Casa da Amiosa

IPA.00002097
Portugal, Viana do Castelo, Monção, União das freguesias de Messegães, Valadares e Sá
 
Casa nobre barroca de planta em L, com fachadas de dois pisos separados por friso, com pilastras nos cunhais e terminadas em friso e cornija, adossando corpo da cozinha a E.. Fachada principal com pilastras definindo três panos, possuindo no central portal de verga recta encimado por janela de sacada sobre duas mísulas, ladeado por dois módulos de janela de peitoril / janela de sacada, de cornija recta, cuja modulação se repete nos panos laterais. Fachada posterior rasgada por janelas de sacada no 2º piso e tendo na lateral direita, loggia avançada sobre colunas toscanas encimada por varanda alpendrada, que se prolonga para a fachada principal da ala perpendicular, com acesso por escada de tiro. Escadaria de acesso ao 2º piso desenvolvida interiormente, em átrio central, com parapeito em balaustrada decorada, conservando duas salas com tectos de madeira e uma outra com tecto de estuque e oratório, com retábulo de talha joanina. Solar com acesso de carácter cenográfico, através de alameda murada, a partir da estrada nacional, ritmada por pilastras toscanas, encimadas por pedestais prismáticos que suportam urnas, sendo o portão principal, um excelente exemplar de ferro forjado, ladeado pelos brasões com as armas dos Machados e Amarais, à direita, e dos Araújos e Barbeito e Padron, à esquerda, envoltos por motivos rococós. O solar, de certa imponência, caracteriza-se pela regularidade de fenestração, com vãos sobrepostos, tendo de permeio friso decorado com almofadas rectangulares, e com dupla fachada, ainda que a lateral, de loggia no 1º e varanda alpendrada no 2º, à semelhança de outros solares no distrito, tenha a leitura completamente adulterada por se ter fechado o 2º piso e cortado a ligação à fachada principal. O motivo que decora os pedestais da alameda surgem igualmente nos pedestais da varanda alpendrada. A zona central da casa, compreendendo a sua entrada principal, a sala do piso superior desta zona e a sala de jantar, apesar do mau estado de conservação, constitui a única parcela que ainda mantêm a sua primitiva estrutura. As escadas da entrada principal denotam uma estrutura erudita, possuindo o corpo do patamar uma cornija decorada com representação facial feminina e uma pilastra de canto, estando internamente iluminado por uma janela de crivaria que comunica com o piso inferior. A colocação de oratório em ampla sala, central, de tecto brasonado, é pouco comum no distrito. Destaque ainda para a sala de jantar, com vários armários encastrados nas paredes e tecto em cúpula sobre trompas de ângulo. Apesar da cozinha parecer ter sido construída sensivelmente depois do corpo principal, usa uma linguagem seiscentista na construção da chaminé e gárgulas.
Número IPA Antigo: PT011604320009
 
Registo visualizado 831 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial senhorial  Casa nobre  Casa nobre  Tipo planta em L

Descrição

Planta em L, formada por dois corpos desiguais, de dois pisos, com cozinha, de dois pisos adossada a S. *2. Volumes escalonados, com coberturas diferenciadas em telhados de quatro, três e uma água. Fachadas rebocadas e caiadas, percorridas por embasamento avançado e terminadas em friso e cornija, com pilastras nos cunhais. Fachada principal com friso de pedra a separar os pisos, tendo o corpo maior voltado a S., com pilastras definindo três panos. O central possui rasgado, em eixo, portal principal de verga recta encimado por janela de sacada sobre duas mísulas, em dupla voluta, e friso moldurado integrando cartela, ornada por folhas de acanto, com Cruz de Cristo relevada; a janela apresenta vão moldurado com aletas e friso decorado com motivos fitomórficos na verga, sendo rematada por cornija recta, ornada com cartela envolta por decoração vegetalista e querubins enquadrando cruz. O eixo é ladeado por dois módulos de janela de peitoril / janela de sacada, de cornija recta, cuja modulação se repete nos panos laterais *3. O corpo menor, voltado a O., é rasgado por porta de verga recta, ladeada por janela de idêntico formato e encimada por janela de avental e cornija recta. A porta é encimada por cornija recta, assente em duas mísulas, sobrepujada por dois vasos enquadrando coronel; o alçado voltado a S. é marcado, no 1º piso, por vão em arco abatido que suporta varanda alpendrada com três colunelos de secção circular e balaustrada de granito. Fachada voltada a O. com dois panos separados por pilastra, marcada por escada de cimento e rasgada por vãos rectangulares. No cunhal S. apresenta brasão esquartelado, com as armas dos Araújos, Machados, Barbeito e Padron, encimado por coronel. Fachada N. rasgada, no 1º piso, por duas portas e duas janelas e, no 2º piso, por cinco janelas, sendo três de sacada com base rectangular. Na fachada E. salienta-se a "loggia", assente em colunas toscanas, altas, sobre pedestais prismáticos, e varanda alpendrada no 2º piso, com colunelos sobre bases prismáticas, ornada por motivo recortado, com borla, fechada; junto ao ângulo, ampla escadaria de pedra, de lanço único, com guarda de pedra e arranque saliente. Fachada da cozinha voltada a O., a única visível, apresenta porta de verga recta, sobrelevada, com acesso por escadaria de pedra de lanço único, ladeada por janela rectangular, mostrando no coroamento do telhado chaminé pétrea, de amplo saco, com cornija saliente e gárgulas de canhão nos vértices. INTERIOR organizado em arrecadações, quartos, salas, cozinhas e casas de banho. A entrada principal *3 abre-se para átrio lajeado, de tecto de madeira, com vigamento entalhado, paramentos rebocados pintados a marmoreados fingidos, em painéis com orla azul e vermelha; escadaria pétrea, de dois lanços, com parapeito em balaustrada pétrea e arranque ornado com motivos fitomórficos encimado por pinha, comunica com o 2º piso. Ali, a sala principal, tem tecto de estuque decorado centralmente com as armas dos Araújos, Machados, Barbeito e Padron, e integra na espessura da parede oratório, inserto em vão de arco abatido, sobre pilastras, com pedra de fecho saliente e decorada com enrolados e motivos fitomórficos, albergando retábulo em talha policroma, desnudo, cerrado por porta de duas folhas, em madeira. Sucede-se sala com tecto de masseira pintado de branco, com orlas e moldura central pintados a azul, possuindo nas intersecções destas elementos vegetalistas, entalhados. No extremo E. fica a sala de jantar, com tecto de madeira, em cúpula de nervuras entalhadas, sobre trompas de ângulo, e bosete central ornado com motivos vegetalistas; conserva, encastrados na espessura das paredes, armários em castanho, rectangulares, com portas envidraçadas e com mesa de apoio retráctil. A cozinha possui chaminé de amplo saco, que ocupa toda a extensão do paramento S. da divisão, sendo sustentada por viga pétrea, relevada, sobre pilastras toscanas, tendo armários, rectangulares, rasgados na espessura da parede.

Acessos

Valadares, Lugar da Amiosa, EN. 202. VWGS84 (graus decimais) lat.: 42,077227; long.: -8,360674

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 129/77, DR, 1.ª série, n.º 226 de 29 setembro 1977

Enquadramento

Rural, isolado, integração harmónica em quinta cerrada por muro, dispondo-se a Casa e propriedade em plataformas sobranceiras ao vale do Rio Minho. Tem acesso, a partir da EN Monção - Melgaço, através de alameda enquadrada por muro, alto, de alvenaria de granito e capeamento em cantaria, com pavimento em terra batida e guia central de lajes graníticas. A frontaria da Casa está aberta para amplo terreiro, rectangular, com anexos de vocação agrícola, de piso térreo, do lado O., tendo acesso principal por portão ameado, enquadrado por pilastras que ostentam, frontalmente, pedras de armas, de coronel da nobreza, sobrepujadas por pináculos decorativos, estando ladeado por dois pequenos portais, rectangulares, encimadas por peanhas molduradas com volutas, que sustentam imagens, pétreas, de espingardeiros *1.

Descrição Complementar

Casa com interior rebocado e pintado de branco, com pavimentos soalhados, cimentados e em mosaico cerâmico, tendo tectos estucados, em ripado de madeira, em masseira e de "saia e camisa". A cave do corpo menor alberga as lojas, de paramentos em alvenaria de irregular de granito e com pavimentos em terra batida.

Utilização Inicial

Residencial: casa nobre

Utilização Actual

Residencial: casa

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 17 / 18 / 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 17 - André Machado de Almeida e mulher instituiram o Morgado de Miosa, mais tarde conhecido por Amiosa; séc. 17, finais / 18, inícios - provável construção da casa; foi residência do último Governador de Castro Laboreiro, Manuel de Araújo Machado, filho de João Barbeitos Padrão, e casado com D. Maria Manuela Machado de Araújo, os quais a devem ter remodelado; 1734, 26 Fevereiro - D. João V concedeu-lhe brasão; séc. 18, finais / 19, inícios - construção da entrada do terreiro e da varanda alpendrada da fachada E.; 1977 - a varanda alpendrada ainda estava aberta, ainda não se havia rasgado a janela do 1º piso na ala perpendicular da fachada principal e transformado em porta a janela da fachada O.; anos 80 / 90 - remodelação do edifício; 1992 - ainda existiam os dois espingardeiros sobre os portais de acesso à quinta e ainda não tinha sido prolongada a cozinha para E., sobre o tanque, mas a varanda alpendrada já estava fechada.

Dados Técnicos

Estrutura autoportante.

Materiais

Estrutura em cantaria, com paramentos rebocados e pintados e em alvenaria irregular de granito, com vãos em cantaria, cobertura em madeira telhada, cobertura interior em madeira e em gesso, placas de betão, portas e janelas de madeira e de alumínio, pavimentos soalhados, cimentados e em mosaico cerâmico, escadarias pétreas e de cimento, portão e gradeamentos em ferro forjado.

Bibliografia

SILVA, António Lambert Pereira da, Nobres Casas de Portugal, 2 vol., Porto, s.d.; GOMES, José Garção, Monção e o seu alfoz na heráldica Nacional, Barcelos, 1969, p. 291 - 293; ALMEIDA, José António Ferreira de (org.), Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1976, p. 564; AZEVEDO, Carlos, Solares Portugueses, Lisboa, 1988, p. 110; AZEVEDO, José Correia de, Inventário Artístico Ilustrado de Portugal - Minho, Lisboa, 1991, p. 210 - 211.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Proprietários: 1974 - recuperação dos telhados; 1990 / 1991 / 1992 / 1993 / 1994 / 1995 - remodelação de partes do edifício.

Observações

*1 - A imagem do espigardeiro que ladeia, à direita, o portal principal, encontra-se partida, ao nível dos pés; *2 - O corpo da cozinha, pela articulação que apresenta com o volume a que adossa, deve corresponder a um acrescento posterior; *3 - No pano lateral direito, uma das janelas do primeiro piso foi transformada em porta; *4 - Com a actual compartimentação da casa, para além da antiga entrada principal, foram criadas duas novas entradas, através de janela transformada em porta, no pano lateral direito da 1º piso da frontaria, e por porta no 2º piso da fachada O. do corpo maior, com acesso por escadaria de cimento.

Autor e Data

Paulo Amaral 2001

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login