três eixos verticais formado no corpo central por tribuna profunda com trono de exposição e interior em falsa abóbada de berço dividida em dez caixotões (sendo oito decorados ao centro por florão e possuindo florão nos caixotões centrais) assente em cornija. O corpo central e os corpos laterais (de menor dimensão) são flanqueados por colunas de fuste liso pintadas e capitéis decorados com folhagem encimados por entablamento com vários ressaltos e as que ladeiam o corpo central suportam um frontão interrompido. Ático decorado lateralmente com anjos de vulto e ao centro remate decorativo em folhagem. Corpos laterais com painéis pintados de onde surgem mísulas com imaginária de madeira. Sob a tribuna o sacrário e o Cristo Crucificado com resplendor. Do lado da Epístola e do Evangelho portas de verga recta emolduradas de acesso à antiga sacristia e anexo para arrumações (Evangelho) e sacristia (Epístola). CRUZEIRO (*2) situado no recinto face à fachada sul da Igreja com degraus, soco, plinto, fuste, capitel e cruz oitavados. Sobre plataforma com três degraus moldurados assenta plinto com todas as faces molduradas delimitado por toro com o terço inferior de maior dimensão encimado de fuste com cornija no terço superior e capitel com coxim e ábaco com todas as faces molduradas terminando este último de forma gomeada, encimado por cruz.

Acessos

MAcinhata do Vouga, Rua da Igreja

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Rural, destacado e isolado em desafogado recinto ajardinado e pavimentado, com iluminação e cruzeiro e estátua da Virgem sobre pedestal no recinto face à fachada S. da Igreja. Flanqueado a S. por muro rebocado e pintado de branco com cornija de pedra encimado de gradeamento em ferro forjado e acesso por portal em ferro pintados de verde, ladeado por pilares encimados por pináculos ladeados de panos de muro. Vários edifícios envolvem o recinto. A SO. da Igreja Matriz, com escadaria de acesso composta de 19 degraus a partir da rua da Igreja e acesso pelo recinto fechado, a antiga casa do padre de dois pisos em cota superior à via pública e que serve actualmente de sede aos elementos do rancho folclórico da região. A SE., o Centro Paroquial de Assistência (rua da Igreja, n°4), que funciona como creche (edifício incaracterístico e que se prolonga longitudinalmente até à fachada E. da Igreja). A NE. um edifício pertencente à Quinta do Passal cujo acesso se situa no angulo da rua da Igreja (a S.) com a rua António Dias Marques (a E.). Lateralmente à fachada N. um ringue em estado de abandono. A O. a rua da Igreja dá acesso a campos de agricultura.

Descrição Complementar

AZULEJO: industrial de padrão monocromo azul sobre fundo branco. TALHA: Retábulo da capela lateral (Evangelho) de talha dourada e policromada, de planta recta de um só eixo com corpo ladeado por colunas de fuste liso e capitéis decorados com folhagem onde assenta entablamento com vários ressaltos que suporta remate em frontão interrompido. No nicho um plinto com imaginária. Ático em remate semicircular decorado com elemento arquitectónico tendo ao centro medalhão. Retábulo da capela lateral (Epístola) de planta recta, de três eixos divididos por colunas caneladas e capitéis decorados com folhagem, encimados por entablamento com vários ressaltos que suportam um frontão semicircular sendo os do exterior do retábulo em forma de voluta. Corpo central com tribuna pouco profunda, com trono de exposição. Remate em frontão semicircular com decoração em falso dossel em posição centralizada . Sobre o sotobanco sacrário encimado do Cristo Crucificado com resplendor. Corpos laterais com painéis pintados e mísulas com imaginária. Retábulos colaterais idênticos entre si, de planta côncava, de três eixos flanqueados por colunas de fuste liso pintadas encimadas de capitéis decorados com folhagem onde assenta entablamento com vários ressaltos que suporta frontões semicirculares interrompidos no ático com decoração. Formado, no corpo central, por tribuna pouco profunda com trono de exposição e interior pintado. PINTURA: marmoreada, no baptistério.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Aveiro)

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 17 / 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

séc. 16, início - execução da escultura em calcário no nicho da fachada principal; 1574 - a igreja pertence ao padroado real e integra a Diocese de Coimbra; 1635 - demarcação e entrega do terreno (arquitecto Mateus de Couto aparece como testemunha na escritura em Lisboa); 1679 - execução do cruzeiro; séc. 18, final - execução do retábulo-mor e dos retábulos colaterais; séc. 19, meados - reconstrução do actual edifício; séc. 20, início - sobrelevação de um andar de sineiras na torre; séc. 20, década de 30 - nos retábulos colaterais existiam outras imagens (GONÇALVES, estampa LIII) nos nichos e sobre sotobanco; séc. 20, meados - execução dos vitrais, das janelas com encaixes de chumbo preenchidos com vidro incolor, gradeamento em ferro das janelas, azulejos e pavimentos da igreja, pintura em marmoreado do baptistério, pintura dos retábulos e remate do cruzeiro (GONÇALVES, p. 28).

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Azulejo industrial, vitral, ladrilho cerâmico, tijoleira, ferro forjado, betão, cerâmica, madeiras, estuque e argamassa de cimento e calcário para o cruzeiro.

Bibliografia

GONÇALVES, A. Nogueira, Inventário Artístico de Portugal. Distrito de Aveiro. Zona Sul, VI, Lisboa, 1959; SERRÃO, Joaquim Veríssimo - Livro das Igrejas e Capelas do Padroado dos Reis de Portugal - 1574. Paris: Fundação Calouste Gulbenkian Centro Cultural Português, 1971.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

*1 - Segundo A. Nogueira Gonçalves, na obra mencionada na bibliografia, os retábulos laterais vieram do convento de Serém, em data indeterminada e foram modificados e repintados a branco e ouro. *2 - A. Nogueira Gonçalves quando descreveu o cruzeiro na sua obra detectou a data de "1679".

Autor e Data

Ana Lemos 2003

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login