Convento e Igreja de Nossa Senhora da Piedade

IPA.00002086
Portugal, Santarém, Santarém, União de Freguesias da cidade de Santarém
 
Convento de Eremitas Descalços de Santo Agostinho, com igreja tipícamente maneirista inscrevendo-se na arquitectura "estilo chão", pela sua sobriedade e austeridade. Quer o tipo de planimetria (centralizada) quer o tratamento dos volumes são característicos do Arq. João Nunes Tinoco recentemente tido com o autor da traça do templo desmentido a atribuição tradicional que a entregava a Mestre Jácomo mendes, o qual teria apenas edificado a cúpula (SERRÃO, 1990: 86). A desproporção entre os braços da cruz e o corpo central coroado pela enorme cúpula, provável consequência de uma mudança de projecto por parte de D. Pedro II.
Número IPA Antigo: PT031416210022
 
Registo visualizado 1129 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Convento / Mosteiro  Convento masculino  Ordem dos Eremitas Descalços de Santo Agostinho - Grilos

Descrição

Planta centralizada em cruz grega orientada interior / exterior. Os braços da cruz dispõe-se em redor do corpo central, octogonal, mais elevado. Fachadas laterais O. e E. de um tramo e N. e S. de 2 tarmos definidos por pilastras de angulo em cantaria. Nos cunhais pilastras salientes; Nos topos dos traços N., S., e O., rasgam-se ao nível inferior pórticos rectangulares encimados de tabelas molduradas, com inscrições latinas alusivas à guerra da Restauração, e ao nível superior janelões rectangulares nos muros laterais dos braços rasgam-se aberturas de vário tamanho e colocação. Cornija saliente correndo as diversas fachadas. Cúpula octogonal rematada por coruchéu facetado. No INTERIOR, nos topos dos braços N., S. e O., abrem-se capelas em arco de volta perfeita munidas de vários altares e púlpitos. Ladeando o arco triunfal da capela-mor (com abóbada de caixotões) 2 púlpitos de pedraria com acesso por portas de verga rectângular. No muro fundeiro da capela-mor, a meia altura, rasga-se um arco de volta perfeita que esconde a antiga porta de Leiria.

Acessos

Largo da Piedade, Praça Sá da Bandeira, a S. e N. respectivamente

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 24 348, DG, 1.ª série, n.º 188 de 11 agosto 1934 / ZEP / Zona "non aedificandi", Portaria, DG, 2.ª série, n.º 10 de 13 janeiro 1960 *1

Enquadramento

Urbano. Fachadas O., E. e S. viradas para a rua.

Descrição Complementar

Órgão com 13 registos.

Utilização Inicial

Religiosa: convento masculino

Utilização Actual

Religiosa: igreja

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 17

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITECTO: Jácome Mendes (atr., 1721); João Nunes Tinoco (atr., 1664). ORGANEIROS: J. C. Bishop (1840); Joaquim António Peres Fontanes (1795). PEDREIRO: Manuel de Góis (1664).

Cronologia

1663, 11 Julho - criação da Irmandade de Nossa Senhora da Piedade por Manuel Dias da Costa e mais cinco eclesiásticos, seis nobres e seis oficiais, sendo juiz perpétuo o rei; 01 Dezembro - é inscrito como juiz perpétuo o rei D. Afonso VI; 1663, 19 Setembro - feitura da imagem de Nossa Senhora da Piedade, mandada executar pelo irmão Afonso da Piedade; 1664, Janeiro - colocação da primeira pedra por D. Afonso VI, sendo o templo erguido no local de uma primitiva ermida em comemoração da vitória portuguesa na batalha do Ameixial; no mesmo local erguia-se a antiga porta de Leiria derrubada para dar lugar ao novo templo; a primitiva capela de Nossa Senhora de Guadalupe ficou servindo de capela-mor o que terá limitado as suas dimensões; é responsável pelas obras o pedreiro Manuel de Góis, conforme projecto atribuível a João Nunes Tinoco; 1680, 09 Abril - morre no Convento da Piedade, sito na Ermida de São Sebastião, Frei Bartolomeu de Santa Maria, primeiro Prior do Convento, sepultado na Capela de São Sebastião; 1688, 10 Novembro - a Igreja é cedida por D. Pedro II aos frades Agostinhos descalços para a fundação do seu convento; 1690, 04 Fevereiro - D. Pedro II ordena que os padres ocupem o local, o que acontece com procissão solene; 1698 - fim das obras; 1699 - os religiosos passam à nova Igreja, sendo o primeiro Prior sepultado no Cemitério; 1702, 13 Maio - D. Pedro II declara-se como protector e provedor perpétuo da Irmandade e dá-lhe Compromisso; 1721 - construção da cúpula (SERRÃO, 1990, p. 86), atribuível a Jácome Mendes; 1795 - execução do órgão por Joaquim António Peres Fontanes; 1834 - a parte conventual foi vendida servindo de casas de habitação; a igreja foi entregue a Joaquim da Costa Ramos, pároco de Salvador; 1840 - a Irmandade foi restaurada, sendo a igreja reaberta ao culto; 1845, 12 Junho - a Coroa desvincula-se do patrocínio da festa da Senhora da Piedade; 1846, 06 Junho - concedida à Irmandade de Nossa Senhora da Piedade a posse de parte e do extinto convento dos frades Gracianos; para a Igreja veio a freguesia do Salvador que ali permaneceu até 1869 data em que a Igreja voltou a ser capela particular da Irmandade; 24 Abril - é mandado demolir a portaria do convento; 1909, 23 Abril - um sismo provoca danos no edifício; 1946, 02 outubro - fixação da Zona de Proteção da Igreja do Seminário e vestígios do Paço Real, por Portaria publicada no DG n.º 23, revogada pela Portaria de 1960.

Dados Técnicos

Materiais

Estruturas: Alvenaria, Cantaria, Betão esforçado. Coberturas: Telha portuguesa sobre vigamento de betão pré-esforçado e ripas em cimento. Pavimentos: Cantaria e Mármore. Soluções estruturais: 1.

Bibliografia

ARRUDA, Vergilio, No 3º Centenário do Milagre da Restauração... in Correio do Ribatejo, 25 Maio 1963; BARBOSA, Inácio Vilhena, As Cidades e as Vilas da Monarquia Portuguesa que teem brasão d'Armas, vols.III, 1868; BRANDÃO, Zephirino, Monumentos e Lendas de Santarém, Lisboa, 1883; BRANDÃO, Zephirino, Capela Real da Piedade, in Correio da Extremadura, 10 Outubro 1903; BRAZ, José Campos, Santarém raízes e memórias - páginas da minha agenda, Santarém, Santa Casa da Misericórdia de Santarém, 2000; COUTINHO, Maria João Fontes Pereira, A produção portuguesa de obras de embutidos de pedraria policroma (1670-1720). Lisboa, Dissertação de Doutoramento em História da Arte apresentada à Faculdade de Letras de Lisboa, 2010, 3 vols.; JESUS, Frei Luís de, História Miscellane que compreende a fundação dos Religiosos Descalços de Sto. Agostinho da Villa de Santarém, Lisboa, 1734; KUBLER, George, Portuguese Plain Architecture..., Middletown, 1972; VALENÇA, Manuel, A Arte Organística em Portugal, vol. II, Braga, 1990.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

1840 - restauro do órgão por J. C. Bishop; DGEMN: 1943 - reparação dos paramentos exteriores; 1943 / 1944 - reparação das coberturas; 1944 / 1945 / 1946 / 1947 / 1948 / 1949 - modificações na cúpula; 1957 - obras de beneficiação; 1963 - reparação das coberturas; 1973 - reparação dos paramentos exteriores; 1975 - reparação das coberturas e obras gerais de beneficiação; 1983 - reparação das coberturas e obras gerais de beneficiação; 1985 - remodelação da instalação eléctrica.

Observações

*1 - é uma Zona Especial de Proteção conjunta da Janela manuelina de uma casa na Praça Sá da Bandeira, nº 12 e 13, da Igreja do Seminário, Vestígios dos Paços Reais e Igreja da Piedade.

Autor e Data

Rosário Gordalina 1991

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login