Cruzeiro de Setúbal

IPA.00002110
Portugal, Setúbal, Setúbal, União das freguesias de Setúbal (São Julião, Nossa Senhora da Anunciada e Santa Maria da Graça)
 
Arquitectura religiosa, quinhentista. Cruzeiro. Recorte lobulado dos degraus da plataforma.
Número IPA Antigo: PT031512030004
 
Registo visualizado 584 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Religioso  Cruzeiro  Cruzeiro monacal  Tipo coluna e cruz

Descrição

Soco de quatro degraus circulares, com recortes lobulados em todo o perímetro, onde assenta uma coluna de fuste oitavado, sobre cujo capitel se ergue uma cruz.

Acessos

Praça Miguel Bombarda. WGS84 (graus decimais): lat. 38,525505, long. -8.894729

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto de 16-06-1910, DG n.º 136 de 23 junho 1910 / Incluído na Zona Especial de Proteção da Igreja do Mosteiro de Jesus (v. PT031512030001)

Enquadramento

Urbano, isolado, implantação harmónica. Encontrava-se, antes de ser desmontado, em frente à entrada lateral da igreja de Jesus, num largo de piso de gravilha, de superfície irregular, transformado em parque de estacionamento.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: cruzeiro

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1520 - 1550, entre - D. Jorge de Lencastre, mestre de Santiago, manda construir o cruzeiro, para assinalar a piedade dos fundadores do Mosteiro de Jesus; 1892 - por iniciativa do Vice-Presidente da Câmara, José António Januário da Silva, o cruzeiro é transferido da frente da cabeceira da igreja para a parte central do largo.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónoma.

Materiais

Estrutura em mármore da Serra do Viso.

Bibliografia

LEAL, Pinho, Portugal Antigo e Moderno, vol. 9, Lisboa, 1882; NASCIMENTO, Luís Gonzaga do, Velharias de Setúbal -Cruzeiros, in A indústria, Setúbal, 31.08.46; Guia de Portugal, vol. I, Lisboa, 1924; PEREIRA, Fernando António Baptista, Sobre omanuelino de Setúbal, separata de Setúbal na História, Setúbal, 1990; PORTELLA, M. M., Noticia dos Monumentos Nacionaes e Edificios e Logares Notaveis do Concelho de Setubal, Lisboa, 1882.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

O cruzeiro encontra-se desmontado, com o fuste partido, no átrio do Museu de Setúbal, aguardando as obras da praça para ser colocado no lugar que originalmente ocupou - em frente à cabeceira da igreja de Jesus. O recorte lobulado dos degraus, em "pétalas de rosa", é visto como uma alusão à Virgem Maria, completada pela alusão simbólica a Cristo contida na cruz (PEREIRA, 1985).

Autor e Data

Isabel Mendonça 1992

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login