Igreja Paroquial do Olival / Igreja Paroquial de Nossa Senhora da Purificação

IPA.00002070
Portugal, Santarém, Ourém, União das freguesias de Gondemaria e Olival
 
Arquitectura religiosa, barroca. Igreja paroquial de planta longitudinal, volumes articuladoscom azulejos e imaginária barrocos.
Número IPA Antigo: PT031421100008
 
Registo visualizado 207 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planimetria longitudinal de nave única, volumes articulados da torre sineira, capelas laterais, capela-mor e anexos, cobertura diferenciada na nave, capela-mor e capelas laterais e telhado de 2 águas nas primeiras, de uma nave nas segundas massas dispostas na vertical - Fachada principal: de pano único e três registos sendo o inferior definido pelo portal de verga curva, o médio por janelão e o superior pela empena ao centro do qual se abre pequeno óculo; entre este registo e o médio moldura saliente; adossado ao muro lateral esquerdo o corpo da torre sineira quadrada, de 3 registos definidos por cornija molduradas, sendo o último vazado por janelões sineiros e coberta por cúpula piramidal e com ângulos rematados de corucheús em formas de urnas. Na fachada lateral esquerda destaca-se a escada de acesso à torre, o corpo da capela lateral disposta na perpendicular ao corpo da nave e o corpo corrido de um anexo que ultrapassa o comprimento da nave indo-se adossar ao corpo da capela-mor rectangular. No INTERIOR destaca-se o revestimento a azulejo, tipo padrão, da capela-mor e o seu retábulo.

Acessos

EN 113, EN 349

Protecção

Categoria: MIP - Monumento de Interesse Público / ZEP, Portaria n.º 103/2014, DR, 2.ª série, n.º 30 de 12 fevereiro 2014

Enquadramento

Urbano. Frontaria dando para a via de circulação e largo onde se encontra o salão Paroquial e a Igreja Nova; fachada lateral esquerda dando para o cemitério.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Cultural e recreativa: museu

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 15 / 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 15 - fundação da igreja; séc. 17 - 18 - grandes alterações que lhe conferiu a feição actual; 1888 / 1898 - sofreu importantes obras de modernização; 1889 - são transferidos para a igreja, provenientes do extinto Mosteiro da Esperança, em Lisboa (v. PT031106371733) vários objetos, alfaias e paramentaria, entre os quais se destacam uma Nossa Senhora da Piedade, de madeira estofada, um Crucificado de madeira com peanha de pau-santo e um Crucificado de marfim, um Senhor dos Passos grande, inserido numa maquineta, um Senhor morto, pequeno, de madeira, uma Nossa Senhora da Conceição, de roca, sobre peanha pintada, uma Nossa Senhora do Rosário de madeira estofada, quatro anjos tocheiros, dois sacrários de talha dourada, uma maquineta de exposição, sacras, uma pedra de ara, dois quadros de orações, dois genuflexórios de madeira, dois ralos de confessionários, em madeira, uma estante de madeira, 68 jarras de madeira, 6 castiçais, um turíbulo, uma naveta e uma caldeirinha em prata; séc. 20 - foi abandonada ao culto com a construção de uma nova igreja; 1984 - proposta de classificação pela Liga dos Amigos do Olival; 1986, 04 novembro - parecer do Conselho Consultivo do IPPC a propor a classificação como Imóvel de Interesse Público; 21 novembro - Despacho de homologação do edifício como Imóvel de Interesse Público, da Secretária de Estado da Cultura; 1987, 05 maio - parecer do Conselho Consultivo do IPPAR a propor a sequência do processo; 05 junho - Despacho de homologação da continuação do processo pela Secretária de Estado da Cultura; 2005 - grande intervenção, transformando o espaço num Núcleo de Arte Sacra; restauro dos azulejos por Manuela Malhoa; 2012, 10 abril - proposta da DRCLVTejo de fixação da Zona Especial de Proteção; 09 maio - parecer favorável do Conselho Nacional de Cultura; 2012, 08 junho - publicação do projeto de decisão da fixação da Zona Especial de Proteção do edifício, em Anúncio n.º 12 641/2012, DR, 2.ª ´serie, n.º 111.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes / Estrutura autoportante

Materiais

Bibliografia

ELYSEU, Neves, Esboços Histórico do Concelho de Villa Nova de Ourem, 1868; FLORES, José Eduardo Ferreira, Album da Vila de Ourém, 1894. SEQUEIRA, Gustavo de Matos, Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Santarém, vol. II, Lisboa, 1949; BAPTISTA, A. Rodrigues, Conta dos Oficiais da Câmara de Ourém sobre o terramoto de 1755, in Estudos e Documentação, vol. II, 1982, pp. 95 - 100; AAVV, Ourém três Contributos para a sua Histórica in Ourém. Estudos e Documentos, vol. III, 1988; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/73571 [consultado em 28 dezembro 2016].

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID; DGLAB/TT: Arquivo Histórico do Ministério das Finanças / Conventos extintos, Convento da Esperança, caixa 1959, capilha 10

Intervenção Realizada

CMO / DGEMN: 2005 - restauro do retábulo do altar-mor; restauro dos azulejos; obras de recuperação do reboco, interior eexterior, pavimentos e coberturas.

Observações

Autor e Data

Rosário Gordalina 1991

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login