Pelourinho de Vilar Seco / Pelourinho de Vilar Seco de Lomba

IPA.00002114
Portugal, Bragança, Vinhais, Vilar Seco de Lomba
 
Pelourinho manuelino construído no séc. 16, de bloco prismático, e reconstruído nos finais do séc. 20 e novamente nas primeiras décadas do séc. 21. Apresenta soco quadrangular de dois degraus e coluna de fuste cilíndrico, ambos de feitura recente, o fuste marcado por anéis no terço inferior e no superior, capitel ornado de várias carrancas, e remate formado por braços cruciformes, que surgem sobre o remate e não junto ao capitel, como é usual, e pequena pinha.
Número IPA Antigo: PT010412340003
 
Registo visualizado 187 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição senhorial  Tipo bloco

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco de planta quadrangular, de dois degraus, onde assenta coluna de fuste cilíndrico, muito alto e com pequeno anel no terço inferior e no topo. O capitel, tipo bloco, é decorado com quatro carrancas, encimado por elemento em cruz, de braços iguais, dispostos no alinhamento das carrancas, sobreposto por elemento cónico.

Acessos

Vilar Seco de Lomba, Rua das Eiras. WGS84 (graus decimais): lat.: 41.879738; long.: -7.173152

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 23 122, DG, 1.ª série, n.º 231 de 11 outubro 1933 / Incluído na Zona de Proteção Especial das Serras de Montesinho e Nogueira da Rede Natura 2000

Enquadramento

Urbano, isolado, no interior da povoação, no centro de um largo, enquadrado por habitações de um e dois pisos, algumas das quais com a cantaria visível. Ergue-se em frente do antigo edifício da Câmara Municipal, atual sede da Junta de Freguesia (v. IPA.00035618). O muro que limita o largo a norte, integra um nicho rústico em cantaria, em louvor da Sagrada Família. Nas proximidades ergue-se a Igreja Paroquial de Vilar Seco de Lomba (v. IPA.00019674), a sudeste, a Capela de Nossa Senhora da Boa Morte (v. IPA.00019676) a norte, e a uma Escola Primária (v. IPA.00035613), a oeste, atualmente desactivada.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Sec. 14 / 15 / 21

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 13 - foral dado por D. Dinis; 1512 - 1514 - foral novo concedido por D. Manuel; 1706 - a povoação é do senhorio dos Condes de Atouguia e pertence à Comarca de Miranda; 1758 - segundo as Memórias Paroquiais, a freguesia tem como donatário o Conde de Atouguia e pertence à comarca de Miranda do Douro; tem 35 moradores ou fogos e 140 pessoas, juiz ordinário e câmara, sem sujeição a outras justiças ou governo; 1870 - 1880 - demolição do pelourinho; 1937 - data da aguarela representando o pelourinho da autoria de Alberto Sousa; 2007 - 2014 - substituição do fuste do pelourinho; 2014, 29 dezembro - publicação da 1ª Revisão do Regulamento do PDM de Vinhais, publicado em DR, 2.ª série, n.º 250, onde, entre os "valores culturais" consta o Pelourinho de Vilar Seco de Lomba, com o n.º 9.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito, de diferentes grãos.

Bibliografia

CAPELA, José Viriato, BORRALHEIRO, Rogério, MATOS, Henrique - As Freguesias do Distrito de Bragança nas Memórias Paroquiais de 1758. Memórias, História e Património. Braga: 2007; CARDOSO, Nuno Catarino - Pelourinhos de Trás-os-Montes. Lisboa: 1936; COSTA, António Carvalho da (Padre) - Corografia Portugueza... Lisboa: Valentim da Costa Deslandes, 1706, vol. I; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral. Lisboa: Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; Pelourinhos. Lisboa: 1935; Pelourinhos do Distrito de Bragança. Bragança: 1982.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

DGPC: DGEMN:DSID, SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

1990, década - obras de reconstrução do pelourinho, com integração de alguns elementos da primitiva estrutura; posteriormente, procede-se à alteração do soco, que deixa de ter planta circular e passa a ser quadrangular; 2007 - 2014 - reconstrução do fuste do pelourinho, em cantaria de diferente grão.

Observações

O Pelourinho de Vilar Seco de Lomba consta da listagem de "Bens Culturais Imóveis" (Anexo XXII) do Relatório de Caracterização do Plano de Ordenamento do Parque Natural de Montesinho, com o n.º 835.

Autor e Data

Ernesto Jana 1993

Actualização

João Almeida (Contribuinte externo) 2016
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login