Pelourinho de Braga

IPA.00000207
Portugal, Braga, Braga, União das freguesias de Braga (Maximinos, Sé e Cividade)
 
Pelourinho de construtção quinhentista, tipo bloco prismático, com coluna de base cúbico, coluna de fuste liso e capitel cúbico, encimado pelo remate prismático, também cúbico e com decoração heráldica. Do primitivo pelourinho apenas restam a base, parte da coluna, do capitel e do remate. Base bastante elaborada, tripla e com a zona mais elevada com as arestas truncadas e estriadas. Ostenta, nas faces do bloco, as armas do arcebispo, o escudo português e as esferas armilares, símbolos régios.
Número IPA Antigo: PT010303520013
 
Registo visualizado 601 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição eclesiástica  Tipo bloco

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composto por base prismática, com três ressaltos inferiormente, onde assenta coluna de fuste liso de secção circular. Capitel quadrado, sendo a parte superior de maior largura, começando por listel liso e bordo boleado. Remate cúbico com lavores, nas faces laterais esferas armilares e nas outras duas a pedra de armas arquiepiscopal e as armas reais.

Acessos

Sé, Rua do Cabido; Rua Dom Paio Mendes. WGS84 (graus decimais) lat.: 41,550294; long.: -8,426796

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 23 122, DG 1ª Série, nº 231 de 11 outubro 1933 / ZEP, Portaria, DG, 2ª Série, nº 202, de 30 agosto 1967

Enquadramento

Urbano, no interior do claustro da Sé de Braga.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 16 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 15 - existência de um pelourinho próximo dos Paços do Concelho, que se localizavam defronte da Sé; séc. 16 - provável construção; 1750 - existência do pelourinho defronte dos "alpendres" ou arcadas da Sé, conforme ilustra uma pintura e um painel de azulejos existente na Câmara Municipal *2; 1758 - nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo pároco da freguesia da Sé, Inácio de Palhares, é referido que a povoação, com 717 fogos, pertencia aos arcebispos de Braga; 1834 - 1844 - o pelourinho foi deslocado para o centro do Campo de Touros ou Praça do Munícipio; 1853, 20 Julho - demolição do pelourinho, sendo os fragmentos recolhidos e colocados no claustro da Sé, construindo-se no local um chafariz.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito.

Bibliografia

MALAFAIA, E. B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; SOUSA, Júlio Rocha e, Pelourinhos do Distrito de Braga, Viseu, 2000.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

DGPC: DGEMN:DSID

Documentação Administrativa

DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 7, n.º 57, fl. 1113-1122)

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

*1 - DOF: Pelourinho de Braga (fragmento). *2 - segundo Júlio Rocha e Sousa, este pelourinho terá sido demolido, apontando para a existência de dois pelourinhos na cidade, ao contrário do que refere Ataíde Malafaia, que menciona um único pelourinho.

Autor e Data

Isabel Sereno e João Santos 1994

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login