Pelourinho do Sardoal

IPA.00002078
Portugal, Santarém, Sardoal, Sardoal
 
Memória de pelourinho que constitui uma cópia com alguma fidelidade do original quinhentista. É de bloco cilíndrico, com soco octogonal de quatro degraus, de onde evolui o fuste, também de secção octogonal, encimado por capitel quadrangular, e ferros de sujeição, encimado por remate cilíndrico. O capitel é envolto em ferros em cruz terminados com figuras de expressão zoomórfica, tendo cada uma delas uma argola na boca. O topo do pináculo piramidal é rematado com catavento em forma de sardão, elemento iconográfico que pertence ao brasão do município.
Número IPA Antigo: PT031417030001
 
Registo visualizado 759 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Comemorativo  Memória de pelourinho    

Descrição

Estrutura em cantaria de calcário, composta por soco octogonal de quatro degraus, onde assenta directamente o fuste de forma poligonal interrompido a cerca de 1/4 da sua altura por um anel em cordão, sobre o qual se eleva o restante fuste de igual forma rematado por astrágalo de moldura quadrada e decorada, onde assenta o capitel liso prismático, tendo inscrito numa das faces a data da reconstrução e noutra o brasão da vila rematado por moldura lisa, também rectangular, sobre a qual se destacam quatro ferros cruzados, recurvos nas extremidades. Sobre o ábaco, coroando-o, um alto pináculo piramidal, octogonal, interrompido por anéis em corda e abrindo-se no topo em flor estilizada formando florão, suportando a grimpa metálica que tem como catavento um sardão estilizado e uma cruz no topo..

Acessos

Praça da República (antiga Praça Conselheiro João Franco, Praça do Comércio e Praça Nova). WGS84 (graus decimais) lat.: 39.534540; long.: -8.161190

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 23 122, DG, 1.ª série, n.º 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano, destacado. Integrado no Centro Histórico do Sardoal (v. PT031417030030), ergue-se isolado no do largo principal da vila, com pavimento em seixo rolado e enquadrado ao centro num pavimento em forma octogonal, em calçada à portuguesa, formando desenhos geométricos a branco e preto; situa-se fronteiro à Câmara Municipal do Sardoal (v. PT031417030010) e à Capela do Espírito Santo (v. PT031417030011) e rodeado por elementos patrimoniais de grande valor arquitectónico.

Descrição Complementar

INSCRIÇÃO: numa das faces do capitel ostenta o brasão da vila e a data de "1531"; na face oposta lê-se: "RECONSTRUÍDO EM 1931".

Utilização Inicial

Comemorativa: memória de pelourinho

Utilização Actual

Comemorativa: memória de pelourinho

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 16 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITECTO: Raul Lino (colaboração na reconstrução)

Cronologia

1313 - a Rainha Santa Isabel concedeu-lhe foral; 1531, 10 Agosto foi elevada à categoria de vila por carta de mercê de D. João III, em Évora; séc. 16, meados - data provável do pelourinho original; 1712 - é da Comarca de Tomar e comenda da Ordem de Cristo, sendo comendador o Duque de Cadaval; tem 600 vizinhos governados por 2 juízes ordinários, 3 vereadores, procurador do concelho, escrivão da câmara, juiz dos órfãos com o seu respectivo escrivão; nela não entra o corregedor de Tomar, excepto o Provedor para exercitar o seu ofício; 1758, 04 Maio - nas Memórias Paroquiais, é referido que a povoação, pertencente ao Duque de Abrantes, tem 300 vizinhos; tem juiz ordinário e câmara; 1931 - início da reconstituição do pelourinho com colaboração do arquitecto Raul Lino; 1934 - inauguração do pelourinho, juntamente com o Fontanário da Praça e o painel azulejar alusivo a Gil Vicente, na parede da Capela do Espírito Santo.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de calcário; ferros de sujeição em ferro.

Bibliografia

COSTA, António Carvalho da (Padre), Corografia Portugueza, vol. III, Lisboa, Officina Real Deslandesiana, 1712; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; O Sardoal, Boletim de Informação e Cultura da Câmara Municipal do Sardoal, nº 45, Ano 8, Março / Abril 2007; SEQUEIRA, Gustavo de Matos, Inventário Artístico de Portugal, Distrito de Santarém, vol. III, Lisboa, ANBA, 1949; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/74824 [consultado em 28 dezembro 2016].

Documentação Gráfica

CMS

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 34, n.º 81, fl. 665-672)

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

Autor e Data

Rosário Gordalina 1990 / Cecília Matias 2009

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login